sexta-feira, 31 de julho de 2015

[Assiste aí] Dona Moça e Penny Dreadful

Olá, internet!

Estou colando aqui de novo para quem está de férias (ou no final delas) meio sem saber o que assistir, e para quem já está, mas tem tanta série na lista para essas – e as próximas – férias (e, falando a verdade, até as férias de 2017) que jurou não assistir mais nada. Só que eu sei que vocês não se controlam, então, trouxe, também, as séries compactas, as webséries... Hoje vai ter uma indicação dupla, sim!




Desde o início da coluna Assiste aí eu já vinha nessa de webséries, aliás, é uma coisinha tão gostosa e rapidinha de assistir. Você começa a assistir uma, termina, e já está começando outra porque descobriu ela lá na página inicial do Youtube. Todo mundo gosta, se não uma websérie, pelo menos um canal, um vlog.

A websérie de hoje, então, sensacional. Ela acabou de terminar a primeira temporada, e a Kleris, aqui do blog, fez um post bem antes para vocês assistirem  confiram essa entrevista: parte 1 e parte 2 – por que ela estava muito determinada a conquistá-los. Aqui é só um “selo de qualidade” ;) Quero todo mundo colando lá!

Dona Moça eventos, o nome da websérie, é uma empresa de Fifi Mascarenhas e Aurélia Camargo para promoção de eventos sociais. Elas criaram um canal para a empresa, mas o canal se estende dos limites da empresa para o pessoal das nossas personagens. E vai nos entrelaçando e encantando a cada episódio. Não apenas com os episódios, na verdade.

Dona moça eventos é uma das melhores webséries que já assisti. Ela retrata o clássico Senhora, de José de Alencar, nesses dias atuais, sabe? Pensa assim, enquanto o livro se passa em um século que não existia um celular, nossos personagens preferidos têm direito a Instagram! Ah, e a twitter também. Essa interação com o público faz a série ir além dos cinco minutinhos de cada vídeo, cria intimidade entre você, os personagens e as relações deles.


Uma série interativa e muito bem feita, os personagens são cativantes, são curiosos. Não preciso comentar a euforia pela aparição do Fernando à medida que os episódios vão passando. Além de interessante, a websérie nos apresenta o melhor, divertimento. Deve ser por isso, afinal, a procura por esses tipos de passatempo. 
O que queremos na verdade é aproximar mais os nossos clássicos do público final, trazendo uma linguagem mais próxima do que vivemos hoje.” (Maynnara Jorge, em entrevista para o blog)
Essa declaração foi feita na entrevista acima mencionada, e, PARABÉNS, produção, acho que o objetivo de vocês vem sendo cumprido. A primeira temporada chegou ao fim essa semana e a segunda temporada depende do seu público. A websérie está com uma campanha de financiamento coletivo com direito a brindes e surpresas. Você, leitor, pode doar a partir de 10 reais e ajudar as meninas da Adorbs a produzir mais conteúdo de Dona Moça #SaveDonaMoça. Mais informações, vocês podem acompanhar na página do face ou dando uma passadinha neste link aqui.
                                                            

 Vamos falar de série agora, ok? Ok. Já ouviram falar de Penny Dreadful?

"Eu acredito em maldições.
Eu acredito em demonios.
Eu acredito em monstros"
- Vanessa Ives

Particularmente, acho muito difícil fazer uma série de terror, por que manter o interesse do público por vários episódios, várias temporadas, requer sempre inovação, texto e atuação bem feitos, uma dose de mistério suficiente para não tornar nem denso demais, nem entediante demais a série. É tanta coisa, que são poucas que se destacam.

Penny Dreadful é uma série relativamente recente, com apenas duas temporadas, já vem conquistando muita gente, já vem me conquistando. A qualidade da série a diferencia e muito, as cenas de suspense e a arte em todos os quesitos, seja figurino, maquiagem, fotografia. Eu me apaixonei logo nos primeiros episódios por uma série de terror com alto nível, nós precisávamos de Penny Dreadful. Claro que existem boas séries de terror, muitas das quais eu acompanho, mas achei PD diferente.

Motivos para assistir Penny Dreadful:

1.   Ocorre durante uma Londres Vitoriana.

2.   Mistura clássicos do terror. Lembraram do Frankstein, o Drácula, Dorian Gray, vampiros, outros não vou falar porque é spoiler.

3.  A história principal da série não se enclausura nas conhecidas histórias dos conhecidos personagens, é uma história intrigante, polêmica e misteriosa.

4.   O cenário mais escuro dá uma ambientação fantástica tanto para a época em que ocorre quanto para o gênero da série.

5.    O roteirista da série já fez o roteiro de Sweeney Todd, Rango e Star Trek: Nemesis.


Gente, tem mais motivos, mas esse post vai ficar enorme, então vocês assistam e colem aqui os motivos de vocês nos comentários.

Abaixo, o trailer de Penny Dreadful e 1º ep de Dona Moça:




Até a próxima,


Mariana Diniz.

Continue Lendo

Resenha: "A dançarina do cabaré" (Georges Simenon)

Por Sheila: Oi pessoas como estão? Eu ainda estou em minha "busca por tentar colocar resenhas atrasadas em dia". Na verdade, elas não estão atrasadas para ´publicação no blog - estão até adiantadas. Mas o fato de alguns livros estarem há mais de 4 meses em minha estante esperando por resenhá-los me deixa M-A-L-U-C-A.

