domingo, 30 de dezembro de 2012

Resenha: "Para sempre - Os Imortais" (Alysson Nöel)

Por Ellen: Hoje vamos conversar sobre um livro que deu início a uma série que conquistou milhares de fãs ao redor do mundo e que se tornou um best-seller nos Estados Unidos.

Quem vê a capa do livro pode simplesmente não entender o porquê de tulipas vermelhas, mas ao ler compreendemos que têm tudo a ver com a história. E sendo assim, eu amei a idéia.

Nossa protagonista chama-se Ever Bloom, uma adolescente que perdeu os pais e uma irmã num acidente de carro. Depois do acidente Ever vai morar com uma tia Sabine, uma advogada bem sucedida, solteira e sem filhos. Logo de cara percebemos o quanto Ever sente-se culpada pela morte de seus familiares e por estar “atrapalhando” a vida de sua tia. Como é uma adolescente, ela se depara com vários questionamentos e para piorar após o acidente ela descobre que pode enxergar a áurea das pessoas, ouvir pensamentos, tem intuições e com um simples toque consegue saber tudo sobre a vida de uma pessoa.
“Como explicar a ele que, desde o acidente, as únicas pessoas cujos pensamentos não posso ouvir, cujos toques nada revelam e cujas auras não consigo ver são as que já morreram?”
Também descobrimos que sua vida nem sempre foi assim. Antes do acidente Ever era uma garota popular na escola, tinha uma vida que podia se chamar de “perfeita” com amigos e admiradores. Mas sua vida muda completamente e agora ela se esconde atrás de um capuz, roupas largas e vive com o Ipod ligado para abafar os pensamentos alheios. Apesar de sua beleza, nesta nova fase ela faz todo o possível para passar despercebida. Aquele círculo de amigos que possuía se foi com a mudança de cidade e agora eles se resumem a Miles, um homossexual viciado em chats pelo celular, Haven, amiga gótica e que se mostra insegura e muito maleável e por fim Riley sua irmã morta que a visita quase todos os dias.
“E mesmo que nós formemos um grupinho bastante estranho, ao menos por fora, não sei o que seria de mim sem os dois. A amizade deles é uma das poucas coisas que realmente prezo na vida. Perto deles sou quase normal outra vez.”
É nesse tumulto que ela conhece Damen, um novo e misterioso aluno da escola. O mais impressionante nele, na opinião de Ever, não é sua beleza e sim o fato dele “bloquear” seus “poderes”.

A partir daí o drama da vida de Ever tem um escape, sim porque com Damen, por perto e a sensação de “normalidade” que ele trás, acrescentado a sua beleza, Ever se permite ser uma adolescente outra vez. Fora que a atração física é imediata, antes mesmo de se olharem já existe um tensão entre os dois. Isso pode ser retratado no primeiro olhar que os dois trocam:
“Mas quando ele ergue os óculos de sol para me fitar de volta, constato que os olhos dele, estranhamente familiares, são amendoados e escuros, emoldurados em cílios tão longos que quase parecem falsos. Ah, e os lábios! Os lábios são carnudos e convidativos, tão bem desenhados quanto um arco de Cupido. E o corpo que sustenta tudo isso é alto, magro, firme. Vestido de preto de cima a baixo.”
A relação deles vai se estreitando e então começam a namorar e aí que começam os mistérios. Tudo o que envolve o passado de Damen é cercado de mistério e para piorar surge uma ex-namorada: Drina.

Não vou prolongar o resumo para não contar um spoiler. Mas recomendo o livro, gostei da narrativa, o enredo não é muito diferente dos it books do momento mas a sequência promete grandes revelações. 
Fiquei curiosa para ler o restante da série e para os que já leram, ainda tem um livro especial contando sobre as aventuras da irmã de Ever, é a série Riley Bloom. Estou ansiosa também para ler.

Quem já leu pode dividir sua opinião conosco. Não deixem de comentar e até a próxima resenha!!!

Continue Lendo

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

[Gastronomia & Literatura] Siri - Capítulo Sete

Essa mensagem faz parte de uma série de postagens, capítulo a capítulo, com receitas inspiradas no enredo do livro "Siri" (Rachel Cohn). Para ver as receitas anteriores clique aqui


Bom Dia Pessoas,


Faz tempo que encontramos nossa querida amiga Cyd Charisse, e faz tempo que ela própria não encontra uma pessoa que bem no fundo ela sabe que ainda ama, Siri.


Até acontecer um encontro totalmente casual no Symphony Hall, na minha opinião um encontro casualmente romântico. Violinos, violoncelos, pianos e música clássica completam o cenário. O resultado desse encontro vocês saberão ao ler o final desse capítulo.

Continue Lendo

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Resenha: "Cordilheira" (Daniel Galera)

Por Cari Vieira: Achei super interessante a ideia da série de livros da qual esse romance faz parte. "Amores Expressos traz histórias de amor ambientadas em diversas cidades do mundo" (amo viajar, então já me identifiquei logo de início).
Vendo os vídeos do autor, descobri que para essa série, 16 escritores brasileiros passaram um mês em diferentes cidades do mundo para escrever romances "inspirados na experiências dos escritores em suas cidades-destino". O conceito é tão interessante que Amores Expressos acabou se tornando uma série de TV transmitida pela TV Cultura.
Agora vamos conhecer um pouco mais da trama:
Cordilheira trata da história de Anita, uma escritora de 29 anos que, aos 25, escreveu um livro que fez um grande sucesso junto ao público e a crítica, entretanto, nesse momento, ela não se identifica mais com ele e não consegue entender por que as pessoas gostam tanto de seu romance.
"Houve um momento, uns dois meses atrás, em que vi que tudo estava errado. foi repentino, como se alguém tivesse acionado um interruptor de luz. O que as pessoas ao meu redor esperavam de mim não tinha nada a ver com o que eu queria, e o que eu queria era visto por elas como capricho ou alucinação passageira."
 Anita vive com seu namorado Danilo. Ela está ansiando por ter um filho, motivada, talvez por ser órfã de mãe e por ter perdido o pai recentemente. Infelizmente, Danilo não está no mesmo momento e não entende a vontade da namorada. As amigas de Anita também não a compreendem e acreditam que trata-se de uma vontade que logo vai passar.
"Eu disse que queria ter um filho
Ele disse que eu era louca."
Dia a dia ela tenta mas não consegue convencer Danilo e nem as amigas de que sua vontade é real e que não vai passar. Cada vez mais infeliz, Anita recebe a notícia do falecimento de uma de suas amigas que, em depressão, cometeu suicídio. Depois disso, ela termina o relacionamento com Danilo e decide fugir de tudo passando um tempo em Buenos Aires, pois foi convidada para o lançamento de seu livro na capital argentina.
"Nos poucos dias que antecederam a viagem, mesmo com as discussões, com as lágrimas,  com a poeira de tragédias recentes prejudicando a visibilidade  em meio aos escombros, eu me pegava sorrindo por dentro nos momentos mais inesperados."
Em Buenos Aires, Anita conhece Holden, um fã esquisito e ardoroso de seu livro e principalmente da personagem principal do mesmo, Magnólia.
"Após um silêncio incômodo ele começou a dar uma de fã. Disse que meu romance era a coisa mais formidável que tinha lido em muito tempo."

