sexta-feira, 20 de maio de 2022

Resenha: "Se liga, Dani Brown" (Talia Hibbert)

 

Tradução: Lígia Azevedo

Sinopse: Dani Brown precisa de um sinal. Tudo que ela quer é alguém com quem possa se divertir, sem complicações ou sentimentos envolvidos. O problema é encontrar essa pessoa, por isso ela pede ao universo que lhe avise se aparecer alguém que preencha os requisitos.

Quando acaba presa em um elevador durante um treinamento de incêndio e é resgatada por Zaf, o segurança rabugento de quem é mais ou menos amiga, Dani pensa ter entendido o recado e começa a bolar um plano para seduzi-lo.

Nenhum dos dois espera que o resgate gere rumores de que eles estejam juntos. Muito menos que tais rumores tragam benefícios para suas vidas, o que os leva a encenar um namoro de mentira.
Nos bastidores, porém, Dani continua firme com seu plano de seduzir Zaf e conseguir o que quer, mas aos poucos essa amizade colorida se torna mais complicada que sua tese de doutorado.
Será que o tiro saiu pela culatra? Ou será que esse é o verdadeiro sinal do universo e Dani só precisa se ligar para ver?


Por Jayne Cordeiro: "Se liga, Dani Brown" é o segundo livro da trilogia focada nas irmãs Brown, que começou com o livro "Acorda pra vida, Chloe Brown". Dani é a irmã do meio, que não quer saber de relacionamentos sérios, só parceiros de sexo, já que não gosta de se envolver emocionalmente. O foco de Dani é a sua carreira como doutoranda e professora de uma universidade. Após o fim da sua última "amizade colorida", Dani está a procura de um parceiro, e não pode deixar para trás a ideia de que Zafir, o segurança do prédio onde dá aula, pode ser a melhor opção. Afinal o homem é sexy demais.

Dani e Zafir desenvolveram uma amizade, cheia de comentários espertos, mas não poderiam ser mais diferentes. Enquanto Dani não que envolvimento, Zafir lê romances e deseja um relacionamento sério. Mas um vídeo que viralizou nas redes, colocam os dois como um casal, e isso acaba impulsionando uma ONG que Zafir possui. Para ajudar a atrair mais investidores para o projeto, ele e Dani decidem fingir um romance. Para Dani é a chance de conseguir atrair o grande homem, e ex jogador de rugby para a sua cama, já para Zafir, pode ser a chance de mostrar para Dani que nem todo relacionamento é opressivo.

Eu amei esse livro. Já tinha gostado muito do primeiro, mas esse conseguiu ser ainda melhor. Zafir é aquele homem paquistanês grande, forte e que fecha a cara, mas que por trás lê romances melosos, tem ansiedade e deseja um "para sempre". Dani já é aquela mulher decidida, fora do estereótipo de personagem feminina, sendo acima do peso, negra e bissexual. Ao mesmo tempo em que é uma acadêmica, decidida, que sabe o que gosta. Eu gostei muito de como eles se completam.

Os diálogos são espertos e divertidos. Os personagens secundários também são ótimos, e garantem ótimas risadas. É tudo tão legal, que a leitura passa tão rápida, que nem dá pra sentir. Apesar do ar divertido e desbocado, a história apresenta temas bem interessantes, com a ansiedade do Zafir e sua ONG voltada para incentivar os jovens a lidar com suas emoções, como também relacionamentos tóxicos, empoderamento e equilíbrio entre carreira e vida pessoal. E quem gosta de romances divertidos, com a dose certa de cenas quentes, esse aqui é o livro ideal. Dá para ser lido separadamente do livro da Chloe, mas com certeza, vale a pena ler os dois livros.



Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta




segunda-feira, 16 de maio de 2022

Resenha: "Encontro à Meia-noite" (Emma Castle)

 

Tradução: Lígia Barros

Sinopse: Diana Kingston estava devastada. Seu pai tinha uma doença terminal, os médicos já não davam esperanças. Ela gostaria muito de ter poderes para mudar essa situação…Então, após um pedido muito fervoroso, ela recebeu a notícia de que seu pai estava curado, mas, também chegou uma carta de um estranho. Sexy, tentador e misterioso.

Lucien Star. Ele foi o responsável por aquele milagre. O que ele queria em troca? Três meses do tempo dela à disposição dele. O que no princípio mostrou-se assustador, passou a ser um encontro muito aguardado. Os dias passam, o prazer aumenta. Agora, ela só queria que aquele encontro à meia-noite durasse mais… durasse para sempre.


Por Jayne Cordeiro: Diana está com o pai internado no hospital, sem esperanças de sobreviver, após um a dura luta contra um câncer. Ela seria capaz de qualquer coisa, para ajudar ao pai, e é assim que ela acaba fazendo um pacto com Lucien Star. Em troca da cura do pai, ela promete três meses do seu tempo para ele, fazendo o que ele quisesse. Diana fez literalmente um pacto com o Diabo, e enquanto no começo, ela temia o que esses encontros traria, agora ela espera ansiosamente cada noite. Será possível que exista algo de bom por trás daquele anjo caído?

Quando eu li esse livro, tinha acabado de ler "Amor Selvagem", que já resenhei por aqui, e que gostei muito. Adorei a escrita da autora e fui correndo atrás demais, e foi assim que acabei nesse livro, que também me conquistou rápido. Adoro histórias em que o mocinho (ou vilão no inicio), tem aquela fama de ruim, mas que a gente vai descobrindo outro lado, e é o que acontece aqui. Temos também aquele mocinho poderoso, o que é outro ponto a favor na história.

Adorei as interações deles, e como o relacionamento vai se desenvolvendo. A história trás anjos, demônios, um pouco de ação, mas o foco é mais no romance, e também na vida de Lucien, como ele foi parar na Terra, e como ele se sente sobre isso. É um livro curto, mas envolvente, com um romance gostoso de acompanhar. É um ótimo livro para relaxar. Continuo gostando muito da escrita da autora, e de como constrói os seus personagens. E esse teve um final bem legal, com uma reviravolta inesperada. Recomendo!


Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta

sexta-feira, 13 de maio de 2022

Resenha: "Boa Garota" (Jana Aston)

 

Tradução: Alline Salles

Sinopse: Sempre fui uma boa garota. Trabalho duro, sigo as regras, sempre conquisto meus objetivos. Mas, às vezes, boas garotas querem coisas que não são boas para elas. Ou alguém que não é bom para elas. Tipo seu novo chefe. E, às vezes, elas fazem coisas ruins para chamar sua atenção.

Como vender a virgindade em um leilão. Quem diria que ele ficaria tão, tão bravo? Talvez esse não tenha sido meu melhor plano…


Por Jayne Cordeiro: Em "Boa Garota" somos apresentados a Lydia, uma jovem certinha, que foi escoteira, boa aluna, e que está para começar seu primeiro emprego após a faculdade. Ela tem um hobby bem diferente, e costuma levar as coisas ao pé da letra. Nunca se apaixonou na vida, por isso ainda não encontrou o homem certo para a sua primeira vez. Isso até ela conhecer Rhys,um homem intenso, sexy e que faz o mundo dela balançar, no único encontro que acontece, em um bar local.

Mas olha a surpresa, quando ela descobre que ele agora é o chefe dela. E Lydia não consegue tentar chamar a atenção dele, sem acabar passando vergonha. Se em um momento ele parece interessado nela, em outro se afasta rápido. Então Lydia decide tomar medidas desesperadas, participando de um leilão, pela primeira vez dela. Rhys não aceita isso muito bem, e pode ser que o plano dela dê muito errado, ou ela consiga o que quer.

Temos aqui um clássico. Aquele velho e popular clichê do CEO e a virgem, do chefe e a funcionária. E eu gosto deles, ainda mais para ser aquela leitura leve, descontraída, apenas para relaxar. O que realmente temos aqui. Mas o que me atraiu mais nesse livro, e me fez devorar ele, foi o humor. Eu me diverti demais com esse casal. A Lydia é tão literal e sincera no que fala, que cria as situações mais bem humoradas. E a reação do Rhys a ela, tentando entendê-la, se entender, como o homem que não que relacionamentos, mas não consegue se afastar dela. Tornou tudo uma leitura muito boa.

A Lydia me pareceu uma daquelas pessoas com Síndrome de Asperger, ou algum outro espectro autista, mas isso não é abordado no livro, então pode ter sido só uma impressão minha. Mas o livro tem a dose certa de cenas quentes, romance e cenas divertidas. É um livro curto, com uma leitura fácil, ótimo para aquele dia em que se quer esquecer uma leitura pesada, ou só relaxar. Nunca tinha lido nada da autora, mas ela me conquistou. Pretendo ler o outro livro dela, recém lançado pela editora, que é com a amiga da Lydia, e promete também muito diversão.


Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta



segunda-feira, 11 de abril de 2022

Resenha: "Acorda pra vida, Chloe Brown" (Talia Hibbert)

 


Tradução: Ligia Azevedo

Sinopse: Depois de quase ser atingida por um carro em alta velocidade, Chloe Brown se deu conta de que seu obituário seria um tanto entediante. Para reverter essa situação, ela decide montar uma lista de atividades necessárias para finalmente "acordar para a vida".

Mudar assim não é nada fácil, mas, para sua sorte, Chloe encontra alguém que — mesmo a contragosto — pode ajudá-la nessa missão. Seu vizinho Red Morgan é um motoqueiro misterioso, que tem várias tatuagens e mais sex appeal que uma estrela de Hollywood.
No entanto, um acordo leva Chloe e Red a se aproximarem e perceberem que suas primeiras impressões um do outro estavam erradas. E que, mesmo com traumas do passado e receios quanto ao futuro, o amor nunca perde a chance de surpreender.


Por Jayne Cordeiro: "Acorda pra vida, Chloe Brown" nos apresenta Chloe, uma jovem que vive com as dificuldades causadas pela Fibromialgia.  As dores constantes, a fizeram evitar muitas coisas na vida, como também se afastar das pessoas. Cercada por uma familia carinhosa, meio louca, e muito preocupada com sua saúde, Chloe decide se mudar para um prédio, que conta com o zelador mais gato que ela já viu, e que ainda causa vários efeitos no seu corpo. Mas ela não quer contato nenhum com ele. Mas Red, o zelador motoqueiro e pintor, pode ser a pessoa que vai ajudá-la a cumprir uma lista de desejos para finalmente tirar Chloe, da vida entediante que leva.

Quando acabam chegando a um acordo de negócios, a convivência forçada entre Red e Chloe, vai mostrar que eles podem ter se engando sobre o outro, além de levantar desejos e a necessidade de questionar o que cada um  pode fazer, para fugir dos hábitos ruins, e tomar decisões importantes, para a vida que desejam levar a partir de agora.

Eu amei esse livro. Adorei a escrita divertida da autora, as tiradas bem humoradas, as situações cômicas, sendo uma história que também mostra o drama, de quem tem que viver com uma doença, muitas vezes incapacitante, e como relacionamentos abusivos, podem causar uma baixa autoestima, que te faz duvidar de si mesmo. Amei os protagonistas, Red por ter aquela aparência de bad boy, com tatuagens, cabelo comprido e moto, mas que na verdade é um fofo, que não resiste a ajudar os outros, e sofre com suas dúvidas internas. Já Chloe é uma mocinha que foge muito do que vemos em livros de romance, sendo gordinha, negra e com uma doença tão pouco falada. Uma mulher forte, que se adaptou as suas dificuldades, meio ranzinza, mas ainda doce e acolhedora. 

A leitura é envolvente, divertida, com uma dose certa de drama. Dei várias risadas com diversas cenas, e também me derreti de amores por todos os personagens. As interações entre Chloe e Red, como também deles com os personagens secundários, foram muito boas, e me deixou muito ansiosa por mais, com os livros das irmãs da Chloe, que também estão sendo lançados. O livro desenvolve bem o relacionamento dos dois, sem correr, apesar da forte atração entre eles. É uma leitura que recomendo demais!


Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


segunda-feira, 4 de abril de 2022

Resenha: "Amor Selvagem" (Emma Castle)

 

Tradução: D. Dias

Sinopse: Enquanto fotografava a vida selvagem no coração da África, Eden Matthews se viu diante da maior aventura de sua vida: um lindo homem vivendo na selva entre os gorilas.