Este livro, de Georges Simenon foi uma grande surpresa e tive uma certa má-vontade inicial com ele. Por causa da capa e, principalmente, por causa do título. Nesta época em que os romances hot proliferam, minha reação foi um ah não! o que será isso? Mas como sempre busco manter a neutralidade, fui atrás de maiores informações sobre o autor e este título.

Pois bem, descobri que Georges é um escritor belga com forte influência de Agatha Christie que, assim como a Rainha do crime, criou um detetive que aparece em diversos de seus romances, também policiais. Assim, em contrapartida ao nosso amado Hercule Poirot, Simenon criou o Comissário Maigret, tão astuto e perspicaz quanto o primeiro.

A dançarina do cabaré é o oitavo romance policial da série Comissário Maigret, o que talvez explique por que algumas coisas deste livro pareceram ficar um pouco confusas e sem explicação. Mas vamos à sinopse oferecida pelo Skoob:
Em Liège, cidade belga onde Simenon nasceu, Maigret observa à distância dois garotos acusados de assassinar um estrangeiro rico. Quando a amizade entre os suspeitos é posta à prova, diferenças saltam à vista e ajudam o comissário a desvendar o enigma.
Ou seja, a sinopse também não nos diz muita coisa ... Assim, foi entre temorosa e curiosa, que iniciei  leitura. De saída, somos apresentados aos dois "suspeitos": De um lado, temos Jean Chabot o mais moço, que tem dezesseis anos e parece inquieto; de outro, Delfosse, magro e de aparência enfermiça, tem dezessete. Estão os dois com Adèle, a dançarina do cabaré Gai-Moulin, quando um estrangeiro adentra o estabelecimento, tomando todas as atenções para si.

- Quem será?
- E eu lá sei! É a primeira vez que aparece - disse Adèle. exalando a fumaça do cigarro.
E, descruzando as pernas, ajeitou o cabelo nas têmporas e mergulhou o olhar num dos espelhos que forravam a sala para certificar-se de que a maquiagem não escorrera (...)
- Me dão licença queridinhos?
Dirigindo-lhes um sorriso gentil e confidencial, levantou-se, atravessou a sala requebrando o quadril e acercou-se da mesa do recém chegado.

Quem interpela Adèle são os dois jovens, que por mais que finjam, olham com certo desagrado a chegada do estrangeiro que lhes toma a graciosa companhia. Mas logo em seguida descobrimos que as frases entrecortadas escondem mais que despeito: Por mais que Delfosse venha de uma família abastada, os dois amigos compraram a crédito em diversos estabelecimentos e não estão conseguindo o montante necessário para saldar as dívidas.

Parece partir de Delfosse a ideia de esconderem-se na adega e, após a saída de todos os funcionários, furtar a caixa registradora do Gai-Moulin. Parecia fácil. Mas, o que eles não esperavam, era encontrar o estrangeiro, o mesmo que lhes roubara a atenção de Adèle,morto no chão.

Daí, várias coisas acontecem. O crime ganha repercussão. Há um outro homem sendo investigado pelo crime, mas os dois adolescentes endividados passam a ser suspeitos, já que Delfosse furta de um tio para saldar a dívida dos dois, o que depõe contra os mesmos. Mas é então que Maigret entra em cena, passando a ajudar a polícia local a conduzir as investigações.

E é aqui que as coisas ficam um pouquinho confusas, por que Maigret chega impondo sua presença e sendo amplamente enigmático. Quando isso acontecia nos livros de Agatha Christie e seu Hercule Poirot, eu já sabia quem ele era, e confiava em seu julgamento. Ficou um pouco descontextualizado o fato de Maigret chegar do nada e, sozinho, resolver todo o mistério.

Fora isso, é um romance policial bem elaborado, que consegue ter um desfecho inesperado, bem explicado e sem deixar pontas soltas. A escrita de Simenon é simples e bem trabalhada, e o livro, apesar de ter 140 páginas, é bem curto por seu formato, li em um dia.

Mas eu mudaria o título. E a capa. Sei lá, algo como "Assassinato no Cabaré" ou "O mistério no Gai-Moulin". A mesma coisa com a capa. No entanto, se você quer uma leitura rápida, leve, imaginativa e levemente divertida, "A dançarina do cabaré" é uma boa pedida. Abraços e até a próxima.



Continue Lendo

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Resenha: "A Última Chave: Realidade em um Mundo Paralelo" (Camila M. Guerra)


Por Yuri: Olá, pessoal! O livro “A Última Chave: Realidade em um Mundo Paralelo” aborda a respeito de sonhos lúcidos, projeção da consciência e experiência fora do corpo. Camila Guerra conseguiu transformar o assunto pouco explorado em uma história com uma pitada de romance e ficção. De quebra, inseriu a parte teórica do assunto para que conseguíssemos entender como funciona essa realidade paralela.

Sinopse da Amazon: O que você faria se soubesse que pode viver em dois mundos? 

Sofia mantém sua vida nas rédeas e está muito feliz sozinha. Até o dia em que encontra um livro intrigante que muda completamente a sua vida, envolvendo-a em uma série de sonhos estranhos. 

