sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Resenha: "Um Marido de faz de conta" (Julia Quinn)


Tradução: Thaís Paiva

Sinopse: Enquanto você dormia…
Depois de perder o pai e ficar sabendo que o irmão Thomas foi ferido durante uma batalha nas colônias, Cecilia Harcourt tem duas opções igualmente terríveis: se mudar para a casa de uma tia solteira ou se casar com um primo vigarista. Então ela cruza o Atlântico, determinada a cuidar de seu irmão pelo tempo que for necessário. Só que, após uma semana sem conseguir localizá-lo, ela acaba encontrando seu melhor amigo, o lindo oficial Edward Rokesby. Ele está inconsciente, precisando desesperadamente de cuidados, e Cecilia promete salvar a vida desse soldado, mesmo que para permanecer ao lado dele precise contar uma pequena mentira...
Eu disse a todos que era sua esposa
Quando Edward recobra a consciência, não entende nada. A pancada na cabeça o fez esquecer tudo que aconteceu nos últimos três meses, mas ele certamente se lembraria de ter se casado. Apesar de saber que Cecilia Harcourt é irmã de Thomas, eles nunca foram apresentados. Mas, já que todo mundo a trata como esposa dele, deve ser verdade.
Quem dera fosse verdade…

Por Jayne Cordeiro: A pouco tempo postei a resenha do primeiro livro da série Os Rokesbys, "Uma dama fora dos padrões". E agora venho trazer "Um marido de faz de conta", que é o segundo livro da série. Esta super curiosa para esse livro, porque ele traz uma premissa que adoro: um casamento logo no começo. E nesse caso ainda é mais legal, porque não houve um casamento de fato, mas o nosso mocinho acredita que sim. Com isso, temos uma interação muito próxima entre os protagonistas, e é claro, Edward já tomando várias liberdades com a "esposa".

Eu me apaixonei por esses dois. Edward é extremamente divertido e bem humorado, apesar de estar bem debilitado no começo, após se machucar. Ele segura muito bem a onda de acordar casado com alguém. Cecilia viaja para o Novo Mundo, querendo ajudar ao irmão, e acaba assumindo os cuidado de Edward. Gostei de como eles não eram tão desconhecidos quanto imaginei que seriam, já que os dois já se correspondiam através das cartas que Cecilia trocava com o irmão. O que é mostrado no livro e garante momentos divertidos e também doces.

Achei esse bem interessante, por trazer um ambiente bem diferente do que os livros da Julia costumam passar. Em vez de se passar em bailes ingleses e mansões no interior, vivenciamos o território americano, com todo o atrito que envolve a guerra entre colonos e colonizadores. Nesse ambiente em meio a guerra, o clima é mais liberal, cheio de curiosidades e com uma pitada de aventura. A autora acaba abordando uns pontos bem mais sérios e dramáticos do que o habitual, e isso é bem refrescante. 

Gostei bem mais desse livro do que o primeiro, apesar dele também ser ótimo. Mas "Um marido de faz de conta" tem todo um destaque, que acaba colocando ele naquele grupo de livros inesquecíveis e entre os melhores que autora já publicou por aqui. Vale muito a pena conferir essa história e dedicar um espaço no coração, para essa família que também sabe nos conquistar.

  



Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Resenha: "Mister" (E. L. James)



Tradução: Julia Sobral Campos, Cássia Zanon, Maria Carmelita Dias e Catharina Pinheiro

Sinopse: Maxim Trevelyan é inglês, bonito, rico, nunca precisou trabalhar e quase nunca dorme sozinho. Essa vida fácil muda quando uma tragédia acontece e Maxim herda um título de nobreza, as propriedades da família e toda a responsabilidade que vem com isso. É um papel para o qual ele não está preparado, e que agora deve se esforçar para desempenhar.
Mas o maior desafio de Maxim vai ser lutar contra a atração por uma jovem enigmática que conheceu recentemente e que guarda um segredo do passado. Discreta, Alessia é misteriosa e sedutora, e logo o desejo de Maxim por ela se transforma em algo que ele nunca experimentou e não ousa nomear. Mas, afinal, quem é Alessia Demachi? O que ela esconde? Maxim será capaz de protegê-la do mal que a ameaça? E o que ela fará quando souber que ele também tem seus segredos?
Do coração de Londres, passando pelo cenário rural da Cornualha até a sombria e ameaçadora beleza dos Bálcãs, Mister é uma história de amor e suspense que vai deixar os leitores de E L James apaixonados.

Por Jayne Cordeiro: Mister é o mais novo lançamento da autora conhecida pela trilogia 50 Tons de Cinza. Como uma leitora da trilogia, e fã, fiquei ansiosa para ler esse livro. E ainda mais por mostrar um membro da aristocracia inglesa na atualidade. Isso porque Maxim é o novo Conde, apenas porque seu irmão mais velho morreu tragicamente. Como era de se esperar, Maxim era a ovelha negra da familia, ssem nenhuma responsabilidade. Mas agora, além de lidar com a morte do irmão querido, precisa lidar com as responsabilidades que a herança traz.

No começo, não gostei muito do Maxim, porque ele começa extremamente galinha. Mas, como sempre, ele muda quando conhece e se envolve com a nossa mocinha Alessia. Uma estrangeira, que veio fugida para a Inglaterra, e que guarda um segredo. Pode ter quem não goste muito dela, porque Alessia é realmente uma donzela em perigo. Ela é extremamente tímida, fruto de uma criação bem antiquada, e quase não teve contato com o sexo oposto. Mas eu gostei dela, principalmente de como ela se desenvolve depois do romance começar.

As cenas dos dois juntos são muito boas, e o Maxim vira um amorzinho. A história tem essa coisa da plebeia se envolvendo com um lorde, e lidando com as diferenças entre os dois. Mas a autora nem foca tanto nisso. Há mais de mistério e ação, com o passado que persegue Alessia. Esta tem um talento especial para o piano, que me atraiu, por adorar musica classica. Imaginava que isso seria mais aproveitado na história, mas acabou não sendo.

Na verdade, o livro termina com um final, mas há algumas pontas soltas que poderiam ser aproveitadas em um segundo livro, e acabei a leitura com vontade de saber o que viria depois. O livro tem um enredo bom, apesar de sem grandes surpresas. É um romance doce, mas recheado de cenas hots, e sem a pegada Dom/Submissa de 50 Tons. A história conseguiu me prender até o final, e acabei muito rápido. Acho que vale a penar ler e tirar suas  próprias conclusões. Mas para mim, foi um bom retorno da autora.




Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta



 
Ana Liberato