Depois de ter sua vida salva por esse homem totalmente adaptado à vida em meio à natureza, Eden decide descobrir seu passado trágico e o que o levou àquela situação. Mas, logo ela percebe que seria muito difícil tirar a natureza de dentro dele; e quando o interesse passa de investigativo
para romântico, torna-se quase impossível resistir ao chamado desse amor selvagem.

Por Jayne Cordeiro: "Amor Selvagem" é uma releitura da clássica história de Tarzan. Eden está em uma passeio, visitando uma floresta em Uganda, quando seu grupo é atacado por criminosos. No momento em que ela tinha certeza de que morreria, ela acaba sendo resgatada por um homem misterioso, e que agia mais como um animal do que como um homem. Surge a oportunidade de conhecê-lo melhor, e entender como um ser humano sobreviveu tantos anos morando na selva africana, além de investigar os criminosos, para buscar justiça e proteger a floresta.

Thorne percebeu quando criança, que ele não era um gorila, como sua família. Desconhecendo seu passado, ele aprendeu a viver na floresta, integrado a natureza e seus animais. Se tornando um defensor da floresta, ele nunca imaginou que encontraria uma mulher como Eden. A curiosidade pela cultura humana, e os sentimentos que ela lhe despertam, levam Thorne a querer protegê-la, ao mesmo tempo que ele acaba descobrindo mais sobre o seu passado, e o que o destino e a floresta planejaram para ele.

Eu gosto muito da história do Tarzan, e não pude resistir a ler esse livro, que me conquistou em poucas páginas. Apesar de uma história curta, com um pouco mais de 230 páginas, eu achei a história muito completa. Temos alguns temas bem interessantes abordados, como a caça ilegal e a destruição da natureza por exploradores, uma mensagem voltada para preservação animal, e a magia da natureza. A autora conseguiu mostrar como é a relação entre Thorne e os animais, e sua comunicação, de forma bem realista e bem construída.

Os personagens também são muito interessantes, bem construídos, o casal tem um bom desenvolvimento, e é divertido ver a interação entre eles, com as diferenças culturais. O livro também tem a dose certa de romance, com direito a algumas cenas quentes. Foi uma leitura rápida e gostosa. Um romance, com um mocinho decidido, romântico e cheio de inocência, mas que sabe ser audacioso e maliciosamente divertido. E com uma mocinha guerreira, carinhosa, doce e altruísta. É uma história que eu recomendo.



Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta

sexta-feira, 1 de abril de 2022

Resenha: "Echo" (Seven Rue)

 

Tradução: Mariel Westphal

Sinopse: Ninguém procuraria por mim. Ou assim pensei. Fugi do homem horrível com quem minha mãe me deixou, esperando poder começar do zero em outra cidade. Mas, nas profundezas do Alasca, onde escolhi me esconder, não havia lugar para eu ficar. Depois de dias caminhando e perdida, encontrei abrigo em uma cabana, longe da civilização. Até que, um dia, eles chegaram.

Três irmãos, cada um mais musculoso e complexo do que o outro. Eles me deixaram ficar e, conforme o tempo passava, mais próxima eu ficava de cada um deles. Logo percebi que os três tinham um efeito sobre mim, e eu não podia mais negar os sentimentos que tinha por eles. Nossa ligação ficou mais forte e, antes de sair da cabana para voltar para sua casa, eles prometeram me manter segura para sempre.

Mas quando as duas pessoas que eu queria esquecer apareceram procurando por mim, prometendo sermos uma família novamente, tive que decidir se queria passar o resto da minha vida com eles, ou com os três homens que tinham cuidado de mim. Este é um romance de harém reverso com cenas de sexo explícito e diferença de idade de mais de dezenove anos.


Por Jayne Cordeiro: Echo é uma jovem muda, que sempre precisou se cuidar sozinha. Abandonada cedo pela mãe, e tendo que viver com um padrasto violento, ela decidiu fugir assim que atingiu a maior idade. Isso acabou a levando para uma área afastada da civilização, em meio ao Alasca. Perdida e correndo risco, em meio aos animais selvagens da região, ela acaba encontrando uma cabana de caçadores vazia, onde decide se abrigar, até que os donos aparecem.

Os irmãos, que estão na região para caçar, acabam abrigando Echo, até que eles possam levá-la para a cidade mais próxima, ao final da temporada. Cada com sua personalidade, mas todos lindos, atenciosos e quentes, acabam se aproximando de Echo, e logo fica difícil deixar os sentimentos que eles despertam nela, e o contrário. Quando alguém do passado de Echo retorna, ela vai precisar tomar algumas decisões.

Eu já tinha lido esse livro faz um tempo, ainda em inglês, e fiquei muito animada, quando a editora decidiu trazer para o Brasil, porque ele trás alguns temas que não costumam ser abordados nos romances daqui, e espero que abra portas para alguns gêneros, que já possuem uma boa base lá fora. Já deixo claro que o livro aborda Harém Reverso (romance consensual, em que uma mulher se apaixona por vários parceiros, e eles por elas, e eles vivem um romance em conjunto) e Age Gap (existe uma diferença significativa de idade entre o casal).

"Echo" é um livro curto, fácil de  ler, com uma história simples, mas que consegue conquistar o leitor por seus personagens. Echo tem 18 anos, mas já viveu muita coisa na vida, e tem uma cabeça muito madura. Ao mesmo tempo que ela mantem seu jeito doce e alegre. Já os rapazes, são protetores, carinhosos, atraentes e dispostos a dar o melhor para a mocinha. Tudo isso em uma cabana, no meio do Alasca. Apesar de ser um romance erótico, e trazer esses temas diferentes, a história desenvolve o relacionamento de todos em um bom ritmo, sem apressar demais. Há romance, sexo, momentos doces e e dramáticos.

Como disse, é um livro curto, leve, mas bem interessante para quem gosta desses temas, ou tem interesse em conhecê-los. É possível ler o livro em apenas um dia, até como uma leitura para relaxar entre livros mas pesados. Vale a pena conferir essa obra, que também está no Kindle Unlimited.


Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta



sexta-feira, 18 de março de 2022

Resenha: "Metido de terno e gravata" (Penelope Ward e Vi Keeland)

 

Tradução: Debora Isidoro

Sinopse: Era uma manhã normal no trem até eu ficar completamente hipnotizada pelo cara sentado do outro lado do corredor. Ele estava gritando com alguém ao telefone como se fosse o dono do mundo. Quem o engomadinho metido pensava que era? Deus? (Na verdade, ele parecia um deus, mesmo...) Quando sua estação chegou, ele se levantou bruscamente e saiu, deixando cair o telefone no caminho. Talvez eu o tenha achado. Talvez eu tenha passado por todas as suas fotos. Talvez eu tenha ficado com o telefone do homem misterioso por dias – até finalmente criar coragem para devolvê-lo. Mas, quando cheguei a seu escritório chique, ele se recusou a me ver. Então, deixei o telefone na mesa vazia do lado de fora da sala daquele idiota arrogante. Talvez eu tenha salvado uma foto minha em uma pose não exatamente angelical para provocá-lo. Eu não esperava que ele respondesse. Nem que começássemos a trocar mensagens cada vez mais picantes. E, muito menos, que eu me apaixonasse perdidamente por ele.


Por Jayne Cordeiro: Em "Metido de terno e gravata" somos apresentados a Soraya, uma mulher que sempre pega o mesmo trem para o trabalho, onde é assistente  da autora de uma coluna de conselhos. No caminho do trabalho, ela acaba escutando uma discussão acalorada de um bonito, sexy, mas aparentemente babaca, empresário ao telefone. No pouco tempo que o observou e ouviu, ela já traçou o perfil dele. Mas ao ter nas mãos, o celular que ele deixou cair no trem, ela não resiste em investigar um pouco o aparelho,  antes de devolver.

Mas com raiva do comportamento metido do homem, quando foi devolver o celular,  Soraya deixa uma mensagem bem desaforada para Graham, e a partir daí, eles começam a trocar mensagens.  Ele não consegue esquecer a mulher respondonda que conheceu, e que não tem medo de falar o que pensa, e ela não consegue deixar de lado a atração entre os dois, ou as descobertas que faz sobre esse homem, que provam que ele é muito mais do que um esnobe empresário.

Este é o segundo livro dessa dupla de autoras que eu leio, e novamente fiquei muito satisfeita com essa história. Uma leitura leve, divertida e gostosa. Adorei a interação entre os protagonistas. Apesar das respostas atravessadas, e tudo para que fosse um daqueles casos de inimigos para amantes, na verdade eles possuem uma dinâmica ótima, indo mais para a diversão, do que para aquela implicância sem sentido que as vezes o casal tem.

A leitura é rápida e flui muito bem. É uma livro leve, divertido, mas que também trás um drama bom, falando sobre o impacto que decisões familiares passadas, podem causar na personalidade e decisões  das pessoas. E também temos um segundo plot bem interessante, que surge de forma inesperada, mas que dá uma boa história. É um ótimo livro pra relaxar, com um romance interessante e cativante, com uma bela dose de cenas quentes.


Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


sexta-feira, 11 de março de 2022

Resenha: "Amante Britânico" (Penelope Ward e Vi Keeland)

 

Tradução: Alline Salles

Sinopse: Querida Bridget, É altamente questionável o fato de um dia eu ter a coragem para falar isso pessoalmente. Então aqui vai. Somos completamente errados um para o outro. Nós dois sabemos disso. Provavelmente, você é a última mulher na face da Terra que eu deveria querer e vice-versa. É a mãe solteira com uma boa cabeça. Eu sou apenas o residente despreocupado e atrevido passando pela cidade e morando temporariamente na sua garagem convertida em apartamento até voltar para a Inglaterra. Mas o que acontece é o seguinte… Por algum maldito motivo, não consigo parar de pensar em você de todas as formas bem inapropriadas. Quero você. O único motivo de eu estar admitindo tudo isso agora é porque não acredito que só eu esteja sentindo isso. Também percebo em seus olhos quando olha para mim. E, por mais grosseiro que eu pareça quando estamos brincando sobre sexo, minha atração por você não é brincadeira. Então, qual é o objetivo deste bilhete? Acho que é um lembrete de que somos adultos, de que sexo é saudável e natural e que pode me encontrar logo depois da porta da cozinha. Mais especificamente, para te avisar que vou deixar a porta entreaberta a partir de hoje no caso de querer me visitar no meio da noite. Sem perguntas envolvidas. Pense nisso. Ou não. O que quer que escolha. Duvido que vou acabar jogando isso por debaixo da sua porta, de qualquer forma. Simon.


Por Jayne Cordeiro: "Amante Britânico" é mais um romance escrito pela dupla Penelope Ward e Vi Keeland. Nesta história conhecemos Bridget, uma jovem viúva e mãe solteira, que acaba sofrendo um embaraçoso acidente e vai parar na emergência, onde conhece o médico mais sexy que já viu na vida. E com o melhor sotaque. Simon está fazendo sua residência nos EUA, e seu jeito sedutor e encantador conquista colegas e pacientes.

Ele acaba atendendo Bridget, e apesar da atração que surge, ele não imaginava que encontraria a mulher meses depois, como a dona do apartamento que acabou de se mudar. Apesar de saber que vai voltar para a Inglaterra em pouco tempo, e ela carregar a responsabilidade de um filho, os dois se dão muito bem, e fica ainda mais difícil resistir a atração e carinho que surge entre eles.

Pense num livro leve e gostoso de ler? Eu tinha acabado de sair de uma leitura pesada, e esse livro foi tudo de bom. A leitura é rápida e flui muito bem. Dá pra ler em um dia, se estiver com tempo pra se dedicar. Gostei muito do Simon, porque ele é um homem atencioso, doce, mas também que sabe falar sujo quando deve. Ele é muito simpático, e apesar de seu receio em se envolver em algo sério, é logo conquistado por Bridget e Brendan.

Já Bridget é uma mulher que faz tudo pelo filho, e pela primeira vez está interessada em alguém após ficar viúva anos atrás. Ela tenta agir de forma racional e evitar se envolver, mas fica bem dificil quando a perdição, está morando na sua casa. Eu gostei muito da química entre os dois, ainda mais quando tem uma criança envolvida.