Sem querer, ela passa a viver experiências muito intensas fora do corpo. Essas experiências trazem para sua vida um tufão, que bagunça seu auto-controle e, de quebra, traz-lhe uma indesejada e arrebatadora paixão e uma batalha incansável contra um inimigo feroz. 
Sonho ou realidade? 
A realidade nos sonhos pode ser implacável e verdadeira…

“Sofia caminhava com dificuldade. Seus passos eram lentos, custosos e a respiração parecia não ser suficiente para sustentar seu corpo. Arrastava-se em um caminhar difícil. Uma névoa escura e sinistra dominava o ambiente e Sofia caminhava assustada.Seus olhos cor de mel, esverdeados e atentos movimentavam-se incessantemente em busca de algo que explicasse o motivo de sua presença ali. O ambiente dava-lhe calafrios, mas ela caminhava. Desistir não era uma opção e a curiosidade impeliu-a a continuar.Estava arrepiada, suada e cansada. Sua boca seca e entreaberta denunciava a tensão do momento. Tentou afastar a névoa sinistra balançando a mão direita em frente ao seu rosto. Um pouco mais à frente identificou uma porta com uma maçaneta de um dourado fosco, sujo. Parecia-lhe que não era aberta desde muito tempo. Desconfiada, caminhou cautelosa até a porta. Com a mão direita tentou abri-la, mas estava trancada. Olhou ao redor, mas não havia nada ali, somente ela e a porta.Notou que segurava algo com a mão esquerda. Com dificuldades, levantou a mão e baixou os olhos, buscando-a. Viu um objeto comprido, mas a sua visão estava borrada. Apertou os olhos e firmou a visão tentando colocar o objeto em foco. O espanto traiu-lhe e, com custo, conseguiu dizer espantada:- Uma chave!Acordou”

Após ter o mesmo sonho pela terceira vez, Sofia procura entender mais a respeito de experiências fora do corpo, até que encontra um curso de viagem astral, o qual é lecionado por Marcus. Depois de iniciar o curso, Sofia passa a ter sonhos constantes com o homem da boina vermelha que encontra-se sempre sobre um rapaz deitado.
Com o auxílio do professor, a personagem descobre que esse sonho é uma batalha no plano astral, no qual ela é a chave para resolver o mistério.
“Avançou para cima do boina vermelha com toda força que conseguiu reunir. No ataque conseguiu empurrá-lo no chão. Aproximou-se do jovem e tentou acordá-lo, mas ele não respondia. Era tarde demais. Aquele alvoroço havia chamado a atenção das pessoas que estavam naquele cômodo e ela foi rapidamente dominada por aqueles seres que pareciam zumbis. Eles se amontoavam por cima dela, sugando-lhe toda a energia que conseguiam.”

Com uma linguagem simples, é óbvio que o livro não passou pela revisão de grandes editoras. Cabe ao leitor entender que a autora é independente, portanto não dá pra julgar ou comparar o livro com base apenas nisso e dizer que o livro é ruim.

Para quem curte esse tipo de assunto (viagem astral, experiência fora do corpo) ou tem interesse em saber, o livro de Camila Guerra é uma boa pedida. Com toques teóricos sobre o assunto, junto com uma história interessante, o livro conseguiu prender a atenção e fazer o leitor esperar ansiosamente pelo desfecho da batalha.

Independente de acreditar ou não, existir ou não um plano astral, a história conseguiu convencer que se existe mesmo, deve ser bem parecido com o que Camila escreveu.  

Há muito tempo não lia livros de autores nacionais e o assunto abordado de forma bem dinâmica me surpreendeu. Espero que curtam a leitura.

Vocês podem encontrar diretamente aqui, na Amazon.


Até a próxima!


Continue Lendo

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Resenha: "Dois Irmãos" (Fábio Moon e Gabriel Bá)

Sinopse: Um dos livros mais importantes da literatura brasileira contemporânea, Dois irmãos vem, desde seu lançamento há quinze anos, conquistando novas gerações de leitores. E foi com o mesmo entusiasmo desses leitores que Fábio Moon e Gabriel Bá embarcaram na missão de adaptar o romance de Milton Hatoum para uma graphic novel. Entre os mais premiados da última década, os irmãos quadrinistas vêm igualmente arrebatando fãs e trazendo uma verdadeira legião de leitores às HQs. Suas obras foram publicadas em diversos países, atravessando fronteiras culturais e políticas. 

Ao mesmo tempo que preserva a força narrativa de Hatoum, esta adaptação evidencia o talento de Bá e Moon na construção de histórias que alternam entre a tragédia, a delicadeza, a brutalidade e o humor. No traço deles, a vida dos gêmeos Yaqub e Omar ganha novos contornos épicos. A Manaus dos quadrinhos, feita de um jogo de luz e sombras, acolhe este drama que cruza gerações e, seja nos grandes planos ou nos mínimos detalhes, carrega o enredo original de energia e vitalidade.

Quem conhece a obra de Hatoum vai não apenas reencontrar, mas redescobrir com outros olhos personagens marcantes como Domingas, Halim, Zana, Rânia e Dália. E os novos leitores terão contato com um riquíssimo universo ficcional, um drama que, ao esmiuçar a intimidade e a rivalidade de Yaqub e Omar, lança luz nas frestas das relações familiares, do amor e da história recente do Brasil.

Fonte: Skoob

Por Eliel: A literatura nacional contemporânea vem me surpreendendo a cada dia com a sua boa safra de lançamentos. Confesso que não conhecia a obra de Milton Hatoum, mas depois de ler essa maravilhosa adaptação para quadrinhos dos irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá, quero. 

Dois Irmãos é uma grande reflexão sobre as relações familiares, o poder delas em guiar o destino das pessoas e sobre construir e moldar a personalidade, tudo isso dentro de uma família em crise.

O centro da história, como podemos deduzir, são os irmãos Yaqub e Omar e a sua relação com os familiares, empregados, vizinhos e o ambiente. A história é narrada por Nael, trinta anos depois, sobre os acontecimentos que vivenciou ou ouviu como um espectador sem voz ativa sobre os acontecimentos.