Eles iniciam um romance e ela logo vai morar com o rapaz (isso mesmo, rápido assim). Ele a apresenta aos seus amigos um tanto quanto excêntricos, para dizer o mínimo. Eles formam um grupo de escritores que vivem a vida dos personagens que criaram, entendendo a literatura de uma maneira muito estranha. (Infelizmente não posso contar mais porque senão revelarei as surpresas da trama.)
"Todos os amigos de Holden tinham lido o meu livro. Isso estava longe de ser a coisa mais estranha a respeito deles."

Esse foi o primeiro livro de Daniel Galera que eu li e me chamou a atenção a história ser narrada, na maior parte do livro, pela personagem feminina, de uma maneira que foge aos clichês associados as mulheres.
Gostei muito da escrita do autor que é simples e envolvente, entretanto a história não me cativou tanto como eu achei que faria, de qualquer maneira é uma leitura que vale a pena por ser uma narrativa inteligente e que nos faz refletir sobre questões como encontros, desencontros, vida, arte e sonhos. Vale a pena ressaltar que trata-se de uma leitura adulta portanto não o indico para os adolescentes. 

Continue Lendo

domingo, 23 de dezembro de 2012

Resenha "Freshman Year & Other Unnatural Disasters" (Meredith Zeitlin)

Por Gabi: Oi pessoal!! Hoje não estou na Happy Hour, mas sim resenhando um livro gringo! Dear Book cruzando fronteiras! *-* Très chic, mes amis!! -rsrs 

Antes de começar a falar sobre o livro, gostaria de agradecer à equipe mais que especial da editora G.P. Putnam’s Sons e principalmente à Anne Walls, com quem tive contato direto, tanto pela parceria com nosso blog, tanto por terem sido tão compreensivos e gentis com a minha situação de vestibulanda nesse ano, o que acabou culminando com o atraso da resenha. 

Kelsey Frinkelstein é nossa narradora e protagonista de  Freshman Year & Other Unnatural Disasters (algo como "Meu ano de caloura e outros desastres nada naturais" em tradução livre) Kels é uma típica adolescente de seus 14 anos, tem constantes conflitos com os pais e sofre com os problemas de "descobertas" da idade. 

Em, Jojo e Cassidy são suas melhores amigas e vão enfrentar juntas o temido e , ao mesmo tempo tão esperado primeiro ano no Ensino Médio. E é assim que a história começa, as amigas reunidas na casa de Kels planejando os detalhes para o "grande dia".
Efim, eu decidi realmente... fazer algo mais este ano. Fazer uma marca. Me destacar. Me preparar para uma nova era!

Ao iniciar os estudos, ela vê que não será um mar de flores. Kels leva um baque com a mudança de rotina, as várias provas e o ritmo de estudos, bem mais intenso. Ela começa a treinar futebol e logo é chamada para fazer parte do time da escola. Estaria tudo bem se no caminho não tivesse Julie Nelson, uma veterana que também está no time de futebol se torna o “inferno astral” de Kelsey, atrapalhando-a em tudo.

Lexi é uma linda novata que chegou na escola e chama a atenção de todos, mas não se encaixa nos bolinhos mais populares por ser muito tímida e logo se enturma no grupo das meninas. 

Em meio a essa loucura com o futebol e novas amizades Kels não consegue parar de pensar em Jordan Rothman, sua velha paixonite. Com quem ela também sonha em dar seu primeiro beijo, mas que acaba acontecendo com Keith, nada como ela imaginava. rsrs 

Eu queria que meu primeiro beijo fosse especial, por isso não tinha acontecido ainda. Eu acho que é importante, mesmo todos dizendo que não faz diferença. 

E então, antes que eu possa terminar revendo a lista completa de prós e contras, Keith me beija.
E nessa mesma festa, ela vê Cass ficando com Jordan e se sente traída pela amiga e fica muito triste. O grupinho das meninas fica, então, fragmentado já que Cass e Kels não conversam mais, apesar dos esforços de Em, Jojo e Lexi em tentar re-estabelecer os laços de antes. 

Mas Kels consegue, então, um papel na peça de teatro do colégio, bem como sua amiga Jojo. A partir daí ela ocupa grande parte de seu tempo nos ensaios da peça, o que rende a ela novas encrencas, amizades, paqueras e muita diversão a todos nós leitores!!
Esse cara está descaradamente tirando sarro de mim! Eu acho. Ou talvez ele esteja flertando comigo? Agh, por que é tão difícil dizer?


Meredith Zeitlin
A narrativa de Meredith é leve, fácil e muito divertida. Kelsey tem um humor irônico e um pouco dramático que eu amei! Ao ler Freshman Year & Other Unnatural Disasters, me senti voltando aos meus quinze anos e lendo "O Diário de Débora". rsrs Além de retratar os dramas e dilemas de qualquer adolescente, ainda fala de amor, amizade, família e aceitação pessoal. Muito bacana! 