Apesar de uma história simples, o livro conquista rápido, e ainda trás uma reviravolta inesperada no final, que foi bem colocada. Eu gostei muito do livro, sendo uma ótima história pra relaxar, e curtir um bom romance. Recomendo!



Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta



segunda-feira, 7 de março de 2022

Resenha: "Procura-se um namorado" (Alexis Hall)

 

Tradução: Vitor Martins

Sinopse: Luc O’Donnell, infelizmente, é um cara famoso. Quer dizer, mais ou menos. Sendo filho de duas estrelas do rock, ele é uma das subcelebridades preferidas dos tabloides. E agora que seu pai está voltando aos holofotes, ele se tornou o centro das atenções, o que significa que uma foto comprometedora pode ― e vai ― estragar tudo.

Mas Luc tem um plano: para limpar sua imagem, ele só precisa de um namorado normal e bonzinho, e Oliver Blackwood é as duas coisas, além de advogado, vegetariano e basicamente alérgico a qualquer tipo de escândalo. O único problema é que, tirando o fato de ambos serem gays e solteiros e precisarem de acompanhantes para um evento, Luc e Oliver não têm nada em comum.

É por isso que eles estabelecem um namoro falso, até quando for necessário. Mas o perigo de namorar de mentira é que se parece muito com namorar de verdade. E, quando sentimentos verdadeiros começam a surgir, eles precisam descobrir como fazer dar certo ― não para as câmeras, mas para si mesmos.


Por Jayne Cordeiro: "Procura-se um namorado" nos apresenta Luc O`Donnell, filho de dois famosos do mundo da música. Apesar de ter um trabalho comum, ele ainda consegue atrair a atenção dos tabloides, e parece que sempre nas piores situações. E quando uma foto ameaça causar sua demissão, ele precisa mostrar uma versão mais serena sua, para que os clientes não acabem se afastando. É então que ele decide que precisa ter um namorado bom, certinho e o mais normal possível, para ajudar a melhorar a sua imagem.

Oliver Blackwood é a melhor opção para isso, sendo um advogado e uma pessoa que adora organização e o politicamente correto. A questão é que exatamente por isso, ele e Luc parecem ter pouca coisa em comum, além de serem gays e precisarem de um acompanhante para um evento. Para ajudar aos dois, eles decidem fingir um namoro. Mas ao serem obrigados a conviver e conhecer um ao outro, para garantir um bom namoro fake, os dois acabam descobrindo coisas interessantes e sentimentos inesperados. Até que fica difícil saber o que é falso e o que é verdadeiro.

Eu estava ansiosa para ler esse livro, porque vi vários comentários sobre ele lembrar "Vermelho, branco e sangue azul", que amo demais. E de certa forma, ele segue o mesmo ritmo, porque temos um casal gay, sendo duas pessoas que precisam fingir um relacionamento (neste caso romântico), e sendo pelo menos um deles, famoso. A escrita do autor é divertida e lembra sim, algo que a Casey McQuiston escreveria. Só que aqui os personagens já são mais velhos, e com as carreiras estabelecidas.

E eu gostei muito do drama por trás de toda a história e romance, porque nós temos dois personagens que não são apenas diferentes em termos de gostos, mas também da forma como se enxergam no mundo. Um cheio de auto depreciação e o outro que busca sempre a perfeição, e nos dois casos existe toda uma questão familiar por trás. Essas relações familiares, como também entre os amigos e ex companheiros, é explorada na história, e podemos ver dois personagens já adultos, mas que ainda podem se superar e amadurecer comportamentos e pensamentos.

O livro é muito gostoso de ler, com a dose certa de drama e diversão. O leitor vai se apaixonar por esses dois, e também desejar dar uma sacudidas neles às vezes, mas também rir muito com vários personagens. É uma leitura que eu recomendo com certeza, para quem gosta de outros livros do mesmo gênero.



Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta

sexta-feira, 4 de março de 2022

Resenha: "Nightfall - Devil's Night Livro 4" (Penelope Douglas)

 

Tradução: Marta Fagundes

Sinopse: EMORY. Eles a chamam de Blackchurch. Uma mansão isolada em uma localização desconhecida e remota, onde os ricos e poderosos enviam seus filhos desajustados para que esfriem a cabeça longe dos olhares indiscretos. Will Grayson sempre agiu como um animal. Irresponsável, selvagem e alguém que nunca se apegou a regras, fazendo sempre o que ele queria. De forma alguma, seu avô se arriscaria à humilhação de ver o nome da família na lama outra vez. Mesmo que a última vez não tenha sido inteiramente sua culpa. Ele pode até ter gostado muito de me encurralar nos cantos dos corredores da escola quando ninguém estava olhando, para que ninguém percebesse que o Sr. Popular, na verdade, queria colocar a mão na pequena e pacata nerd que ele amava perturbar, mas. Ele também podia ser cordial. E cruel em uma tentativa de me proteger. A verdade é que. Ele tem todo o direito de me odiar. Aquilo tudo é minha culpa. Tudo. A Noite do Diabo. Os vídeos. As prisões. Eu sou culpada por tudo isto. E não me arrependo nem um pouco. 

WILL. Eu nunca me importei em estar preso. Aprendi há muito tempo que ser tratado como um animal te dá permissão para agir como um. Ninguém nunca olhou para mim de outra forma. O único erro deles é achar que qualquer coisa que eu faça, é por acidente. Posso ficar aqui nesta casa sem Internet, televisão, bebidas ou garotas, mas sairei daqui com algo muito mais assustador para aqueles que são meus inimigos. Um plano. E uma nova matilha de lobos. Eu só não esperava que meus inimigos viessem até mim. Não faço ideia de quem a enfiou aqui dentro ou se realmente a intenção era deixá-la à minha mercê, mas posso farejá-la se escondendo pela casa. Ela está aqui. E quando a equipe de segurança vai embora depois de deixar os suprimentos, os portões se fecham e a porta da minha jaula é aberta, dando-me livre acesso à mansão e ao terreno da propriedade, por mais um mês sem supervisão alguma. Um sorriso se espalha pelo meu rosto quando me lembro. Blackchurch abriga cinco prisioneiros. Eu sou apenas um de seus problemas.