"A reticência, o ruído de sua vida".

O objetivo de Nael é encontrar a figura paterna para preencher esse vazio que existe em sua identidade, ele faz essa busca dentre os homens da casa. Do seu lugar ele se torna testemunha de histórias, vinganças e relações conturbadas.

"Era pouco mais que uma sombra habitando um lugar".

Zana é uma mãe protetora, aquela que nasceu para ser mãe. Porém dedica muito amor apenas a um dos filhos, Omar, por quem move céus e terras para vê-lo bem. Halim, é um pai ausente, afinal não queria ter filhos e perder sua esposa para a maternidade.

Sobre os gêmeos, Yaqub e Omar, cresceram juntos até os 13 anos de idade até que Yaqub fora mandado para viver no Líbano (de onde a família teve origem). Desde antes da viagem a relação já estava corrompida. Duas palavras vão reger a relação desses dois: traição e perdão. Vou deixar na mão de vocês, leitores, a responsabilidade de fazer a ligação desses fatos.

"Os gêmeos eram dois opostos, habitando o mesmo corpo e dormindo sob o mesmo teto".

O cenário dessa aventura é Manaus, lugar que o autor da obra original, Milton Hatoum, conhece muito bem. Dois Irmãos é o seu segundo romance e foi lançado em 2000 e  garantiu um prêmio Jabuti e foi traduzido para 8 idiomas.


Fábio Moon e Gabriel Bá são também gêmeos, formados em Artes Plásticas e trabalham com quadrinhos desde 1993. Tantos anos de trabalho já lhe garantiram muitos prêmios como HQ Mix de artistas revelação e um Jabuti com a adaptação de O Alienista de Machado de Assis. Como fruto de toda essa dedicação, nós leitores, podemos ter em mãos uma joia da 9ª arte.

A Companhia das Letras tem um selo conhecido como Quadrinhos na Cia. que já conta com quase 100 títulos. A quantidade de títulos de histórias em quadrinhos que chegam ao mercado, tanto inéditos quanto adaptações, tem trazido uma nova geração de leitores. Só temos agradecer à Fábio Moon, Gabriel Bá, Milton Hatoum e a Companhia das Letras por tornarem essas joias do Brasil acessíveis. 






Continue Lendo

sábado, 25 de julho de 2015

[Entrevista] Bianca Sousa

Por Eliel: Olá pessoas,


A querida Bianca Sousa, autora de Eterna: O Som do Amor, nos cedeu uma deliciosa entrevista para que vocês leitores conheçam um pouco mais do universo criativo que habita sua vida e mente.

Então vamos conferir a entrevista:


DB: Qual foi a primeira "visão" que você teve para construir a história?
BS: Meu primeiro “insight” foi com um andarilho misterioso que sumia todas as tardes.



DB: Ela ainda permanece no trabalho final?
BS: Não! O andarilho virou O andarilho misterioso acabou virando um cellista assassinado que retorna à vida por vodu (!) e que some todas as tardes. Por que? Só lendo para saber!



DB: O que te motivou a escrever?
BS: Muitas amigas não acreditavam mais no amor. Eu queria dizer a elas que estavam erradas e que suas experiências passadas não deveriam ditar o futuro. Não acho que ninguém precise de outra pessoa para viver. Mas é indiscutivelmente melhor e mais gostoso quando amamos alguém e esse alguém nos ama de volta.



DB: O que pode nos contar sobre novos projetos
BS: Uhm… vem coisa muuuuito boa por aí! Já podem esperar de mim uma história de amor linda e épica com muita pitada de fantasia!



DB: O que você faz enquanto não está escrevendo?
BS: Pensando na próxima história! Risos. Também adoro colocar meus seriados favoritos em dia e ficar com minha família. Sou caseira. :)



DB: Como foi o começo da sua carreira como escritora?
BS: Foi difícil como qualquer início de carreira. Quando se começa algo inédito, temos receios e muitas, muitas dúvidas! Mas com paciência e tempo, pesquisei e estudei muito antes de tomar minha decisão e me auto publicar. Foi uma das melhores decisões que tomei.



DB: O que você espera para o futuro da literatura nacional?
BS: Só coisa boa! Ao contrário das pesquisas, o que observo é que o brasileiro está lendo mais. Acredito que o cenário em nosso país mudará se cada um de nós fizer nossa parte, seja um leitor incentivando um “não-leitor” a ler um livro, seja um “já leitor” comprando livro original, etc.



DB: Qual o seu tema favorito?
BS: Fantasia e romance. Sem dúvidas! Adoro sonhar acordada!



DB: Algum livro que seja seu favorito?
BS: Eterna: o som do amor. Risos.



DB: Quer deixar algum recado para os leitores do Dear Book?
BS: Oi, pessoal!
Tudo bem com vocês?
Estou muito feliz de você ter lido até aqui para me conhecer um pouco melhor. Você provavelmente é fofo! E também deve estar curioso sobre meu livro “Eterna: o som do amor” e não é para menos! Usei a cidade de São Paulo como cenário de um romance que rompe as barreiras do destino e da morte. Tem cientista que não acredita mais no amor. Tem um violoncelista que é assassinado, mas volta à vida para tentar viver seu grande amor. Tem crime, tem mistério, tem vodu, tem ciência, tem fantasmas, tem amor (de todos os tipos), tem música. Ah, sim, além de ter uma trilha sonora muito boa que vai desde música clássica a rock, Eterna também tem partitura própria (e está inclusa no livro – tanto digital, quanto impresso). Então, por tudo isso, você merece ler uma história de amor que vai durar para sempre.
Um super beijo, Bia.