O livro ainda é uma indicação bacana para quem está aprendendo inglês, pois traz uma linguagem bem simples e cotidiana, o que é bom, porque vai dando mais confiança para ler textos mais rebuscados. 

Vocês podem acessar o site oficial de Freshman Year & Other Unnatural Disasters e também adicionar o livro à estante no skoob.

Então, é isso pessoal. O que acharam da indicação de hoje? Não deixem de comentar!!

Boa leitura e até a próxima!! *-*

Continue Lendo

sábado, 22 de dezembro de 2012

[Minhas Palavras] "O Que eu Adoro em Você"



A coluna "Minhas Palavras" apresenta textos originais, de diversos temas, produzidos pela equipe do Dear Book.
"O Que eu Adoro em Você"

Por: Raquel Morelli (colunista de "Filmes" e autora do blog "Pensamentos e Opiniões", onde o texto fora postado originalmente)


Não sei se você já reparou, mas eu adoro você. 

Adoro as 'pequenas' coisas que você faz.
Eu adoro o jeito como você anda, adoro as roupas que você veste, as suas sardas, as suas mãos com veias saltadas, enquanto você joga video game. 

Adoro sua cara quando você está concentrado em alguma coisa, adoro suas caretas e quando você levanta a sobrancelha involuntariamente. 

Eu adoro quando estamos em casa e você fala: 'Me dá água?' e toma um copo sem gelo ou um copo com 25% gelada e 75% sem gelo. 

Adoro você de óculos, sejam eles de grau ou de sol. Adoro seu sorriso, seus ombros e seus pés. Adoro a sua comida, seu cheiro e a sua voz. 

Adoro(?) quando você fica bravinho, enciumadinho, e também adoro quando você me diz que me ama. 

Adoro seu abraço apertado e que me traz proteção, adoro o gosto dos seus beijos e adoro ficar deitada juntinho de você quando vemos algum filme. 

Adoro seu cabelo, o jeito como você dirige, o jeito como você fica mudando de músicas no meu carro enquanto eu estou dirigindo e como você fica bravo quando algo dá errado. 

Adoro o jeito que você segura nas minhas mãos, adoro o seu toque, seus beijos e suas provocações. 

Adoro o jeito que você mastiga a comida e o jeito que você segura os talheres enquanto come. 

Eu adoro a maneira como você me trata e adoro mais anda estar ao seu lado e poder te amar.

Continue Lendo

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Happy Hour #29 - Eventos Literários Para ir Antes de Morrer

Oi gentee!! Como vão vocês, hein? Férias, véspera de natal, descanso, livros, curtição.... imagino a vida difícil nesse fim de ano! rs Ah, e antes de mais nada, se vocês estão aí lendo essa Happy Hour é sinal de que em pleno século XXI fomos trollados por uma "profecia" Maia. O que não deixa de ser bom, não é mesmo? rsrs  

E antes de começar nossa coluna pós apocalíptica, como disse uma leitora -rsrs, gostaria de agradecer ao carinho e os comentários lindos na Happy Hour #28. E para quem ainda não viu, o assunto foi a História dos eBooks, assim que terminar de ler aqui, dá uma passadinha lá! =D 

Pensando em todo esse contexto, percebi que, já que "sobrevivemos ao fim do mundo", nada melhor que tentar aproveitar ao máximo nossa estadia por aqui., né? =D Então, hoje falaremos sobre os Eventos Literários Para ir Antes de Morrer!! (Buscando inspirações em livros famosos... '-')


Continue Lendo

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Resenha: "A última casa da rua" (Lily Blake)

Por Sheila: Oi pessoas! Venho apresentar para vocês hoje mais um livro de suspense e terror, daqueles de tirar o fôlego. Na verdade, este é o livro do filme estrelado por Jennifer Lawrence e Max Thierot, com a capa promocional do filme. Nele, seremos apresentados a Elissa, uma típica adolescente problemática filhas de pais separados e vivendo a fase de revolta característica da idade.

A mãe de Elissa, preocupada com algumas atitudes da filha e o distanciamento cada vez maior entre as duas, resolve se mudar da cidade onde moravam, uma grande metrópole, para uma pequena cidade do interior do país esperando encontrar uma vizinhança pacata e um lugar melhor a fim de que ela e a filha possam recomeçar após a separação traumática por elas vivenciada - uma dupla perda, ela do marido, Elissa de seu pai.

Após o término do relacionamento dos pais, Elissa nunca mais havia tido contato com o pai que, músico de uma banda relativamente famosa, saiu em turnê pelo mundo e não deu mais sinal de vida.
Segurando as lágrimas, ela olhou para baixo. Será que não existia, em algum lugar, um prazo oficial que determinava quanto tempo você podia chorar por causa do seu pai ausente? Ela tinha prometido a si mesma que não deixaria mais a tristeza consumi-la como nos meses que se seguiram à partida dele (...) Embora nunca tivesse contado a Sarah que passava várias horas por semana no site da banda do seu pai ... ela prestava toda atenção às letras, procurando por algum sinal de que ele voltaria para casa, de que tinha se arrependido do que tinha feito. Mas, no final, era sempre como se as músicas fossem sobre entregar-se aos excessos, deixar tudo para lá e acolher a liberdade que vem com a perda.
Mas a aparentemente pacata cidadezinha de Sycamore Lane para onde Elissa e sua mãe Sarah se mudaram guarda seus segredos. Bom, o que aconteceu no passado, na família de Carrie Anne, todos já sabiam: uma queda, uma mudança abrupta na vida de uma família, um assassinato brutal. No entanto, é o que acontece hoje na cidadezinha que os vizinhos - as vezes um tanto quanto preconceituosos - ignoram.

Afinal, como saber onde o mal se esconde? Por trás das casas abandonadas e sombrias, ou nas piscinas e festas luxuosas dos adolescentes comprometidos com obras beneficentes? Elissa se vê perdida em um mundo de aparências, onde nem tudo o que vê parece verdadeiro, e a confusão de instaura diante das ambiguidades apresentadas pela pessoas que conhece. Mas a maior pergunta de todas é: quais mistérios se escondem dentro da última casa da rua?
Elissa caminhou no ambiente, observando os bichos de pelúcia amontoados no canto. O quebra-cabeça parecia feito para uma garotinha - um unicórnio era visível em uma das peças jogadas. Quando ela se abaixou para pegá-la, notou o cabo amarrado a um dos pés da cama de solteiro. Ele estava bem esticado. Elissa virou o rosto para trás, para descobrir o que havia na outra ponta. Tudo o que viu foi um vulto, enquanto a garota partia para cima dela, soltando um grito aterrorizante.
Mas existem segredos por detrás dos segredos, e nada é o que aparenta ser. É só olhando para além do que é mostrado - para o que fica subjacente, mas para o qual existem pistas - que se consegue chegar à solução deste intrincado quebra-cabeças.
Um suspense empolgante, com um final surpreendente, um daqueles livros que você não consegue largar até chegar ao desfecho - e que desfecho. Realmente não dava para imaginar que rumo a estória tomaria. Além disso, uma linguagem simples e objetiva, diálogos bem construídos e nenhuma ponta solta. Recomendo!

Segue o trailer do filme:


Continue Lendo

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

#Dicas de livros para presentear nesse Natal!!

O post do ano passado fez tanto sucesso que não poderiamos deixar de repeti-lo, com dicas atualizadas ^^ Clique aqui para ver as dicas do ano passado!

Nessa época muita gente participa de "Amigo Secreto" e não sabe o que pedir ou dar de presente. E também sempre há aquela dúvida do que dar de presente de Natal.

Ao invés de dar aqueles presentes sem noção (porta-retrato estranho, meias coloridas, tupperwares, guarda-chuvas, roupa que não serve) e que vão deixar o presenteado traumatizado, que tal dar um livro?
Que tal ajudar a expandir o gosto pela leitura? Muita gente só precisa de um incentivo para começar! E livros são democráticos, tem para todos os gostos e idades, sempre tem aquele que vai agradar!
Seguem abaixo, dicas de livos, que na data da pesquisa, em sua maioria estão por menos R$ 30 reais e são uma boa opção de presente que vai proporcionar bons momentos de leitura a quem recebe-los.

E se você não tem a quem presentear, que tal dar a si mesmo um bom livro?

É difícil classificar os livros por gênero, fiz só para tentar ajudar, pois alguns desses podem ser classificados com mais de uma dessas categorias.

Continue Lendo

domingo, 16 de dezembro de 2012

Resenha: “A ascensão dos nove” (Pittacus Lore)

- Clique aqui para ler as resenhas dos livros anteriores

Por Juny:
Não sou a maior fã de ficção cientifica e assuntos relacionados a alienígenas, mas se tem uma série de livros com esse assunto que eu AMO é “Os Legados de Lorien”. É muita ação, descobertas e reviravoltas, a cada volume me surpreende mais.

Foi com esse sentimento que comecei a leitura de “A ascensão dos nove”, o terceiro livro da série, escrita pelo enigmático pseudônimo “Pittacus Lore”. Nesse livro a guerra entre lorienos e mogs fica mais intensa e conhecemos novos personagens.

Com a vinda do líder dos mogs, Sektrus Rá, à Terra, as coisas ficam mais difíceis para os lorienos. John sempre tem pesadelos envolvendo Sektrus Rá, que o mostram em batalhas complicadas. Seis está com Marina (Número Sete), Ella (Número Dez) e Crayton (Cêpan de Ella), eles resolvem ir à Índia verificar um boato de um garoto com poderes bem peculiares, que eles tem certeza que é um deles. Ao chegar lá, se envolvem em uma batalha entre facções rivais e depois passam por diversos testes para poder conhecer o Número Oito.

Enquanto isso, John e Número Nove estão nos Estados Unidos, exploram os artefatos de suas arcas, treinam e acabam descobrindo a aliança entre os mogs e o governo americano. Em relação ao enredo, melhor eu parar por aqui para não revelar nenhum spoiler, porque o legal nessa série é a emoção que sentimos nas batalhas decisivas.

O personagem que mais me conquistou foi sem duvidas Número Nove, com seu jeito doido e sua determinação nas batalhas, ele é apaixonante! Muito divertido ver as brigas e discussões entre ele e o John. 
– Ei, eu não estava brincando quando disse que estava entediado – Nove grita. – Não quero me fazer de bonzinho mais. Vocês decidem, mas saibam que não vai demorar muito até eu resolver me divertir. Podem nos dizer logo tudo que vocês savem, ou eu arrebento essa jaula e os obrigo a me contar. Adivinhem qual das alternativas eu vou gostar mais?
John continua um tanto chatinho se envolvendo em perigos por causa de Sarah, e agora também por causa de Sam, embora seja um dos mais fortes e possivelmente o novo “Pittacus Lore”, ele ainda precisa superar suas fraquezas. Número Seis continua sendo a brilhante guerreira loriena que arrasa nas batalhas, sensacional! Marina começa a ter mais confiança em si mesma. Número Oito é engraçado e tem poderes muito importantes. E Ella começa a desenvolver seus legados, tem bastante potencial.

A narrativa continua eletrizante e os capítulos dessa vez são narrados por John, Marina e Seis, a mudança de narrador é expressada através do estilo da fonte, cada um tem o seu.
– (...) Agora fale de Seis.
Ele esfrega as mãos sorrindo com ansiedade.
– De jeito nenhum!
– Ah, por favor, Johnny!
Eu rio é impossível não querer falar dela.
– Tudo bem. Seis. Vejamos. Bem, em primeiro lugar, ela é a pessoa mais forte que já conheci.
Nove bufa.
– Dá um tempo. Tenho certeza que consigo esculacha-lá.
– Não sei cara, espere até conhece-la.
Ele ajeita o cabelo no espelho.
– Hum, mal posso esperar.
É muito triste chegar ao fim do livro, no ápice de uma batalha e ter que esperar, pelo menos 1 ano, pela continuação, Pittacus Lore acaba comigo! E tenho esperanças de um romance entre o Número Nove e a Número Seis (meus preferidos) no próximo livro, apenas uma especulação que espero que se concretize. O único personagem que ainda não conhecemos e que ficará para o próximo livro é Número Cinco, que esteve na América do Sul e agora segue para os EUA para se juntar aos outros na batalha.
Vamos mata-los juntos ou morrer juntos.
Uma série cheia de ação, batalhas épicas e personagens cativantes, tão bem escrita que vai muito além da ficção cientifica, conquistando até mesmo que não curte esses lances de alienígenas (como eu). Recomendo muito a leitura!

Continue Lendo

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

[Gastronomia & Literatura] "Minha Vida é Andar por Esse País...

Bom Dia Pessoas,


Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, completaria hoje, 13 de dezembro, sua centésima primavera. Cantor, compositor e sanfoneiro, dono de uma voz inigualável, além disso tudo um amante da culinária popular nordestina.


Responsável por colocar o Nordeste no circuito de música brasileira. Façanha essa conquistada por meio do baião, gênero musical inventado por ele e Humberto Teixeira. O termo já existia tanto como nome do prato tradicional da culinária sertaneja, que leva arroz e feijão cozidos juntos, quanto de uma dança típica da região.


Continue Lendo

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Resenha: "21.12" (Dustin Thomason)

Por Sheila: Oi pessoas! A resenha de hoje é sobre um livro que tem uma capa bem sugestiva ... mas para contar um pouco da estória teremos que ir atrás de um pouco de história. Numa outra resenha aqui do blog (2012 A História) falamos um pouco sobre as profecias Maias: Fim do mundo, apocalipse, nova era, fim de um calendário, etc.

No livro, será dado destaque a este momento particular - que aliás, está bem próximo! - e aos 2012s, grupo de pessoas que acredita que o mundo como conhecemos está prestes a acabar. Isso considerando-se a contagem da passagem do tempo maia, que teria o fim de seu último grande ciclo nesta data. 

Mas neste livro, o protagonista é o Dr Gabriel Stanton, um especialista em doenças priônicas. O livro irá explicar em minúcias, mas "trocando em miúdos" é um especialista na "doença da vaca louca" (essa vocês já devem ter ouvido falar, se não, só colocar no google). Acontece que casos dessa doença são raros, mas surge um que vai desafiar os conhecimento do Dr Stanton.  

No hospital Presbiteriano do Leste de Los Angeles, há um paciente com os sintomas típicos de doença priônica - entre eles alucinações provocadas pela total ausência de sono. A questão é que o paciente permanece incomunicável, e todas as tentativas de diálogo mostraram-se infrutíferas, já que ninguém parece saber em que língua ele tenta se comunicar.
Nos últimos três dias ele esteve agitado na maior parte do tempo. Fez bastante barulho aí dentro. Ainda fica falando vooge, vooge, vooge o tempo todo.
Falando o quê?, perguntou Stanton.
Parece vooge. Não tenho ideia do que significa, respondeu o guarda.
Digitei isso no google e não apareceu nenhuma resposta que fizesse sentido em nenhuma língua, disse Thane.
Marino puxou as cordas de sua máscara atrás das orelhas.
Ei doutor, se você é o especialista, posso fazer uma pergunta?
Stanton olhou para Thane.
Claro.
O que esse cara tem, perguntou o guarda, não é contagioso é?
Não, não se preocupe, disse Stanton, seguindo Thane para dentro do quarto.
Acontece que o Dr Stanton estava errado: a doença não só é transmissível, como se alastra rapidamente por Los Angeles e o resto do país, gerando pânico e desolação. Mas o mais intrigante, é o que se descobre junto à Dr Chel Manu, tradutora do primeiro caso: ele é descendente do povo Maia, e há um estranho pergaminho antigo ligado às primeiras vítimas.
Chel olhou para Gutierrez, sem acreditar: Onde você conseguiu isso?
Você sabe que não posso dizer.
A resposta óbvia era que tinha sido saqueado de alguma tumba nas ruínas maias, roubado, exatamente como aconteceu com as tumbas dos ancestrais de Chel.
Quem mais sabe que isto existe?, pressionou a pesquisadora.
Só minha fonte, respondeu Gutierrez. Mas agora você compreende seu valor?
Sim, Chel era uma pesquisadora talentosa e esforçada que conhecia bem a história do povo Maia. Só não sabia que aliada a descoberta deste fragmento, um Códex de valor incalculável, poderia estar o fim do mundo como o conhecia até então. Qual a causa das mortes, que começaram com os portadores do fragmento? Haveria um explicação científica? Ou seria, como diziam os 2012s, um sinal do fim dos tempos?

Agora, Chel e Stanton tentarão embarcar juntos em busca de verdades ocultas que abalarão seriamente as crenças de Chel em seu povo, e farão Stanton reavaliar todo seu trabalho e anos de pesquisas, a fim de conseguir descobrir a verdade por trás do mito. Ou seria o mito a verdade?

21.12 é um livro tenso e cheio de reviravoltas. Começa em ordem cronológica no dia 11 de dezembro, tendo o clímax da estória no fatídico dia 21. As nuances a respeito do povo Maia, sua cultura, seu estilo de vida, tudo é muito bem explicado pelo autor, não deixando nenhuma ponta solta.  Apesar disso, me parece que houve uma certa perda de foco nos personagens, que pareceram secundários em alguns momentos, como se não fossem importantes para a trama no contexto geral.

Enfim, um thriller com um começo empolgante, apesar de que o desfecho me pareceu um pouquinho forçado, mas vou deixar a quem mais tiver lido me ajudar a avaliar.  Com o fim do ano se aproximando, estamos mais perto da data apregoada como aquela em que o mundo acabaria, apesar de que as profecias que andei vendo pela internet afora falavam de colapsos bancários, terremotos, maremotos, e afins, que ainda não aconteceram. E vocês, pelo que esperam?

Continue Lendo

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Filme: "O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus"

Levou quase dois anos para eu conseguir fazer uma resenha deste filme de hoje.
Sou extremamente perfeccionista e não sabia se conseguiria escrever uma boa resenha porque, além de “O Mundo Imaginário do Dr Parnassus” ser encantador, ele é, ao mesmo tempo, devastador para mim.

Eu nunca soube se conseguiria falar do jeito “certo” dele, sem muitas emoções e tentar afastar os pensamentos tristes que inevitavelmente me vêem a mente.

Mas hoje, decidi que quero falar deste filme psicodélico e mágico ao mesmo tempo.
Simplesmente porque eu li “Johnny Depp: Biografia Ilustrada” (que eu recomendo a todos por ser uma ótima referência à vida deste grande ator) e me encantei ainda mais por Johnny e claro, por causa de Heath Ledger.

Continue Lendo

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Novidades da Semana #43

Oi gente! Essa coluna está desaparecida porque a Debie deu um chá de sumiço, mas vou tentar passar algumas novidades para vocês. ^^

Mudanças no Facebook

Já segue o Dear Book no Facebook (Se ainda não segue, clique aqui! ;D)? Com a mudança da política  do site para distribuir as notícias nos feeds dos usuários, nem todos os que curtem a página do blog recebem os posts, por isso, quem quiser continuar recebendo nossas atualizações do face tem que fazer, conforme a imagem abaixo, clique no "Curtiu" e depois em "Motrar feeds de noticias". Thx à Pam do Garotait pela dica!


A Amazon chegou ao Brasil!

Desde de 06/12 o site http://www.amazon.com.br está no ar! Nas proximas semanas eles colocarão o Kindle à venda por R$ 299,00! Ainda não conhece o Kindle? Leia nossa review aqui e decida se vale a pena apostar nos ebooks!

Série Hush, Hush será adaptada para os cinemas

Steven Strait
Autora de SussurroSilêncioCrescendo e Finale, este último com previsão de lançamento para janeiro de 2013, Becca Fitzpatrick anunciou hoje no Twitter que a série Hush, Hush vai chegar às telonas. Os direitos de adaptação cinematográfica dos quatro livros da saga foram adquiridos pelo estúdio LD Entertainment, e o roteiro do primeiro filme será escrito por Patrick Sean Smith, do seriado americano Greek.
Até o início das filmagens, planejadas para o segundo semestre de 2013, resta aos fãs e à própria autora a expectativa sobre o elenco. Quem seriam os melhores atores para viver Patch e Nora? “Eu comecei a escrever Hush, Hush há quase dez anos, então estava imaginando atores que, obviamente, já não têm mais idade para os papéis. Eu queria Steven Strait para Patch e Emmy Rossum para Nora”, disse Becca Fitzpatrick ao Entertainment Weekly.

Continue Lendo

domingo, 9 de dezembro de 2012

#PROMO: "Floresta dos Corvos" (Andrew Peters)

Que tal ganhar um exemplar de "Floresta dos Corvos"? Confira as regras e participe do sorteio!

    Continue Lendo

    Resenha: "Destinada - House of Night" (P. C. Cast e Kristin Cast)

    - Clique aqui para ler as resenhas dos livros anteriores

    Por Paula: "Destinada", o nono livro da série "House of Night", chega como um misto de absurdos criados pela nefasta Neferet e muitas surpresas e revelações trazidas respectivamente por Rephaim e pelo círculo de Zoey.

    Há cada dia que passa o poder de Neferet com as trevas fica mais evidente, ela continua transparentemente insana e tenebrosa, e os alunos da Morada da Noite continuam aderindo ao poder que julgam ser o certo. O bom de tudo isso é que Zoey também continua determinada a fazer justiça, mesmo sem saber por onde começar, e ao seu lado todos os seus amigos a apoiam, inclusive seu fiel guerreiro Stark, que só melhora com o passar dos livros, "para a nossa alegria"!
    "Eu sorri para ele e me senti aquecida por dentro - quase aquecida o suficiente para esquecer de olhos cor de pedra da lua e do fato de que pessoas em volta de mim continuavam morrendo... "
    A Morada da Noite, porém, ganha um novo aluno e guardião (ao menos é o que Neferet anuncia), Aurox, um garoto que possui sombra de um touro. Isso mesmo, um touro! Já deu pra relembrar do conto dos touros nos últimos volumes, não?

    O fato é que dessa vez Zoey traz a marca da tristeza cravada eu seu peito pela morte de sua mãe, ainda misteriosa para eles em determinado momento. Linda Heffer foi assassinada, porém, o motivo e seu algoz é um mistério.

    Tanatos, a líder do Conselho Supremo dos Vampiros, também marca presença nesse livro e chega para finalmente se aliar a Zoey e Stevie Rae na busca pela batalha contra Neferet, que parece estar mais próxima.  A Morada da Noite também mostra mais sobre a vida de Lenobia e seu novo ajudante humano, que acreditem: "ainda dará pano pra manga" rs. Kalona também resolve se aliar ao circulo de Zoey para se vingar de Neferet e acreditem: ele é sincero quando se refere a trégua, nesse livro ele passa até a ser menos detestável, um mérito para as autoras!
    – Se você precisar de mim, olhe para oeste e siga o nosso sangue – ele começou a abrir as asas. – Lembre-se de que você é meu filho, porque eu garanto que aqueles que estão em volta de você nunca vão esquecer disso – ele subiu ao céu e, com poucas e poderosas batidas das suas asas, Kalona desapareceu na noite.
    O fato é que se tratando de vampiros, nunca achei que uma série com tantos volumes seria tão prazerosa de ler e coerente em suas histórias como House Of Night tem sido. Cada livro que passa traz uma história complicada, mas sempre resolvida, e ainda muita emoção num piscar de olhos, pois todos os livros não passam de meros dias corridos na vida dos personagens. Se vocês curtem todas as cenas de ação, os círculos, poemas de Kramisha e as revelações que estão aguardando, então leiam Destinada, pois esse volume traz o que há de melhor em ação, mistério, revelações, fatos que só o querido Damien consegue enxergar e muitos, mas muitos conflitos que só a nossa inconfundível protagonista Zoey Redbird pode-se destinar a resolver. Recomendadíssimo!

    Continue Lendo

    sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

    Happy Hour #28 - História dos e-Books

    Oii gente!! Como vão vocês? Acho que a maioria deve estar de férias, né?! (inveja branca) Sim, eu sei. Passei mais de quinze dias sem ver vocês. Saudades da Gabi? (sei que sim, confessem -rsrs) E aí, vocês gostaram do Miniaturismo? Foi o assunto da Happy Hour #27, corre lá depois se ainda não tiver visto! ;D E obrigada pelos comentários e elogios, vocês sabem que eu amo! *-*



    Mas vamos parar de blá-blá-blá e ir ao nosso tema de hoje? Bem, como eu conto aqui, às vezes, minhas 'inspirações' para os nossos assuntos surgem de maneiras bem inusitadas. Outro dia, voltando para casa, no ônibus, me peguei pensando em uma das pausas da leitura, "Como será que surgiram os e-Books?" e fiquei intrigada com aquilo... Então pensei, isso daria uma Happy Hour beem bacana,   Pois cá estamos, meus caros!! E a bola da vez é a História dos e-Books!! Preparados?

    Continue Lendo

    quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

    [Gastronomia e Literatura] Gastronomia & Arquitetura


    Boa Tarde, Pessoas

    Infelizmente perdemos um dos maiores nomes da arquitetura mundial, Oscar Niemeyer. Na noite de ontem (05.12.12 - quarta-feira) ele veio a falecer devido à uma infecção respiratória aos 104 anos de idade.

    "Ele tinha uma obsessão pelo trabalho. Ele sempre falava muito que precisa voltar para o escritório logo, que ele tinha projetos atrasados. Então acho que isso fez ele chegar tão longe, e ele tinha esse entusiasmo que ele nunca perdeu", afirmou o sobrinho Paulo Niemeyer a jornalistas na porta do hospital, pouco depois da morte por volta das 22h.

    Continue Lendo

    quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

    Resenha: "Necrópolis" (Douglas MCT)

    Por Sheila: Oi pessoas! Hoje vim apresentar a vocês mais um livro de um autor brasileiro, na verdade o primeiro livro de uma série. Este livro 1 de Necrópolis intitula-se "A fronteira das Almas. Nosso protagonista é um jovem órfão de 20 anos, Verne Vipero, que vive junto com seu irmão, Victor, de 13 anos, num orfanato na Itália.

    Já de início percebemos que há algo que perturba Verne: olheiras, humos irritadiço, discussões sem motivo aparente com seu irmão e a afável administradora do orfanato Sophie Lacet, que tem pelos meninos um carinho especial por ter sido amiga de sua falecida mãe.

    Se a princípio o autor nos dá a atender que o mau-humor de Verne tem a ver com sua transição de adolescente à adulto, bem como a uma rivalidade com outro jovem em função de seu amor não correspondido por Arabella Orr, no desenrolar da trama vemos que há outras coisas mais sombrias perturbando o mais velho dos Vipero.

    Mesmo seu AI Chax - seu Amigo Imaginário - não consegue fazê-lo melhorar o humor, só o irrita mais. Uma característica importante é que os AIs costumam acompanhar as crianças apenas até os 15 anos, não havendo explicação para o motivo do AI de Verne ainda não tê-lo deixado. Na verdade, os AIs são aceitos pelo mundo adulto, considerados uma parte da personalidade das crianças que será incorporada naturalmente quando for chegada a hora.

    Na verdade, os dois parecem levar uma vida pacífica, Verne com seus conflitos e Victor com seus folguedos junto aos amigos e o despertar das primeiras paixonites, quando o impensável acontece: de alguma forma Victor e seus amigos são envenenados por um gás que lhes garante uma morte horrenda e dolorosa. É quando os limites entre o mundo real e a fantasia começam a se romper para Verne Vipero, procurado por um cigano que é mais do que aparenta ser. 
    - Sou eu Verne - disse o homem acenando. - Vim como o prometido.
    - O que você quer afinal? - indagou com um suspiro aborrecido (...)
    - Os membros das outras famílias não me ouviram, então vim na esperança de que você pudesse me ouvir. Me diga: no que você crê?
    Foi a vez do rapaz hesitar, tentando compreender a pretensão da pergunta. 
    - Acredito em mim, acreditava em Victor. Acredito em algumas pessoas, amigos próximos.
    - E algo acima disso?
    - Você se refere a algo sobrenatural? Não, eu não creio em nada.Nem em assombrações nem em Deus. Sou cético.
    No entanto, todo este ceticismo está prestes a ser abalado já que este não é um cigano comum: seu nome é Elói e, na verdade, ele não é deste mundo. Segundo as histórias contados pelo Velho Saja, um dos ciganos anciões, o universo é formado por oito círculos: Sheol, de onde vêm as criaturas demoníacas; Sonhar, lugar onde surgem os devaneios; Magia, habitada por seres encantados; Isolação; Ilusão; Bestial, das feras adormecidas; Moabite e o Círculo da Criação, origem de tudo e todos.

    É do sétimo círculo, Moabite, que vem Elói, mas especificamente de Necrópolis, O Mundo do Mortos. Mas o mais surpreendente é ao que Elói se propõe ao procurar Verne: ajudá-lo a procurar pela alma de Victor, seu irmão, antes que ele atinja o Abismo sem volta. Assim, de uma hora para outra, o cético Verne embarcará em uma aventura por um estranho mundo com Zumbis, doendes, gigantes, vampiros e outras criaturas fantásticas que, para ele, só existiam em contos infantis.
    - Não estou vendo nada. Só estamos nós dois neste lugar.
    - Tenha paciência.
    O rapaz resolveu respirar fundo. Seu ceticismo era maior que ele, e mesmo depois de ter visto fantasmas em seu próprio quarto, ainda resistia a crenças de criaturas do além-mundo (...)
    Uma luz diferente surgiu do outro lado do túnel, era intensa, porém pequenina. Alternava as cores branca e dourada, e era o brilho mais belo que Verne já tinha visto.
    - Era uma fada Verne - revelou Elói (...)
    Recobrado, o jovem Vipero esfregava as mãos com furor. Parecia estar confuso e chegou a pensar que, talvez, apenas quisesse estar confuso. Mas não tinha mais motivos.  Ele tinha visto fadas. Não podia mais negar a existência de seres mágicos.
    No entanto, como Elói foi banido, não poderá acompanhar o jovem Vipero em sua jornada. Agora, em Necrópolis, Verne encontra novos aliados que o ajudarão em sua busca para resgatar a alma de seu irmão, antes que esta caia no Abismo. 

    Apesar do elaborado da trama, e a criação de todo um novo mundo por Douglas MCT, com criaturas fantásticas e acontecimentos inesperados, além de possuir uma narrativa ágil e direta, não consegui gostar muito do livro. Primeiro por que ele faz parte de uma série, pelo que Douglas nos diz em sua nota inicial bem extensa, e ficam diversas perguntas que espero serem esclarecidas nos próximos volumes.

    Mas principalmente, não consegui me identificar com os personagens, torcer por eles, sofrer com eles, chorar com eles. Mas a capa e a arte do livro ficaram lindíssimas, e dá para ver o quanto o autor é atento aos detalhes, e a leitura é bem fácil, consegui lê-lo em um dia. Assim, recomendo que você (s) leia (m) até para que possamos comparar nossos pontos de vistas ok? Abraços e até a próxima.

    Continue Lendo

    domingo, 2 de dezembro de 2012

    #Promoção Natal entre Amigos 2


     

    Continue Lendo

    Resenha: “Adormecida” (Anna Sheehan)

    Por Juny: Pelo nome e pela capa, imaginei um romance bem água com açúcar, uma releitura distópica de “A bela adormecida”, como muitas outras que tem aparecido sobre outros contos de fada.

    Grande engano! Um livro cheio de ficção cientifica! É sério! Com isso, fiquei com um pé atrás no começo, achei tudo muito estranho, toda a tecnologia futurista, poucas semelhanças com o conto... Mas passados os preconceitos, contarei um pouco de como esse livro me conquistou.

    Rose é herdeira de uma empresa muito poderosa que controla diversos produtos e serviços na Terra e em outros planetas. O livro começa quando um garoto, Brendan, a acha adormecida em um “tubo de estase” (pense em uma maquina com agua dentro, que conserva uma pessoa, e ela fica sonhando belos sonhos enquanto fica lá e nunca envelhece). Ele fica desesperado quando a retira do tubo, faz respiração boca-a-boca para reanima-la e a leva para um hospital. Lá descobrem que ela é Rose Fitzroy, tecnicamente tem 16 anos e que ficou adormecida por mais de 60 anos!

    Rose fica chocada com tudo isso. Ela sofre com os efeitos da estase prolongada e tem dificuldades para comer e precisa fazer fisioterapia. Rose não consegue aceitar que todos que conhecia já morreram (principalmente seu amado Xavier) e que o mundo mudou completamente. Sr. Guillory, atual presidente da Unicorp, dá toda assistência a ela e a acompanha numa coletiva com a imprensa. É tudo muito estranho para ela.
    Tudo era tão perfeito com Xavier. A amizade se transformou em amor tão rapidamente que mal sabíamos dizer qual a diferença entre as duas coisas.

    Até ai o livro ainda é comum e confuso, mas a autora consegue se sair muito bem no desenvolvimento. Conhecemos mais do passado de Rose, sua paixão por Xavier e seu relacionamento conflituoso com seus pais, os quais em qualquer briga ou momento que precisassem se livrar da filha (uma viagem longa, uma reunião, etc), a colocavam em estase por meses. Eles a controlavam e a mantinham como uma criança obediente, que envelhecia muito devagar.
    Rose tenta se adaptar a época em que acordou e conta com a ajuda de Bren na escola. Com isso surge um romance platônico. Bren a apresenta a seus amigos e tenta integra-la na turma. É nesse momento que conhecemos o personagem mais fascinante do livro, Otto, uma espécie de alienígena azul, desenvolvido em laboratório a partir de uma bactéria encontrada na Europa. Ele não fala, mas quando ele toca a pessoa ele consegue entrar em sua cabeça, ver seus sentimentos, suas lembranças e conversar, do seu modo. Quando ele faz isso com Rose fica muito assustado, pois ela tem diversos pontos obscuros, que ele nunca viu.

    E para completar essa aventura, além de um pouco de romance, temos muita ação, pois Rose está sendo perseguida por um Plastine, um robô programado para mata-lá. E muita gente tem interesse em mata-la, por isso é difícil saber em quem confiar.
    “Contra todas as possibilidades eu ainda estava viva. (...) Eu era a rosa. Eu era a roseira selvagem.”
    Rose apesar de muitos momentos de confusão, é uma boa protagonista que amadurece muito durante o decorrer do livro. Bren é aquele cara legal que todo mundo gostaria de ter como amigo. E Otto, é um alien extremamente sensível, misterioso, cativante e apaixonante, meu xodó desse livro.
    “Você poderia ser meu.” – escrevi. E tive de escrever rápido, pois sabia que, do contrário, não iria conseguir. – “Eu poderia lhe dar amor. Sou tão anormal quanto você, e não pareço pertencer a ninguém. Você é o único que parece combinar comigo. Podemos ser uma família”.
    No final, a autora surpreende com o desfecho e deixa um gancho que pode gerar uma continuação! Esqueça o conto de fadas e entre sem preconceitos nessa aventura cheia de ação e reviravoltas, tenho certeza que você vai se surpreender tanto quanto eu com essa leitura!

    Continue Lendo

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
     
    Layout de Giovana Joris