Por Jayne Cordeiro: "Nightfall" é o quarto, e último, volume da série "Devil`s Night", com a exceção de dois contos sobre a série que já foram lançados. Neste livro nós vamos focar em Will, um dos membros dos Cavaleiros, e aquele que parece ter lidado pior com a cadeia, e com o que os levou até lá. Conhecido como aquele que abusa das drogas, bebidas e mulheres, Will decidiu se afastar um pouco dos amigos, que estavam todos comprometidos e com metas. Mas ao não entrar em contato com os amigos por muito tempo, eles decidem investigar e descobrem que ele pode estar em Blackchurch, uma casa secreta que recebe jovens problemáticos de famílias ricas, e que ninguém sabe onde fica ou o que acontece com seus moradores.

Emory é uma jovem que tem um passado conturbado com Thunder Bay e com os Cavaleiros, principalmente com Will. Ela teve um papel fundamental na prisão do grupo, e agora acredita que Will finalmente decidiu se vingar, quando acorda desorientada em uma mansão no meio do nada, onde estão hospedados Will e outros homens, com passados escuros, e dispostos a tudo para sobreviver. Enquanto tenta encontrar uma forma de escapar da mansão, ela precisa sobreviver aos perigos que seus moradores representam, e lidar com seu passado com Will, e os sentimentos que ele desperta.

Eu estava bem interessada em ler esse livro, porque Will é um amor de personagem, e parecia carregar muitos demônios. No livro anterior, tivemos um gostinho a mais dele, mas só agora podemos realmente conhecer seu passado e presente, entendendo como ele chegou a esse ponto, e se surpreender com o que o personagem é capaz de nos apresentar. Como acontece em todos os livros, o casal principal carrega um passado que vai sendo apresentado, enquanto é intercalado com o presente.

Eu tive alguns problemas com a protagonista Emory, porque Will era perfeito desde sempre (eu sendo tendenciosa rsrs), e ela dificultou muito a vida do coitado. Apesar de entender seus sentimentos e a forma como ela se protegia do sofrimento que passava. Mas também não posso negar que ela é uma personagem extremamente forte, e toda a tensão entre os dois é a chave desse livro, que continua mantendo a série lá no topo.

Neste livro também temos o desenrolar de todo o "plot" que vem sendo desenhado nos livros, referente a prisão deles, e quem estava por trás de tudo o que aconteceu. Posso dizer que aqui temos muita tensão, ação, lutas e reviravoltas. Além do gostinho de ter nosso grupo reunido, com seus amores e essa amizade que conquistou todos os leitores. Existe um conto após esse livro, que foi lançado recentemente, e logo trago a resenha pra vocês. Mas já garanto que essa série foi fechada com chave de ouro.


Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022

Resenha: "Como se não houvesse amanhã" (Carian Cole)

 

Tradução: Carolina  Caires Coelho

Sinopse: Dizem que o primeiro amor a gente nunca esquece.

O meu foi um músico de rua que entrou com tudo na minha alma.
Ele foi meu primeiro em tudo. E mesmo depois de catorze anos, ainda não o esqueci.
Ele quebrou todas as minhas regras. E o meu coração.
Eu assisti sua ascensão, torcendo de longe. Fui uma garota apaixonada, não uma fã.
Ele explodiu como um meteoro, deixando um rastro de destruição para trás.
Mas o amor vence sempre, não é? Tem de vencer. Porque aqui estou eu, devastada, arruinada, precisando acreditar que isso seja verdade.
Desejo poder voltar no tempo. Voltar ao parque. Voltar na época em que ele cantava só para mim. Antes de ficar famoso. Antes de partir o meu coração.
Pensei que o conhecia bem.
Mas me enganei.
Ele me prometeu todos os amanhãs.
E aqui estou eu…
Esperando.
Torcendo.


Por Jayne Cordeiro: Em "Como se não houvesse amanhã " conhecemos Piper, uma jovem que acaba conhecendo Blue, um atraente musico que toca por trocados em um parque da cidade. Com seu jeito de estrela, sexy e com uma voz e letras cheias de emoção,  Piper não consegue evitar de se aproximar dele, mesmo Blue sendo sem-teto. Os dois acabam se apaixonando, mas parece que o peso dos anseios de cada um não será o suficiente para ficarem juntos.

Anos depois, mas ainda apaixonada por ele, Piper o reencontra como uma estrela do rock. Os ainda parecem se atrair com uma força que vai além das dificuldades, mas há muita bagagem para ser analisada. Será que seus sentimentos serão suficientes para superar os obstáculos que aparecerem?

Acho que nenhuma sinopse vai conseguir explicar como esse livro funciona. Eu já tinha lido algo dessa autora e sabia que seria uma boa leitura, mas esse livro vai muito além disso. Pra começar, temos um mocinho bem fora dos padrões: sim, um músico lindo e sexy, cheio de demônios, mas também um morador de rua, que vive pelas cidades, sem desejo de se fixar em nenhum lugar e com histórico de drogas. Blue é um personagem tão complexo, e com uma bagagem que vai sendo explorada aos poucos e ainda nos trás uma surpresa lá no final do livro.

Muita gente pode questionar como a Piper consegue lidar com tudo o que acontece e insiste num relacionamento, que vai durar anos, entre idas e vindas, com Blue, que não é a pessoa mais fácil, mas ela sempre se mostra forte, doce, e compreensiva, de um jeito que só assim, alguém poderia dar uma chance a esse homem doce,  atencioso, quente, mas também bem difícil.

Temos uma bela passagem de tempo nessa história, em que vamos acompanhando o amadurecimento dos personagens, e temas bem interessantes são abordado, e explorados de forma excepcional pela autora. Temos esse tópico sobre os moradores de rua, gravidez, abuso de drogas, transtornos mentais, indústria da música e até mesmo o papel dos animais como companheiros e parte da família. Foi um livro que me fez chorar, com temas que nunca vi tão bem retratados na literatura, me fez sorrir e sonhar junto com esse casal que conquistou um lugar especial na minha estante.


Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


sexta-feira, 18 de fevereiro de 2022

Resenha: "Gaiola do anjo" (Anna Zaires)

 

Tradução: Nany

Sinopse: De volta ao covil do diabo, estou à mercê de um homem que me fascina e me apavora, um assassino seguro cuja obsessão por mim está crescendo a cada dia. Nikolai Molotov é tanto meu predador quanto meu protetor, sua enorme casa blindada é meu porto seguro e minha gaiola dourada.

Se eu pudesse resistir ao seu toque letalmente sedutor... ou lutar contra seu domínio crescente em meu coração e mente. Porque não importa o quão fundo eu mergulhe no enigma de seu passado, ainda não sei a resposta para a pergunta mais crucial: Quão perigoso é o amor dele por mim?


Por Jayne Cordeiro: "Gaiola da anjo" é a segunda parte da duologia "A Obsessão Molotov", escrita pela Anna Zaires. Neste romance dark, Chloe foi salva por Nikolai, de seus perseguidores, após fugir da casa dele, quando informações bombásticas foram reveladas. Agora ela está de volta a mansão de Nikolai, sem saber como resistir ao homem que pode variar entre um assassino sem piedade e um romântico protetor. Agora Chloe precisa decidir o que ela deseja para sua vida, e como vai lidar com esses dois lados do homem que conquistou seu coração e seu corpo.

E agora existe mais um ponto importante, com a descoberta sobre o motivo do assassinato de sua mãe, e as tentativas pela qual passou, Chloe precisa lidar com as revelações sobre o seu passado, e como Nikolai está disposto a resolver o problema de sua segurança.

"Gaiola do anjo" é um livro que passa muito rápido, exatamente porque a escrita da autora é muito envolvente. Como mencionei, estamos falando de um romance dar, em que o mocinho tem muito pouca coisa de "mocinho". Nikolai é capaz de tudo para garantir a segurança de Chloe, mesmo indo contra a vontade dela. Então vai ter muito leitor que gostará dele, mas também que achará esse relacionamento bem complicado. Mas a ideia da autora é exatamente essa, trazer protagonistas fora da zona de conforto e com comportamentos questionáveis. 

De qualquer forma, foi um livro interessante de ler, que consegue prender o leitor. Seus plots principais e secundários são bem entrelaçados, e já deixou um gancho para um outro livro, envolvendo a irmã de Nikolai, que ficou muito curiosa para ler. Novamente temos um livro com ação, cenas quentes, romance e questionamentos. Quem gosta de personagens fortes, mandões e poderosos, vai encontrar aqui o protagonista perfeito. E se você já leu algo da autora, ou tem interesse por esse gênero literário, confirmo que está procurando a autora certa para ler.

Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2022

Resenha: "Uma Tentação Perigosa" (Lisa Kleypas)

 

Tradução: Carolina Rodrigues

Sinopse: Lady Merritt Sterling, uma jovem viúva que dirige a empresa de navegação do falecido marido, sabe que tudo que a sociedade londrina quer é flagrá-la em um escândalo. Até agora, ela foi inteligente o suficiente para não lhe dar essa satisfação.

Mas ao conhecer Keir MacRae, um destilador de uísque escocês rude e lindo de morrer, todos os seus planos sensatos podem virar fumaça. Embora sejam de mundos totalmente diferentes, a atração que surge entre os dois é poderosa e irresistível.

Quando Keir chega a Londres, tem os seguintes objetivos: não se apaixonar pela deslumbrante lady Merritt e evitar ser assassinado. Até agora, nenhum dos dois está indo muito bem. Seu mundo está de cabeça para baixo e a única pessoa em quem ele confia é ela.

Conforme o perigo se aproxima, Merritt fará o que for preciso para salvar o escocês, enquanto ele precisa descobrir se é capaz de oferecer a única coisa que ela deseja mais que a segurança dele: seu amor.


Por Jayne Cordeiro: "Uma tentação perigosa" é o sétimo livro da série "Os Ravenels", e possui uma ligação muito forte com a série "As quatro estações do amor", também da mesma autora. É quase como um spin-off das duas, onde alguns personagens das duas séries se encontram. Neste novo livro, conhecemos Merrit Sterling, uma jovem viúva, que assumiu a administração da empresa do falecido marido, e sempre se manteve fora de problemas. Devido a um problema na empresa, ela acaba conhecendo o escocês Keir MacRae.

Keir é um típico escocês, com seu jeito rude, mas muito bonito, e que sabe que não deve se aproximar de uma aristocrata como Merrit. Mas falar é mais fácil do que fazer. A atração entre eles é instantânea, e o jeito mandão, mas doce dela, só o deixa mais encantado. Para completar, Keir começa a sofrer alguns acontecimentos, que confirmam a ideia de que alguém está tentando matá-lo. Agora ele precisa descobrir quem o está caçando e o porquê, além de decidir como lidar com seu coração.

Sou suspeita para falar dos livros da Lisa Kleypas, pois sou apaixonada por tudo o que ela escreve, mas esse livro foi um dos melhores da série pra mim. Até porque não resisto a um escocês. Adoro como são passionais, rebeldes e românticos, sem ligar para as convenções sociais. E Keir é um exemplar completo disso. E também gostei da Merrit, porque ela vai realmente atrás do que quer, sendo forte, mas não deixando para trás um lado doce. E os dois juntos é ótimo de se ver. Apesar da atração instantânea, existe uma formação do relacionamento, com diálogos leves e um entendimento muito bonito.

Nesta história temos a aparição de vários personagens de "As quatro estações do amor", é uma maravilha ter a chance de ver alguns desses personagens tantos anos depois. E tudo é muito bem relacionado e de ótimo gosto. Quem é apaixonado por Marcus ou Sebastian, da série original, vai se encantar com a participação deles aqui, como também de suas esposas. E como muita gente já comentou, por aparecer mais gente, e ter mais relação com a série das estações, o livro não se conecta tanto com "Os Ravenels", mas não deixa de ser um livro muito bom, com um romance, diversão, aventura e tudo mais. Vale muito a pena ler e ter na estante.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta



sexta-feira, 11 de fevereiro de 2022

Resenha: "Covil do Diabo" (Anna Zaires)

 

Tradução: Nany

Sinopse: Procura-se tutor residente para uma criança de quatro anos. Deve estar disposto a se mudar para uma propriedade remota na montanha. $3K /semana em dinheiro.

Fugindo de assassinos implacáveis, tenho dez dólares na carteira e meio tanque de gasolina no meu carro antigo quando vejo o anúncio. O trabalho parece a resposta às minhas orações, mas há um porém. O pai da criança é o homem mais bonito e perigoso que já conheci.

Sombriamente sedutor e podre de rico, Nikolai Molotov é uma tentação misteriosa, uma contradição letalmente atraente. Nós dos dedos machucados e ternos feitos sob medida, palavras carinhosas e promessas sujas – meu novo patrão me atrai como um ímã, mesmo quando meus instintos gritam para que eu fuja. Eu deveria ter prestado atenção a eles... porque eu não sou a única com segredos. Meu porto seguro pode ser o covil do diabo, e uma vez que ele me reivindique, será tarde demais para fugir.


Por Jayne Cordeiro: "Covil do Diabo" é a primeira parte de uma duologia chamada "Obsessão Molotov". Chloe está fugindo  de assassinos desde que sua mãe morreu faz um mês, mesmo sem saber o porquê dessa perseguição. Sem dinheiro e perspectiva de futuro, ela acaba encontrando um anuncio para ser tutora de uma criança pequena, ganhando um bom dinheiro, além de viver em uma mansão afastada de tudo e todos, o que pode ser a sua chance de sair do radar dos seus perseguidores. Ela só não contava com o seu novo patrão, um homem lindo e cheio de presença, que causa um turbilhão de emoções nela. Mas há algo de perigoso nele também, e pode ser que quando Chloe finalmente descubra o porque, ela já não será capaz de escapar.

Adoro os livros da Anna Zaires, porque todos trazem a mesma ideia, de uma mocinha forte e um mocinho, que muitas vezes não tem nada de bonzinho. Para quem gosta de um romance dark, essa é com certeza uma autora que eu indico. E se você também gosta de algo como histórias envolvendo máfia, essa também é uma boa opção. Gostei muito da mocinha, porque ela é uma lutadora, com todos os seus princípios e bom coração. Já Nikolai é aquele homem cheio de presença, que comanda a vida de todos, e é capaz de tudo para proteger as pessoas que importam ou para mantê-los por perto.

Temos aqui uma história de romance, com uma boa dose de ação, mistérios e um mocinho com comportamentos questionáveis e um pouco obsessivo. Há aquela atração instantânea de ambos os lados, mas há a oportunidade de ver o relacionamento se desenvolvendo. Acredito que a segunda parte da duologia dará ainda mais  chances para isso. Como sempre, a escrita da Anna Zaires é envolvente, e consegue prender o leitor até o final. A química dos personagens também é ótima, e quero muito ver mais do Nikolai e do filho. E vejo alguns plots secundários bem interessantes, envolvendo a irmã de Nikolai e o mistério por trás dos assassinos que perseguem Chloe. As duas partes da duologia estão disponíveis na Amazon, e logo trarei a resenha da segunda parte.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


segunda-feira, 7 de fevereiro de 2022

Resenha: "Conclave" (Penelope Douglas)


Tradução: Marta Fagundes

Sinopse: DAMON

Will estava desaparecido. Ninguém o via há meses, e as mensagens que chegavam de seu celular eram, com certeza, falsas. Algo estava errado. E precisávamos tomar uma atitude agora. Michael está prestes a destruir a enseada, Rika está escondendo alguma coisa, Evans Crist é uma ameaça e o pai de Winter continua sumido. Todo mundo estava atordoado e sem saber o que fazer, totalmente vulneráveis. Era hora de agir. Era hora de reivindicar nosso lugar.

RIKA

Alguns anos atrás, nunca imaginei que estaria aqui. A bordo do Pithom. Em alto-mar. Sentada à mesa com Michael Crist, Kai Mori e Damon Torrance – homens que agora considerava como minha família. Havíamos nos isolado nesse iate até alinhar nossos planos, e só sairíamos daqui depois de tudo resolvido. Até mesmo segredos sobre os quais não queria falar, coisas que Michael desconhecia. Encontraríamos Will. Nós consolidaríamos nossos planos, e acabaríamos com qualquer ameaça. Se sobrevivêssemos ao Conclave.


Por Jayne Cordeiro: "Conclave" é um conto da série "Devil's Night" que acontece entre "Kill Switch" e "Nightfall", que o último livro da série. É muito importante que já tenha lido o livro anterior, para não pegar um grande spoiler, então nem continue na resenha, se não fez isso.

 Algum tempo após os acontecimentos de "Kill Switch", em que Damon está com a vida organizada, o desaparecimento de Will, que não manda notícias faz um bom tempo, leva a necessidade de organizar um plano para encontrá-lo. 

Junto com isso, ainda há as consequências das últimas revelações do pai de Damon, que alterou a dinâmica entre ele e Rika. E Rika deve aproveitar esta reunião, para revelar algo que andou escondendo de Michael, e que pode unir ou separar o casal para sempre.

"Conclave" é contado através de Damon e Rika. De um lado temos Damon assumindo seu papel de pai, e analisando se quer ou não a mãe na sua vida, e na do seu filho. E do outro Rika com suas dúvidas e preocupações, que tem criado um distanciamento entre ela e Michael. O legal nesses livro curtinho, é ter um pouco mais de Damon e Winter, que é o meu casal favorito, e ainda ter um lembrete de Michael e Rika, que também é um casal muito interessante, e que iniciou toda a série. O livro ainda trás uma historia curta no final, sobre o nascimento filho de Damon e Winter. 

Quando soube desse conto, achei que seria algo bem desnecessário, mas não foi o que aconteceu. Como sempre, é um otimo entretenimento ver todo esse grupo reunido. Uma família que se conhece e se ama, mas carrega suas tensões. É uma história enriquecedora, e essencial para quem adora a série. Não sei se faz falta ao desenrolar de "Nightfall", que devo trazer a resenha logo, mas vale a pena a leitura.

Como sempre, a escrita da autora é única, a tensão entre os personagens é instigante, e as cenas românticas são marca registrada da série. Quem gosta de um romance dark, e de personagens imperfeitos, mas leais, essa é a serie perfeita.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta

 
Ana Liberato