Continue Lendo

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Resenha: "Eterna: O Som do Amor" (Bianca Sousa)

Sinopse: Bernardo Milano é um violoncelista talentoso que tem sua vida arrancada de forma abrupta: é assassinado no dia de sua estreia como solista no Theatro Municipal de São Paulo. O crime choca todo o país, em especial a cientista Cecília Ferreira que sem saber, faz um trato com uma entidade voodoo. Bernardo desperta de seu túmulo, mas o milagre vem acompanhado de uma maldição: se de dia ele vive, à noite sua verdadeira face cadavérica é exposta. Contra todas as (im)possibilidades, Cecília e Bernardo recebem do destino uma segunda chance. Conseguirão burlar a morte e fazer com que esta não se revele um caminho sem volta? Fonte: Skoob

Capa clichê de romance bonitinho em que tudo é lindo. Mas como bom leitor, que você deve ser, já sabe que nunca se deve julgar um livro pela capa. Muito menos essa capa, logo nas primeiras páginas somos apresentados à Bernardo Milano, musicista talentoso, rico, lindo e prestes a fazer um solo diante da platéia do Theatro Municipal de São Paulo. E nessas mesmas páginas nos despedimos de Bernardo que é brutalmente assassinado, nos despedimos ao menos por enquanto.


A amizade, tal como o amor, é algo forte e eterno, mesmo para aqueles que se foram.

Depois, conhecemos Cecília, aquela que era para ser a mocinha apaixonada da estória. Porém, ela é a cientista mais cética e pragmática da face da Terra, que por um acaso em uma noite de bebedeira se envolve com uma entidade voodoo e por um golpe do destino encontra o amor da sua vida, literalmente.

- O fato de você não acreditar não significa que não exista.

Bem, ao ler você vai entender tudo isso e mais um pouco, agora pode parecer bem confuso, mas a Bianca como uma das Moiras da Mitologia Grega, fia e tece os destinos de cada personagem com uma maestria que vai surpreender à todos, principalmente, os que ousaram julgar o livro pela capa.

- Que se danem as estatísticas! A vida não tem receita.

Bernardo é trazido de volta à vida para os braços de Cecília, mas essa aventura amorosa nada convencional não é daquelas que você já pode prever o final. Vai ser repleta de amor, mas também não vai faltar ação.

Ela apenas riu, pois tinha um pedaço de bolo de cenoura na boca que a impossibilitava de retrucar. Pensando bem, não faria isso, ele estava lavando a louça! Isso, sim, era prova de amor!

Bem, vou parar por aqui antes que eu comece a dar spoilers sem necessidade e se você ficou curioso corra e adquira já o seu na Amazon e não perca o conto exclusivo Eternamente Sua. Esse romance ficará eternamente em seus corações.


Continue Lendo

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Resenha: “Acesso Aos Bastidores” (Olivia Cunning)

*Por Mary*: Sinto-me uma mocinha ruborizada do Séc. XIX.

Olha, se tem uma coisa da qual me orgulho é não ser uma pessoa facilmente chocável. Juro. Contudo, Olivia Cunning me deixou DES-MAI-A-DA com suas cenas altamente picantes recheadas de voyerismo, brinquedinhos sexuais, fetichismo e ménage.

Mas calma, que já, já chegamos nessa parte.

Em Acesso Aos Bastidores, Myrna Evans é uma professora universitária de psicologia – especialista em sexualidade humana – com um passado traumático e, durante uma conferência, conhece os integrantes da banda de rock Sinners (que dá nome à série). Inicialmente movida por uma verdadeira admiração de fã, Myrna se aproxima dos rapazes com o intuito de se apresentar, uma vez que utiliza alguns dos riffs da banda como objeto de estudo em suas aulas. Apesar de flertar abertamente com os cinco rapazes, sua atenção está voltada para Brian Sinclair, o guitarrista que a inspira nos estudos de seu curso.

Em resumo, tirando as drogas, é muito sexo e rock’n roll.

Bom, para quem tem um interesse todo especial por romances eróticos, Acesso Aos Bastidores não deixa nada a desejar e é, definitivamente, a escolha perfeita. É o tipo de livro que promete e cumpre o proposto, com uma trama recheada de cenas ferventes e explícitas.

Por outro lado, quem curte uma trama mais elaborada, com bons motes, enredo denso e ganchos bem construídos... talvez seja melhor escolher outro livro para ler. O que eu quero dizer é que, não obstante haver cenas de sexo bastante bem escritas – e criativas – a trama em si não é muito desenvolvida, porque o foco é, realmente, a vida sexual do casal de protagonistas.

Apesar disso, acho que as cenas eróticas acabam por justificar a história, haja vista que a relação entre Myrna e Brian começa de forma puramente carnal. Quer dizer, para ela, porque o guitarrista principal da banda Sinners é um romântico incorrigível e já fica ligado na professora desde o início.
“’Eles avisaram que sou um romântico irreparável, não avisaram?’
Ela virou-se para fitá-lo. ‘Hein?’
‘Pode parar de disfarçar. Não precisa pisar em ovos comigo, Myr. Se sou burro o suficiente para me apaixonar por você em doze horas, mereço ter o coração partido’.”
Além disso, devemos considerar que Acesso Aos Bastidores é o romance de estreia não só de uma série inteira, mas também da escritora Olivia Cunning. Por esse motivo, talvez seja um pouco cedo para expressar uma opinião mais incisiva acerca da trama, de um modo tão amplo.

