segunda-feira, 10 de junho de 2019

Resenha: "Wild - Quebrando as Regras 2" (Liz Spencer)


Sinopse: Uma coisa é certa sobre mim: eu sou um fora da lei.

Tendo vivido uma adolescência destruída, sou considerado louco, assassino e me tornei presidente de um dos mais temidos MCs do estado da Califórnia.

Todo homem como eu tem seu pequeno segredo sujo. Eu posso dizer que possuo vários, muitos deles me tornaram inabalável. Em contrapartida, barreiras internas podem se tornar facilmente instáveis quando o passado resolve te abalar. Quando os fantasmas de um mundo esquecido decidem colidir com o presente e bagunçar o seu futuro.
O primeiro impacto veio quando ela reapareceu e me pediu por ajuda.
O segundo golpe veio quando resolvi lhe estender a mão.
Mas minha bondade não passava disto.
Eu não sou o cavaleiro de armadura que ela tanto acreditava. Eu não o herói da história, o príncipe no cavalo branco, nem mesmo o maldito sapo.
Eu sou o que sou, e isso é tudo.
Chame-me de Knife, se preferir. Chame-me de homem da sua vida, insano e sanguinário ou de grande bastardo sujo.
Eu só tenho uma observação a fazer:
Jamais, em hipótese alguma, se iluda com o meu sorriso torto ou procure por bondade em meu par de olhos escuros...
Talvez você não esteja preparado para o que possa encontrar por lá.

Por Jayne Cordeiro: Wild é o segundo livro da série Quebrando Regras. Os livros são independentes, mas é claro que eu recomendo a leitura do primeiro Broken, porque é muito bom. Sobre Wild, eu fiquei super animada quando descobri que o livro usaria como tema um Motoclube. Adoro os romances desse universo, apesar de alguns esteriótipos não tão legais. Todos os livros dessa categoria que eu li foram escritos por americanas, onde esses clubes são mais fortes. Foi muito legal ver  um autora brasileira retratar tudo tão bem. E foi um dos melhores do gênero que eu já li.

— Se algo acontecesse com você, eu os caçaria até no inferno e alimentaria os filhos da puta com seus próprios paus. Isso é fato. Pisquei algumas vezes, sentindo meu coração bater ainda mais forte com sua declaração. Eu seria muito desequilibrada em dizer que sua resposta havia sido adorável? Bem, adorável não era a palavra mais adequada para se dizer, no entanto era a forma Héctor de ser adorável. — Obrigada por isso... eu acho — falei timidamente.

Hector e Jazmine tiveram uma infância difícil. Cresceram juntos até Hector ir embora e Jazmine ficar com o pai. Anos depois, mais velhos, Jazmine segue para a cidade onde Hector mora e é presidente dos Renegade Souls, um motoclube  que possui alguns negócios fora da lei. O reencontro não é nada do que ela imaginava, mas os dois acabam se aproximando. Gostei de como o Hector consegue ser forte, duro, com os outros, mas ao mesmo tempo muito doce com ela. Ele tem um jeito mais bruto, não é do tipo que mede as palavras, mas consegue conquistar. Ele é altamente sexy, então não dá pra ninguém resistir a ele.

— Mas talvez seja compreensivo o fato de eles a desejarem. — Suas mãos subiram pelas minhas coxas e depois acariciaram meus quadris. — Você é tão bonita. Tão incrivelmente sexy. — Com um puxão brusco, ele me virou de frente para si. Seus intensos olhos negros me devoravam. Perdi-me dentro deles por um momentâneo instante. — Mas você é minha. Apenas minha, Jazmine.

Jazmine consegue ser uma boa mistura de menina ingênua e de personalidade forte. Ela não deixa que ninguém passe por cima dela, mas pensa muito nos outros também. O relacionamento deles acontece de forma muito real, aos poucos. Não é aquela coisa de "olhou, apaixonou", apesar de os dois já trazerem sentimentos da infância. O livro vai esquentando aos poucos, e ele traz várias cenas hots, que são muito bem escritas. Na verdade, todo o livro é bem escrito. A história é bem conduzida, o suspense envolvendo um mistério especifico vai se desenvolvendo bem.

— Deus! — lamentei, levando a mão à boca. Notei Héctor vir em minha direção, e mais um grito rasgou minha garganta quando outro tiro atravessou a janela, sendo acompanhado por uma verdadeira rajada de balas. O corpo de Héctor caiu sobre o meu, então fui arrastada com ele pelo piso escuro. Eu estava em estado de choque, desnorteada, mas ainda tinha ciência de que se não saíssemos dali, morreríamos os dois. 

O livro traz, além do romance hot, mistério e ação. Ele não tem tanta ação quanto o Broken, mas possui seus momentos mai animados. Há realmente uma história no livro, ele não parece uma desculpa para cenas hots, como as vezes vemos por ai. A autora consegue criar bons personagens, situações envolventes, que vão entreter bem quem gosta do gênero romance hot. E para quem gosta de romances MC (motoclube), esse vai te conquistar.

Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta

Compre na Amazon através do link e continue ajudando o Dear Book a crescer:

comentários

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

 
Ana Liberato