Narrada em terceira pessoa, Olivia Cunning nos introduz no mundo das estrelas do rock’n roll – mais especificamente na turnê da banda Sinners – e eu aposto, minha cara leitora (e leitor, por que não?!), que você vai se apaixonar por pelo menos um de seus integrantes. Ou por todos, o que não é difícil. A autora é muito feliz em criar personagens que, apesar de possuírem suas similitudes, são muito diferentes entre si. Isto é, em uma banda com cinco integrantes, seria muito normal confundi-los no início, mas as características dadas a cada um deles auxilia o leitor nesta distinção.

Também merece destaque a protagonista Myrna, que foge completamente do clichê da mocinha indefesa sendo introduzida aos “prazeres carnais” por um homem másculo e controlador. Pelo contrário, às vezes queremos é que ela seja um pouco mais sentimental, já que o pobre Brian tenta a todo custo declarar seu amor por ela, mesmo quando esta o proíbe de dizê-lo abertamente.
“Brian, não sou contrária à ideia de me casar com você. Sou contrária à ideia de me casar com qualquer pessoa. Além do mais, a gente mal se conhece, como pode ser tão doido?”
 Sendo assim, se você quer um romance beeeeeeeeeeeeem queeeeeeeeeeeente, escolha Acesso Aos Bastidores sem pensar duas vezes. Tenho certeza que ele não vai decepcionar. 
“Ele olhou para o amigo e riu. ‘É, mas o jeito como ela me prendeu – forte o suficiente para chamar minha atenção, mas não tão forte que eu queira fugir – é tão bom’.”




Continue Lendo

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Resenha:" After - Depois da verdade - Vol.2" (Anna Todd)

Por Clarissa: Olá galera, espero que esteja tudo bem. Bom minha super indicação é “After – Depois da verdade”. Este é o segundo volume, e cada vez mais conquistando os corações de todas e todos XD.

Hardin e Tessa se conheceram na faculdade. Um cara cheio de tatuagens e pirciengs. Um garoto misterioso e sedutor. E Tessa uma garota certa, com seu futuro planejado, um namorado atencioso. Mas em apenas um mês, sua vida vira completamente de ponta cabeça, e se encontra perdida. Hardin conquistou o coração deTessa – e com certeza de muitas outras garotas – e logo quebrou em vários pedacinhos. No entanto, mesmo depois de uma revelação terrível, ela não consegue simplesmente esquecê-lo e passa os dias afogada em dúvidas: será que ele é o cara atencioso, profundo, cheios de mistérios? Ou será que ele sempre foi um caso perdido? Ela quer se afastar dele. Mas não é fácil. Não com as memórias das noites apaixonadas, dos risos, do seu cheiro conquistador e dos beijos.

“Não posso prometer que não vou te magoar de novo, mas posso jurar que vou te amar até o dia em que morrer. Sou uma pessoa terrível, e não mereço você, mas espero que me dê à chance de recuperar sua fé em mim. Lamento a dor que causei, e entendo se você não puder me perdoar.Eu te amo. Sempre.Hardin.”
Tessa não sabe se suportará mais uma promessa não cumprida. Ela abriu mão de muita coisa por Hardin – vida acadêmica, amigos, sua mãe, seu relacionamento com um cara que realmente a amava – e agora, possivelmente, até de sua carreira promissora. Ela precisa superá-lo. Hardin sabe que cometeu um grande e terrível erro, talvez o pior de sua vida. Ele não vai desistir do perdão de Tessa, ele vai lutar pra tê-la de volta. Mas primeiramente ele teria que mudar suas atitudes, será que ele é capaz? Por amor? O ao não é capaz de superar tudo ou tem alguns limites? São muitas perguntas para ambos responderem, muitas coisas para revelar e conversar, resolver tudo o que está impedindo o relacionamento. O incrível do relacionamento desses dois é que são completamente diferentes. Mas como diz o ditado: duas peças iguais não completam um quebra-cabeça.
“Mas as pessoas em si mudam tanto que sempre existe algo de novo a ser observado.
                                                                                       Orgulho e Preconceito.”
Então eles vão passar por mitos altos e baixos durante a história. E não importa se é um romance, que muitos acham que é muito doce este livro sim mostra o que realmente é os relacionamentos.

After é uma historia emocionante, apaixonante, fofa e complicada. Preparem o psicológico e as emoções para esta aventura (risos), é uma historia tão complexa e simples, bonita e devastadora, é uma obra de arte. O amor nem sempre é colorido, mas supera tudo.

Não tem como não amar o casal HESSA <3. Com eles você vai rir, chorar, ter raiva, ataque de fofura e logo que termina vai entrar em depressão, porque a cada final vai melhorando mais e mais, e muitas coisas mal resolvidas, é perfeitamente perfeito e devastador. A cada capitulo uma nova revelação, aventura, amor, ódio e sofrimento. Mas uma leitura perfeita, que não tem como explicar. Só lendo para sentir o prazer.
Essa é realmente uma história verdadeira e que muitas garotas queriam viver, oh sonho! Tenho a certeza que muitos vão querer agarrar esta série e nunca mais largar, falar sobre ela a todos.

Eu queria dar um abraço na Editora Paralela, por nos prestigiar com uma bela história, as capas dos livros e por tudo XD

Sim, é gigante o livro, 604 páginas de puro amor e ódio. Mas os capítulos vão te envolvendo e quando percebe já esta acabando, e bate aquele desespero de ter o próximo em mãos, de saber como vai continuar e querer mais e mais. Esse sentimento de esperar para continuar a história, acaba com qualquer leitor. Mas sabemos que vem muito mais aventura por ai. O terceiro volume será After- Depois do desencontro, que será divido em duas partes, vai ser lançado em junho. Então se preparem mais mais aventuras, Segura o forninho Giovana!!
Quem quiser ler a resenha do volume um, After, só clicar aqui.

Ah, e é conteúdo adulto, então não recomendo as crianças!

Espero que tenham gostado, e deixem seus comentários, é legal saber as ideais de vocês. Bom, até a próxima!

Boa leitura!


Continue Lendo

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Resenha: "Garota < 3 Garoto - Volume 6 - Eu e Você (Ali Cronin)

Sinopse: Um ano se passou desde esse início de Garota Ama Garoto, e Sarah está mais madura e experiente. Disposta a superar o passado, ela voltou a namorar seu melhor amigo, Ollie. Porém, por mais que o relacionamento pareça ótimo, Sarah está atordoada, cheia de dilemas e questionamentos.Depois que seu pai perde o emprego, Sarah tem de abrir mão das últimas férias de verão antes do começo da faculdade, para ajudar com as despesas da família. Enquanto lida com as mudanças em casa, a expectativa pelas notas finais e a impossibilidade financeira de ir para a Grécia com os amigos, Sarah torna-se próxima de Jackson, seu colega do trabalho na livraria. Os dois descobrem que têm muito em comum, e essa amizade confunde ainda mais a garota.Afinal, será Ollie realmente o amor da vida dela? E como ficarão as coisas quando os dois forem para a faculdade? Sarah precisa descobrir um jeito de lidar com todas as inseguranças, sem esquecer dos seus amigos do coração.Fonte: Skoob


Por Eliel: Sou obrigado a concordar com a sinopse, Sarah está mais madura em relação ao primeiro da série, ela parece até mesmo outra pessoa. E gosto mais dela assim, apesar de ter seus medos, diferentemente do primeiro volume, ela os transforma em combustível para seguir em frente.

Os brechós eram incríveis. Com eles e com a Hanff's, concluí que perdi tempo demais da minha vida em lojas grandes e famosas. As independentes tinham alma. Sinto muito, sei que soa piegas, mas é verdade. Não existe outra maneira de explicar.

O colegial acabou, não há mais aulas, o que resta é esperar pelas notas que decidirão o futuro de cada personagem que aprendemos a amar ao longo da série. Sarah e Ollie estão em um relacionamento sério e parece que a vida de todos está tomando um rumo. Porém, não seria uma boa estória se não houvesse uma reviravolta e um pequeno caos que acrescentasse um pouco de tempero nesse felizes para sempre.

Esse ônibus era quieto e silencioso. As pessoas olhavam para o espaço, liam jornal ou algo no Kindle, ou mexiam nos celulares e iPads.

E o tempero na vida de Sarah é o repentino desemprego do pai, as dúvidas que surgem quanto ao seu relacionamento, a procura de um emprego para ajudar nas despesas da casa e a preocupação com o futuro. É, parece que os adolescentes que conhecemos ao longo da série estão se transformando em jovens adultos.


Ainda nesse volume, vamos ver um pouco mais das aventuras e dramas de Cass e a solução do mistério Rich.

Quando se trata de relacionamentos, não existe perfeição. É preciso de dedicar, assim como é preciso se dedicar a tudo o que vale a pena na vida.

A narrativa tem um desenvolvimento extremamente agradável, uma característica presente em todos os livros da série e chega à um final de série perfeito como deveria ser. Sentiremos saudade de Sarah, Ollie, Cass, Jack, Donna. Ashley e Rich.

Se quiser saber mais sobre a série, veja as outras resenhas de Garota <3 Garoto e se encante com esses jovens apaixonados.


Continue Lendo

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Resenha: "A Alma Perdida - Muito Além do Oeste (Dulcelino Neto)

Por Sheila: Oi pessoas como estão? Eu estou com este ebook de um autor nacional para ler há muiiiiiiiiiiiiiitoooooooooooo tempo - mas muito mesmo - e por isso resolvi lê-lo e resenhá-lo neste fim de semana.

"A Alma Perdida" na realidade é um conto que, de cara, nos traz uma sinopse bastante intrigante e que instiga a leitura:
Após acordar sozinho em uma terra sem vida, um homem enigmático terá que desvendar os mistérios da cidade sem nome para poder escapar de um pesadelo sem fim.
Sinistro não? Trata-se de um conto de Dulcelino Neto, que nos enviou seu arquivo em pdf, mas também o está comercializando na Amazon. Mas vamos a ele.

Logo no início, somos apresentados ao nosso protagonista, não nomeado, que acorda confuso e sem saber aonde está. Mas pela descrição do autor, ele encontra-se em meio ao oeste poeirento, tendo apenas um cacto por companhia.

Já aqui, acontecimentos surreais começam a surgir: aparecem itens para o protagonista que, para obtê-los, precisa escalar o cacto. Só que este, não é uma planta normal. E parece ir aumentando em tamanho conforme o protagonista tenta chegar ao topo, bem como parece ferir-lhe intencionalmente. Mas ele por fim consegue chegar ao fim desta primeira "jornada" e, como se tivesse passado por uma prova, toda uma indumentária de cowboy lhe é fornecida, bem como indicação do caminho a seguir.

Depois de muito caminhar, nosso cowboy chega a uma cidade abandonada, mas que carrega um mistério consigo: ele irá encontrar diversos caixões pelas ruas da cidade, antes de resolver refugiar-se em um dos prédios para descansar de sua exaustão e incredulidade diante da situação inusitada em que se encontra.

Pela manhã, uma surpresa: a cidade revela-se cheia de vida, o lugar onde ele adormecera, um tipico saloom do velho oeste. Aqui muitas indagações começam a ser feitas: será que o cowboy está realmente passando por uma experiência surreal? Ou, por algum motivo, está tendo uma experiência alucinada da realidade?

Dizer mais a respeito da trama seria trair o autor, entregando o mistério por detrás dos acontecimentos estranhos que acometem o personagem e o final da história. Ou seja, vocês terão que ler para descobrir o que acontece, sinto muito.

Então, vamos ao que achei da obra. Recebi-a do autor em ebook, contendo cerca de 30 páginas. Foi uma leitura rápida, mas não tanto pelo tamanho do conto. O clima de suspense, o mistério e a tensão que o autor consegue imprimir à obra fazem com que se queira logo chegar ao final.

O final. Esta seria minha única ressalva por que, infelizmente, ele não me convenceu. A narrativa inteira de Dulcelino é cheia de não ditos, coisas encobertas ou contadas pela metade, o que aguça a curiosidade. Esperava que o final seguisse essa linha, mas, da maneira como foi escrito, ficou um tanto quanto... comum. O que de maneira alguma desmerece a obra do autor, a qual recomendo fortemente!

O conto está disponível à venda pela Amazon aqui para quem quiser conferir. Além disso, vale a pena visitar o blog do autor para acompanhar seus outros trabalhos. De minha parte, fico no aguardo dos próximos escritos do Dulcelino. Abraços e até a próxima.

Continue Lendo

terça-feira, 14 de julho de 2015

Resenha: "Infinity Ring - Um motim no tempo - Vol.1 (James Dashner)

Por Clarissa: Ola pessoal, tudo bem? Espero que sim. A minha indicação de hoje é “Infinity Ring - Um motim no tempo - Volume 1” E cada volume é um escritor. Deste foi James Dashner.

Dak Smyth é um garoto comum e muito apaixonado por história, seus pais se chamam Mari Rivera e Brint Takashi. E sua melhor amiga, Sera Froste. E uma organização chamada SQ, que é responsável por salvar o mundo do cataclismo não esta se esforçando muito, querem proibir várias coisas da cidade. O mundo estava acabando aos poucos, Dak e Sera, queriam reverter isso, voltar desde o começo antes de existir a América para corrigir as fraturas.
“– O que eu acho? Acho que temos uma catástrofe global em andamento – Respondeu Brint – Erupções vulcânicas por todo Círculo do Pacifico. Nevascas em regiões da América do Sul em que nunca havia nevado antes. Se tivermos sorte, as tempestades tropicais vindas do Atlântico podem ajudar a apagar os incêndios florestais na Nova Inglaterra.”
Em um passeio ao museu aconteceu algo muito estranho, terremotos, as obras de despedaçando, pessoas machucadas e buracos profundos. Mas quantos Dak e Sera chagaram em casa, estava tudo intacto, nem uma rachadura. E como são curiosos, logo eles queriam saber o que tinha acabado de acontecer. Os pais de Dak eram cientistas e tinham um laboratório, que guardava algo misterioso, e como Sera é apaixonada por ciência logo ela queria ver o que tinha lá. Havia mais fechadura naquela porta do que na casa inteira.
“O laboratório ocupava um imóvel à parte, nos fundos da propriedade dos Smyth- uma construção de alvenaria de três andares sem janelas e com uma única porta de ferro, mantida fechada à custa do que pareciam ser umas cento e noventa e sete trancas diferentes”
Depois que conseguiram abrir todas as trancas, Sera foi a primeira a entrar. E foi quando ela viu uma caixa de vidro a sua esquerda, que estava escrito Anel do Infinito, e Sera quer descobrir o que se trata isso. Sera ficou horas tentando descobrir. Após eles souberem do que se trata, a vida deles viram de ponta cabeça, e perigos. Agora em diante eles têm que tomar muito cuidado, porque se trata de vida ou morte.
“- Procurados. Por crimes contra a Revolução.”
Bom, nesta leitura você vai encontrar muitos mistérios, descobertas, aventuras e muita história. O livro é pequeno tem 239 páginas, A historia para muitos pode parecer infantil, mas tem muitas coisas que prendem o leitor, é como uma aula de história que faz você interagir, se sentir parte da aventura. Gostei da história, só que deixou muitas coisas em aberto, e que com o próximo volume o novo autor vai complementar. O jeito que o autor James Dashner escreve é bem claro e cômico, a leitura nos envolve. 

O que faltou foi mais detalhes da época, porque se trata de eles voltarem no tempo, então quando o texto é relacionado a historia, temos que ter mais detalhes, se sentir dentro da história. É uma leitura muito legal, mas muitos vão ficar com raiva, porque o livro acaba e a historia não, então você fica tipo, o que?! Acabou?!

Mas é uma leitura que te faz querer mais, e esperamos que as próximas seja tão envolvente quanto essa.

A Editora Seguinte fez um jogo relacionado à série, para você se sentir dentro da historia, como se você fosse o Dak ou a Sera, tem que seguir as instruções e vencer o jogo, é muito legal, quem gosta deste tipo de literatura vai se surpreender. Clique aqui para acessar os jogos.

Espero que a continuação venha logo, porque quero ver o que vai acontecer! Não sou muito fã desse tipo de estória, mas até que gostei.

Espero que tenham gostado da minha indicação de hoje.

Ate em breve!




Continue Lendo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris