sexta-feira, 14 de maio de 2021

Resenha: "O Livro Branco Perdido" (Cassandra Clare e Wesley Chu)


Tradução: Mariana Kohnert

Sinopse:  Magnus Bane e Alec Lightwood estão desfrutando da companhia um do outro enquanto aprendem a cuidar do filho, Max, uma criança feiticeira – o que não é, na verdade, tão simples assim. A vida está, finalmente, tranquila para os dois. Até que Shinyun Jung e Ragnor Fell invadem o apartamento de Magnus no Brooklyn e roubam o poderoso Livro Branco de magias e feitiços. Percebendo que Shinyun e Ragnor estão sob controle de uma força sinistra, até então desconhecida, Magnus e Alec precisarão unir forças com seus amigos Caçadores de Sombras e atravessar o mundo para impedir que os dois causem ainda mais danos. Mas, antes de tudo, eles precisam de uma babá para cuidar de Max. Em Xangai, eles descobrem que uma ameaça muito mais sombria os aguarda. A magia de Magnus está ficando instável, e se eles não conseguirem impedir a inundação de demônios na cidade, precisarão segui-los até sua fonte – até o reino dos mortos. Mas, conforme o tempo passa e a situação se torna ainda mais perigosa e arriscada, será que eles conseguirão impedir essa iminente ameaça ao mundo? E será que conseguirão voltar para casa antes que Max esgote completamente a mãe de Alec? 


Por Jayne Cordeiro: "O livro branco da magia" é o segundo livro da nova trilogia da autora Cassandra Clare, dentro do universo dos caçadores de sombra, e focado em Alec e Magnus. Um bom tempo após os acontecimentos do primeiro livro, e agora com o filho Max, os dois estão com uma rotina tranquila. Mas após o ressurgimento de Shinyun, desta vez com Ragnor Fell, invadindo o apartamento do casal e roubando o poderoso livro branco, Magnus e Alec precisam deixar Max com a mãe de Alec, e partir em uma aventura, junto com Jace, Clary, Isabelle e Simon, para Xangai, na tentativa de reaver o livro e impedir os novos planos de Shinyun, que envolvem um vilão muito pior do que o anterior.

Eu sou apaixonada por esse universo do Caçadores de sombra (inclusive tenho uma tatuagem para provar), e sou ainda mais encantada por Alec e Magnus. Na verdade, para quem acompanha os livros da autora à muito tempo, dá um calor no coração ver como todos os personagens amadureceram a cada passo. E no caso do dois protagonistas, eles agora são pais de família, precisando se preocupar com a segurança do pequeno Max, uma criança feiticeira, que ainda está desenvolvendo seus poderes e quer deixar seus pais de cabelo branco.

Com aquele jeito divertido, recheado de aventuras, mistérios e romance, os autores conseguiram criar uma história única e que prende o leitor à cada página. O modo como mesmo nos momentos tensos, os personagens conseguem trazer certo sarcasmo, é um dos pontos mais legais dessa história. Temos também a chance de ver como anda a vida de Simon após sair da academia de caçadores de sombras, e o relacionamento consolidado de Clary e Jace. Vemos também várias referências ao passado de Magnus e porque seu relacionamento com Ragnor e Catarina Loss é tão próximo. 

Fica claro, que é importante você já ter lido alguns outros livros da série, para ter uma experiência mais completa, como a trilogia Peças Infernais, As crônicas de Magnus Bane e Contos da Academia de caçadores de sombras. E entender que essa história se passa antes de Artifícios das Trevas, até preparando o terreno para ele, em algumas coisas. De qualquer forma, este aqui é um livro que mantém o nível elevado desse universo, carregando a mistura perfeita de romance, ação, aventura e diversão. E termina deixando uma ótima promessa para o próximo. Ah, e no final ainda ganhamos um conto bem fofo, focado na Tessa e Jem. 


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


segunda-feira, 3 de maio de 2021

Resenha: "A Verdade sobre amores e duques" (Laura Lee Guhrke)

 

Tradução: Thalita Uba

Sinopse: Está sofrendo a dor de um amor não correspondido? Está confuso com o comportamento inexplicável do sexo oposto? Sente que não há ninguém a quem possa recorrer em busca de compreensão e aconselhamento? Não tema. Lady Truelove o ajudará.   Henry Cavanaugh, duque de Torquil, anseia por uma vida ordenada e previsível. Mas era impossível com a família que tinha. Apenas a mãe facilitava a sua vida... até ela se apaixonar por um artista e decidir seguir o conselho amoroso de lady Truelove, largando tudo para seguir os desejos do coração. Agora Henry vai exigir que a mulher mexeriqueira que deu aquele conselho imprudente o ajude a impedir que o nome da sua família acabe na lama.   Irene Deverill é o que a sociedade londrina considera uma ovelha negra: dirige o jornal da família, é uma solteirona e tem orgulho disso! Mas ninguém sabe que ela possui um grande problema nas mãos: o duque de Torquil demanda que ela o ajude a resolver os problemas da sua família. Esse relacionamento forçado fará Irene descobrir que Henry é mais do que um "lírio do campo" e que ele é capaz de despertar nela sentimentos que nunca pensou possuir.


Por Jayne Cordeiro: "A verdade sobre amores e duques" é o primeiro livro da série "Querida conselheira amorosa...". Neste livro, Henry, duque de Torquil, descobre que sua mãe seguiu os conselhos de uma coluna de revista, e decidiu se casar com um artista mais jovem do que ela, e provavelmente só interessado em seu dinheiro. Ele decide ir atrás da escritora do pseudônimo "Lady Truelove" e exigir que ela resolva o problema em que meteu ele e sua família.

Irene Deverill é a administrado e editora chefe de uma revista popular em Londres, e a colunista conhecida como "Lady Truelove", que oferece conselhos amorosos a aqueles que lhe escrevem. E um desses conselhos a colocam de frente com o Duque de Torquil. Os dois são obrigados a conviver e lidar com diferenças de pensamentos, que sempre o colocam em um embate. Mas mesmo com todas as diferenças, sentimentos podem surgir e colocar seus ideias de futuros à prova.

Sempre ouvi falar dessa série, e agora decidi começar a leitura dela. Esse primeiro livro trouxe uma protagonista bem independente e moderna. Ela não quer casar e ser dona de casa, participa da luta pelo direito de voto da mulher, entre outras campanhas bem modernas para a época. Enquanto isso, o duque é um homem que tenta seguir as tradições e fazer o que se espera de um nobre. Ele não tem nenhum desejo de se envolver com uma mulher que está bem longe do seu perfil ideal.

Eu gostei bastante do livro. No começo, os dois protagonistas estão sempre na defensiva, um com o outro, mas isso vai mudando. Se por um lado, parece demorar um pouco, para as coisas entre eles se desenvolver romanticamente, depois que os dois reconhecem a atração, a coisa flui ainda melhor. Henry fica um encanto, enquanto tenta se afastar de Irene, para protege-la de seus desejos, enquanto ela está disposta a viver esse romance.

Os diálogos são interessantes, levantando um tema bem legal, sobre a mulher ter poder de decisão sobre sua vida, seja no casamento, escolhas profissionais ou pelo direito de ajudar a implementar leis. A forma como Irene tenta mostrar isso para Henry, que sempre foi ligado a um padrão e tradição, é interessante de ver. Fora isso, eles fazem um casal cheio de química. O final foi bem legal, e a cara deles. Só queria que tivesse acontecido um epílogo ou um capítulo a mais, para ver onde os planos deles dariam. Espero poder ver isso nos próximos livros. Foi o primeiro livro da autora, e eu gostei. Não entra na categoria de melhores, mas com certeza vale a pena conferir o resto da série. Ela já está completa, com quatro livros, e pretendo trazer a resenha deles para vocês.



Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta





sexta-feira, 23 de abril de 2021

Resenha: "Cortesã por uma noite - Os mistérios de Bow Street 1" (Lisa Kleypas)

 


Tradução: Ana Rodrigues

Sinopse: Certa noite, o belo e misterioso policial Grant Morgan é chamado para investigar uma vítima de afogamento no rio Tâmisa. Quando chega lá, fica surpreso ao reconhecer Vivien Rose Duvall, um de seus grandes desafetos, a mais famosa e exclusiva cortesã dos salões londrinos.

Grant fica mais surpreso ainda ao perceber que a moça está viva. Sem saber o que fazer, ele decide levá-la para casa, apesar de seu desprezo por ela. Quando Vivien acorda, porém, os dois percebem que ela não se lembra de nada.

Durante a investigação, logo fica claro que a moça sofreu uma tentativa de assassinato e que sua vida ainda está correndo perigo. Enquanto tenta protegê-la, Grant se sente cada vez mais atraído por ela. E Vivien, incapaz de recuperar a memória, se entrega de corpo e alma a seu salvador.

Nesse mistério envolvente cheio de pinceladas de romantismo, duas vidas se cruzam de maneira inesperada e uma paixão avassaladora coloca em dúvida tudo que eles achavam que sabiam.


Por Jayne Cordeiro: "Cortesã por uma Noite" é o primeiro livro da série "Os Mistérios de Bow Street". Nesta série, os mocinhos não são da nobreza e sim membros da força "policial" da época. Neste primeiro livro, Grant Morgan é o mais famoso deles, e ao investigar uma denuncia de vítima de afogamento, ele encontra Vivien Duvall, a mais famoso cortesã de Londres, e alguém com quem ele não tem uma boa relação. Tudo indica que houve uma tentativa de homicídio e agora ele precisa investigar o caso, antes que o assassino retorne para terminar o serviço.

Atrapalhando todo o caso, Vivien acorda sem memória, e não pode ajudar a identificar seu agressor. Grant decide mantê-la em sua casa, escondida, e apesar de ser muito bonita, ele não tem nenhum desejo de se envolver mais do que o necessário com ela. Mas na medida em que ele conhece Vivien cada vez mais, fica difícil manter a distância.

Eu sou suspeita para falar da Lisa Kleypas, porque são fã demais dela. E como sempre, devorei esse livro e terminei muito satisfeita com a leitura. Adorei a ideia de trazer um perfil de mocinho diferente. Focando em uma profissão que eu não tinha nenhuma noção de que existia, e que viria a ser o protótipo da policia.  Grant é um homem admirado e temido na mesma proporção, famoso por seus casos resolvidos. Ele não teve um encontro anterior bom com Vivien Duvall, mas precisa ajudá-la, após a tentativa de assassinato. Mas é difícil associar a Vivien que conheceu, com a mulher sem memória e cheia de inocência de agora.

O legal em Grant é que ele não é um personagem perfeito, só cheio de qualidades. Ele tem alguns comportamentos um pouco condenáveis, mas ainda assim consegue conquistar a mocinha (e o leitores), com seu jeito protetor, decidido e passional. Vivien também é uma personagem muito boa, tentando equilibrar quem ela foi, com quem ela é. Há todo um mistério envolvendo sua quase morte, e Grant e ela, precisam descobrir coisas de seu passado, na tentativa de achar o culpado. A história é bem dinâmica, com essa investigação, como pano de fundo. O casal também tem muita química, e te prende a cada página.

Sobre o enredo em si, ele me lembrou um pouco, uma mistura de dois livros da autora Lorraine Heath, que não foram lançados aqui no Brasil ainda. O único ponto negativo do livro, é que foi muito fácil perceber o que estava por trás de todo o mistério. Não sei se foi exatamente por ter lido um dos livros da Lorraine, ou por que, de qualquer forma, estava bem claro, mas o impacto do "Plot twist" se perdeu um pouco. Mas tudo isso não faz com que a leitura seja menos instigante. Foi um ótimo inicio de série, que parece ser uma trilogia, e já fiquei ansiosa para ler o próximo livro.



Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


sexta-feira, 16 de abril de 2021

Resenha: "Doce Tentação" (K. Bromberg)

 

Tradução: Andreia Barboza

Sinopse: Tudo começou com o convite. Para o novo casamento do meu ex-noivo. 

Deveria tê-lo ignorado. Jogado fora ou ateado fogo. Mas não fiz nada disso. Eu respondi dizendo que iria e levaria um acompanhante. E então, acidentalmente, minha assistente o enviou pelo correio. É aí que Hayes Whitley entra em cena. Estrela de cinema. O homem que conquistou o coração de milhões de pessoas. Entreguei o meu a ele há anos. Ele foi meu primeiro amor. Era meu tudo. Bem, até ir embora para correr atrás dos seus sonhos sem nem me dizer adeus. Quando ele apareceu, do nada, dez anos depois, eu deveria ter me afastado dele. Deveria ter rejeitado sua oferta para me levar ao casamento do meu ex. Nunca deveria ter permitido que ele me beijasse. Mas não fiz isso. E agora, ficamos nos perguntando se os fragmentos de vida que compartilhamos ainda se encaixam de alguma forma. O primeiro amor é difícil de esquecer. A questão é: será que queremos esquecer? Ou devemos arriscar e ver o que acontece depois?


Por Jayne Cordeiro: Em "Doce Tentação" Saylor está tentando fazer sua loja de Cupcakes deslanchar, após ter terminado um noivado. Ela sabe que tomou a decisão certa, mas não quer dizer que não foi impactante receber um convite de casamento do ex noivo com outra mulher, sendo que tudo no convite e casamento está igual ao que ela organizou antes do fim do noivado. Irritada, e sem querer, ela confirma que vai e que ainda levará um acompanhante. E agora?

É aí que entra Hayes, um ex-namorado da adolescência, que marcou a vida de Saylor. Hoje ele é um ator de cinema muito conhecido, e ao se reencontrarem, ele propõe acompanhá-la ao casamento. Isso com certeza mostraria aos convidados que ela superou o noivo, mas como será passar dias com Hayes, com todas as sensações que ele ainda desperta nela?

Adoro histórias em que o casal já teve um envolvimento anterior, e já repeti isso várias vezes, e esse foi o motivo que me atraiu para esse livro. E valeu super a pena. Eu me diverti muito com esse livro, e a autora conseguiu trazer ações e pensamentos muito reais. Gostei muito dos protagonistas. Saylor é guerreira e madura. Ela consegue lidar bem com os acontecimentos ao seu redor. Hayes é uma maravilha. Bem pé no chão,  apesar de ser famoso. Se sente culpado pela forma como seu namoro com Saylor acabou, e tenta ajudá-la agora. Os dois tem uma química ótima, e todas as cenas deles são gostosas de acompanhar.

Eles se reencontram e precisam lidar com questões mal resolvidas do passado e aprender o que mudou em cada um deles. Foi muito realista todo o comportamento que tiveram, como as relações com outros personagens. Foi bem legal ver um protagonista famoso, com esse universo cinematográfico. O uso das redes sociais, mais para a parte final do livro, foi uma escolha ótima e que me divertiu muito. A presença, no fundo, dos cupcakes da Saylor deu mais um ponto positivo ao livro. E as cenas românticas são intensas. Resumindo, "Doce Tentação" foi um livro que soube equilibrar romance, drama e diversão. A leitura é rápida e quando chegamos no fim, queremos muito continuar curtindo esse casal.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta




segunda-feira, 12 de abril de 2021

Resenha: "Para ressignificar um grande amor" (João Doederlein - @akapoeta)

 

Sinopse: Em seu novo livro, João Doederlein (Akapoeta) nos conduz por seu processo de cura e autoconhecimento, resgatando uma lição importante para todos nós: a vida não é feita de certezas, e recriar faz parte do ciclo.

“Em Para ressignificar um grande amor, pude conhecer outra faceta da pessoa incrível que é João. Ele se abre à sensibilidade das palavras, às formas criativas e ilimitadas dos ressignificados e ao jogo de sentimentos que fluem nesta história que ele conta com mãos tão apaixonadas. Matilda foi seu grande amor, e o eu-lírico começa o livro resgatando uma lição importante para todos nós: a tentativa de ressignificar alguém que nos marcou é um movimento necessário para a manutenção da vida. Ele diz: ‘finais não são absolutos. O amor encerra, a gente não’, como quem ainda sente na pele a dor amargurada de algo que poderia ter dado certo, mas não deu. Mesmo assim, se concede a oportunidade de continuar vivendo e seguindo – tanto na vida quando na narrativa da sua história. ― Igor Pires da Silva"

“Se apaixonar é perceber que todas as palavras desconhecidas já existiam dentro da gente. Se desapaixonar é descobrir o nosso próprio significado para cada uma delas. Este livro é um lindo presente para quem se perdeu nesse processo e sabe que o caminho de volta exige coragem. Recomendo a leitura para todas as vezes em que o amor te virar as costas.” ― Bruna Vieira



Por Jayne Cordeiro: "Para ressignificar um grande amor" é um livro de poesia, em que o escritor/protagonista está saindo de um relacionamento, e agora ele precisa aprender a viver sem esse amor, e o como isso muda o sentido e significado da coisas para ele.. Através de termos, em que ele apresenta novos significados ou os adaptada para seus sentimentos no momento, vamos acompanhando a evolução das emoções e pensamentos de uma pessoa que o relacionamento acabou, com as dúvidas sobre o que mudou, quando isso aconteceu, e todo o caminho emocional até que essa pessoa se sinta preparada para dar uma nova chance ao amor.


Não costumo ler livros de poesia, apesar de ter algumas poesias que tenho muito apego. Mas esse livro chegou de presente, e decidi dar uma chance. Principalmente, porque achei a capa linda. Toda a diagramação também é maravilhosa e nunca vi algo combinar tanto com a proposta. E o que dizer dessa obra? Me conquistou demais. Na primeira palavra ressignificada, eu já estava apaixonada. A forma profunda, verdadeira e tão condizente com o modo como nos sentimos com uma desilusão amorosa toca o leitor. É impossível não se identificar com tudo colocado ali.


Com os termos divididos em capítulos, de acordo com o estágio emocional, intercalado com ilustrações simples e tocantes, o leitor vai seguindo adiante e percebendo a evolução ocorrendo ali. A leitura flui bem, apesar de ser um livro que talvez o leitor prefira degustar aos poucos. Acaba sendo uma leitura rápida, porque ele tem menos de 200 páginas, e várias delas são ilustrações ou parte do projeto gráfico. Para quem gosta do gênero poesia, ou já teve a chance de ler outras obras do autor, acho difícil não gostar deste livro.






Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta







sexta-feira, 9 de abril de 2021

Resenha: "Amor sem medidas" (Sophie Jackson)


Tradução: Janaína Senna

Sinopse: Tudo ia bem na vida de Riley Moore, um ex-presidiário que trabalha duro para se manter de forma honesta em Nova York. Um telefonema da mãe, no entanto, acaba tirando o rapaz dos eixos: o pai está internado em estado crítico, depois de sofrer o segundo ataque cardíaco em menos de dois anos. Para estar ao lado da mãe nesse momento tão difícil e tentar resolver seus conflitos com o pai antes que seja tarde demais, Riley deixa tudo para trás e retorna a Michigan, sua terra natal, pela primeira vez em cinco anos. Mas lá não estão apenas os pais de Riley e as memórias de sua família: Lexie Pierce ainda vive na cidade. Grande amor da vida de Riley, ela também foi a responsável por deixar seu coração em pedaços. Como se a alma de um atraísse a do outro, o encontro entre os dois é inevitável. As lembranças de um amor poderoso fazem Riley querer Lexie de volta aos seus braços. Entretanto, a garota esconde um grande segredo, capaz de colocar à prova a confiança e os sentimentos do rapaz. Será que eles conseguirão superar a dor e o sofrimento de sua história para enfim viverem felizes para sempre?


Por Jayne Cordeiro: " Amor sem medidas" é o terceiro e último livro da trilogia "Desejo proibido". Os livros podem ser lidos fora de ordem ou de forma individual, mas o leitor vai curtir bem mais se ler na ordem. Neste livro, Riley, um ex presidiário e agora sócio de uma oficina em Nova York, precisa voltar para a terra natal, após seu pai ter tido um infarto. A relação entre os dois ficou abalada, desde o erro que levou Riley para a prisão. E para piorar, lá na cidade, ele acaba reencontrando Lexi, seu grande amor da juventude, mas que acabou mal.


Lexi e Riley foram amigos de infância e depois namorados. Mas um acontecimento trágico abalou a vida de Lexi e fez com que o relacionamento acabasse, mesmo com os dois ainda apaixonados. Agora, anos depois, eles se reencontram e aqueles sentimentos ainda estão  lá. Mas nenhum dos dois é o mesmo, e um segredo de Lexi, pode piorar ainda mais as coisas, ou talvez levá-los a mais uma chance juntos.


Eu já estava apaixonada por essa trilogia, desde o primeiro livro que eu li. Adoro a idéia da autora de trazer mocinhos que já fizeram algo errado e cumpriram pena por isso. Eles podem não parecer um bom partido devido a isso, mas a mocinha acaba percebendo que há muito carinho, amor e dedicação dentro daquele homem. E esse livro ainda traz algo que adoro e já mencionei várias vezes: um casal que já tem um passado. E o legal é que vamos acompanhando, de forma intercalada, os dois momentos do casal. O passado deles,, desde crianças, quando se conhecem, e também esse novo reencontro, em que precisam lidar com questões do passado e decidir se podem ficar juntos.


Adorei os protagonistas. O Riley é aquele cara que tenta se mostrar mais leve do que realmente é, querendo não mostrar seu sofrimento. Ele é muito ligado aos amigos e a família, e nunca esqueceu seu primeiro e único amor. Lexi é uma mulher forte que sofreu muito no passado, desenvolvendo até depressão. Com tatuagens, piercings e dono de uma loja delicada de joias, ela parece bem incomum. Ela nem sempre tomou decisões acertadas na vida, mas assume seus erros e tenta corrigi-los. Ela e Riley juntos é muito  fofo, além de romântico. Foi um casal que me conquistou fácil.


Adoro a família do Riley, principalmente seus irmãos. Um até já conhecido do livro anterior. Temos um pouco mais dos casais anteriores, que é sempre um prazer. A história é envolvente, mesmo que possa ser um pouco  clichê.  Foi uma ótima conclusao para a trilogia, e essa autora já me conquistou para a vida toda.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta




segunda-feira, 5 de abril de 2021

Resenha: "Apaixonada por um highlander" (Maya Banks)

 

Tradução: Alline Salles

Sinopse: Por conta do coração jovem e negligente de Caelen McCabe, seu clã quase foi destruído. Agora, priorizando a lealdade à família, ele se compromete a se casar com a noiva rejeitada pelo irmão, Alaric, e, assim, salvar a aliança instável entre os dois clãs. Embora a linda Rionna McDonald seja a esposa perfeita para qualquer homem, Caelen não confia em nenhuma mulher, principalmente naquela doce tentação que o atormenta com um desejo ardente. Como um carneirinho sacrificado no jogo de poder de seu pai, Rionna vai cumprir sua função, mas jura impedir que seu coração e seu orgulho sejam humilhados. Apesar de tudo, o calor do toque de Caelen derrete suas defesas e ela almeja as carícias sensuais de um marido que proteja suas emoções tão ferozmente quanto protege o próprio clã.


Por Jayne Cordeiro: "Apaixonada por um highlander" é o terceiro e último livro da trilogia "Irmãos McCabe". Caelen McCabe prometeu jamais se deixar envolver com uma mulher, após os danos que uma paixão causaram ao seu clã anos atrás. Ele também decidiu nunca se casar, mas acaba tendo que fazer exatamente isso, com a antiga noiva do irmão,  para manter uma importante aliança com o clã McDonald. Por mais que se sinta atraído pela noiva, ele precisa focar em criar um clã forte e na guerra que vem à frente.


Rionna McDonald é a filha de um Laird que nunca fez nada por seu povo. Se casar, trará um novo líder para seu clã e a oportunidade de uma melhora para todos. E depois de quase se casar com os dois primeiros irmãos McCabe, finalmente um casamento acontece, com o mais novo deles. Um homem que forte, atraente, que sabe como conquistá-la no quarto. Mas que também pode ser muito duro, sério e com idéias muito fixas sobre como sua esposa deve se comportar. Mas Rionna é uma guerreira, além de uma lady, e não pode deixar sua natureza de lado. E agora ela quer mais do que apenas um novo Laird para o clã. Ela quer conquistar o coração do seu marido.


Apesar de esse ser o terceiro livro da trilogia, é possível fazer a leitura dele de forma individual. Mas como acontece com qualquer série, mesmo com livros individuais, o leitor vai aproveitar mais da experiência, lendo na ordem. Eu adoro romances de época, ainda mais aqueles que se passam na Escócia. Amo esse universo de clãs, lairds e casamentos arranjados. E aqui não foi diferente. 

 

Os protagonistas entram nessa relação sem quererem, mas precisando lidar com isso. São dois personagens teimosos, acostumados a fazer as coisas do seu jeito, mas que não chegam a ficar todo o tempo en pé de guerra, o que achei ótimo. Não sou muito fã de casal que fica se alfinetando ou com birra o tempo todo. Rionna é uma protagonista excepcional. Ela quer o melhor para o seu povo, e luta para fazer o relacionamento deles dar certo. Ela sabe lutar, e não quer ser só a Lady que toma conta da casa. Ela vai atrás do que quer, sendo muito esperta e corajosa.


Já Caelen é um homem duro, que procura não se entregar. Ele cobra muito do clã McDonald, mas cheio de boas intenções. Ele pode ser um pouco ranzinza, duro, mas pode ser muito confiável, protetor e carinhoso. Um pouco machista sim  por esperar um determinado comportamento, mas ele se adapta bem a realidade deles. As cenas dos dois juntos são ótimas, com sensualidade e romance. A participação de personagens secundários, como os irmãos de Caelen e outros membros dos clãs, dão o clima leve e divertido a história. Como outros romances do estilo, o leitor vai encontrar romance, interações divertidas de família, aventuras e lutas com espadas. É com certeza, um bom livro do gênero.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta



sexta-feira, 2 de abril de 2021

Resenha: "Desejo Proibido" (Sophie Jackson)

 

Tradução: Thalita Uba

Sinopse: Primeiro livro de uma trilogia, Desejo proibido é uma história de amor e redenção, de universos distantes que se aproximam e se fundem numa paixão avassaladora.  Seu amor é proibido, mas não pode ser ignorado.  Katherine Lane nasceu em berço de ouro. Filha e neta de senadores, a bela ruiva de olhos verdes e curvas perfeitas se formou em Literatura e surpreendeu a todos ao decidir dar aulas em uma penitenciária.  Mas quando Carter, um detento inteligente e perigosamente sexy, desperta ao mesmo tempo a raiva e o desejo de Kat, ela é forçada a admitir para si mesma que a decisão de lhe dar aulas particulares pode ter sido motivada não pela generosidade, mas sim pela crescente atração entre os dois.  Embora a família e os amigos de Kat temam que a paixão destrua sua carreira e sua vida, tudo o que ela quer é ficar com esse homem que a faz sentir-se completa. Porém Carter guarda um segredo que tanto pode unir seus destinos para sempre quanto afastá-los de uma vez por todas.


Por Jayne Cordeiro: "Desejo Proibido" é o primeiro livro de uma trilogia, em que cada um pode ser lido separadamente. Neste livro, Kat ainda sofre com a morte do pai, quando ela tinha apenas nove anos. Hoje, já mais velha, tenta cumprir o legado dele, dando aulas em uma penitenciária. E é lá que ela conhece Carter, um jovem inteligente, sexy, mas sempre na defensiva, que está precisando cumprir algumas aulas para conseguir sair em condicional.

Carter sempre se sentiu renegado pela família, e nunca pode contar com ninguém além de seu melhor amigo Max. Para cumprir uma dívida, ele acaba preso e agora precisa de ajudar de Kat Lane, a professora para detentos. Mas há dois problemas, a atração inesperada e forte que une os dois, e um segredo do passado de Carter que pode uni-los ou separá-los para sempre.

Quem acompanha as resenhas do blog, sabe que eu comecei a leitura dessa série pelo meio, como o segundo livro "Paixão Libertadora", que eu adorei. Como gostei muito do livro e da escrita, fui atrás dos outros livros da trilogia, e não consegui largar esse daqui. Se eu achava o segundo bom, esse aqui foi ainda melhor. Adorei a história de Carter e Kat. Quando você começa o livro ou idealiza o Carter, não passa pela sua cabeça, o homem sensível e carente que ele é. É impossível não querer abraçar esse homem. Já Kat é uma mulher forte, idealista e que precisa se mostrar forte pelas inseguranças de Carter.

Eles são muito bons juntos, com toda aquela tensão no começo, e depois só paixão e carinho. A forma como Carter se comporta, suas relações tão fortes com o amigo Max (do segundo livro) e com a avó, são encantadoras. O livro ainda busca abordar o preconceito ao ex presidiário, e como é difícil escapar dos estereótipos. A leitura é rápida, dinâmica, e gostosa de acompanhar. É um livro que já te conquista para os outros da série, até por trazer um protagonista fora dos padrões. Vale muito a pena dar uma chance a essa trilogia.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta



segunda-feira, 29 de março de 2021

Resenha: "Raptada por um conde" (Stephanie Laurens)

 

Tradução: Silvia Moreira 

Sinopse: Londres, 1829. Angélica Cynster decidiu comparecer ao sarau na casa de lady Cavendish como parte da estratégia para encontrar o seu herói e futuro marido. Ela sabia que o reconheceria à primeira vista. Por isso, quando notou a presença de um nobre misterioso, ela soube que era o seu escolhido. Apesar do aparente interesse, ele não fazia nenhum movimento para se aproximar, e paciência nunca foi o forte de Angélica. Confiando no seu instinto e na sorte que o amuleto da Senhora lhe dava, decidiu dar o primeiro passo e se aproximar daquele homem enigmático. Tudo ia bem no seu primeiro encontro, até que uma atitude do seu herói a faz questionar as intenções dele: Angélica acabara de ser sequestrada! Dominic Lachlan Guisachan, oitavo conde de Glencrae, não tinha planejado sequestrar Angélica Cynster, mas decidiu que não poderia desperdiçar a oportunidade quando ela o levou para um local mais isolado. Após os repetidos fracassos de seus homens em capturar suas irmãs, Heather e Eliza Cynster, Dominic decidiu tomar para si essa tarefa. Ele precisava levá-la para um local seguro, onde pudesse convencer Angélica a ajudá-lo. Era a última chance de Dominic para salvar o clã e todos que importavam para ele. E tudo o que Angélica queria em troca era o seu amor. Fechando a trilogia das irmãs Cynster, Raptada por um Conde revela a verdade sobre os sequestros das Cynster. O desfecho dessa intriga depende da ajuda que Angélica pode oferecer a Dominic. Um enredo com personagens audaciosos e uma trama misteriosa e cheia de aventuras que vai conquistar o público.


Por Jayne Cordeiro: "Raptada por um conde " é o terceiro e último livro da trilogia "As irmãs Cynster - Nova Geração ", da autora stephanir Laurens. Neste livro, Angélica acaba conhecendo um nobre misterioso em um baile, e tem certeza de que ele será seu heroi e marido. O que ela não imaginava é que seria sequestrada por ele e levada para a Escócia, com o objetivo de ajudá-lo a salvar seu clã.

Dominic vai à Londres na intenção de cumprir aquilo que seus empregados não conseguiram: sequestrar uma das irmãs Cynster. Depois de tudo dar errado na tentativa de sequestrar as duas primeiras, ele não tem mais tempo, e decide resolver com as próprias mãos. Mas nem ele imaginava que a própria Angélica Cynster daria um jeito de ficar a sós com ele. Mas talvez tudo seja obra do destino, para que as duas pessoas certas possam enfim se conhecerem e resolver esse problema que envolve as duas famílias.

Eu estava bem curiosa para ler esse livro, porque sempre houve o mistério sobre porque alguém estava querendo sequestrar as jovens da família Cynster. Mas agora, finalmente descobrimos o chefão da história toda e qual a motivação de tudo. E eu adorei. 

Já gostava dos outros dois livros, mas esse aqui foi com certeza o melhor para mim. As coisas começam um pouco devagar, porque a autora não consegue trazer tanta leveza ou diversão. Mas depois que o casal se aproxima, meu Deus, a coisa fica boa demais! Eu não resisto a um nobre escocês, e histórias envolvendo clãs, e isso já foi um ponto alto. Angélica também foi uma personagem excepcional. Apesar de nova, ela é muito inteligente, analítica e racional. Ela sempre teve o foco de fazer Dominic se apaixonar por ela, e fez isso de uma forma incrível. E era interessante de ver, porque Dominic percebia os momentos, mas se viu incapaz de ir contra a isso.

Eu gostei bastante do livro, apesar de a autora não estar no meu top 5 de autoras do gênero. Ela acaba detalhando muito caminhos, e você sente um pouco em uma viagem turística entre Inglaterra e Escócia, mas as interações do casal e deles com personagens secundários é muito legal e compensa tudo. Adorei o livro não ter seguido por caminhos clichês que eu esperava, e ter criado protagonistas fortes, espertos, que nunca ficavam atrás do antagonista do livro. Foi um encerramento perfeito.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta

sexta-feira, 26 de março de 2021

Resenha: "Apenas uma noite" (Kendall Ryan)

 

Tradução: Jaqueline Costa

Sinopse: Da autora da lista de best-sellers do New York Times, Kendall Ryan, vem um romance independente sobre um pai solteiro e a nova vizinha, por quem ele se apaixona.

Ontem à noite foi a noite mais embaraçosa da minha vida.
Eu era aquela garota.
Você sabe, a garota totalmente bêbada que comemora seu trigésimo aniversário com suas duas melhores amigas – que são bem-casadas. E quanto mais eu bebia, mais queria fazer algo imprudente para comemorar.
E com “imprudente”, me refiro ao homem sexy e sedutor vestindo terno, em pé e perto do bar. Imagine o tipo dele – alto, moreno e bonito. Eu tinha certeza de que ele era areia demais para o meu caminhãozinho, mas eu tinha bebido o suficiente para que esse fato parecesse não ter importância. Eu não sou gorda, fique sabendo, mas fica claro que gosto de batata frita, então…
Ele me levou para casa e a nossa transa estava sendo a melhor de toda a minha vida. Bem, até sermos interrompidos inesperadamente.
Não há nada como ser interrompida no meio do caminho por uma vozinha perguntando: "O que você está fazendo com meu pai?"
Preferia estar morta... eu pensei.
Venha ver como o homem em quem montei como quem monta um touro no rodeio se tornou meu senhorio.


Por Jayne Cordeiro: Em "Apenas uma noite" conhecemos Kate, que está completando 30 anos, comemorando em um bar com as amigas. Ela não quer saber de relacionamento certo com ninguém, mas não dispensaria um caso de uma noite. Ainda mais com o homem mais bonito e sexy que ela já viu, que está no outro lado do bar. Os dois acabam conversando e a química é tão boa que seguem para a casa dele, Hunter, para uma noite movimentada. Mas as coisas complicam quando a filha de Hunter, de cinco anos, acaba pegando os dois no flagra. E depois de sair correndo de lá, Kate descobre que o mesmo homem será seu senhorio, em seu novo apartamento. O que será que vai acontecer à partir daí?

Eu já li vários livros da Kendall Ryan, mas nunca um lançado aqui no Brasil. Esse livro tem uma temática bem comum nos romances eróticos lá dos EUA. E eu adoro uma história envolvendo um pai solteiro. O livro é pequeno, com um pouco mais de 170 páginas, e dá para você ler em uma sentada. Eu recomendo como uma forma de leitura rápida, para distrair e tirar aquela ressaca literária. O enredo é simples, divertido e quente, tudo na medida certa. Conta com a presença de uma criança bem inteligente, que não deixa passar nada, o que garante boas risadas.

Kate é aquela personagem que tem medo de compromisso e precisa sempre reafirmar que não quer relacionamentos. Já Hunter, é aquele típico pai bonitão, super atencioso com a filha, que está atraído, mas que busca mesmo um relacionamento sério. A história corre bem, é dinâmica, as interações dos personagens prende, e as cenas sensuais são ótimas. Minha única ressalva, é que o livro poderia ter rendido bem mais coisa, criando plot`s bem legais, mas que não foram aproveitados. Pelo que eu conheço do perfil da autora e outra do gênero, o objetivo não era realmente aprofundar. Mas o livro ainda é uma leitura gostosa e interessante para passar o tempo.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta

segunda-feira, 22 de março de 2021

Resenha: "De volta para casa" ( L. A. Casey)

 

Tradução: Débora Isidoro

Sinopse: Para Lane, voltar para casa é difícil. É difícil porque seu amado tio Harry morreu de repente, mas também por causa dele: Kale.

Kale Hunt é seu melhor amigo desde a infância. Mas nunca foi simples. Por causa dele, Lane saiu de casa e foi morar em Nova York. Vê-lo com outra pessoa, apaixonado por outra pessoa, não deveria doer. Mas doía. Doía muito, de verdade. Então ela levantou acampamento e foi embora, começou uma vida nova e se desligou do passado.
Mas agora está de volta, e todos os sentimentos estão bem ali. Como se nunca tivessem ido embora.
As emoções são intensas, e a tragédia tem um jeito estranho de unir as pessoas. Mas Lane está lendo os sinais corretamente? Eles ainda são só amigos, ou existe mais alguma coisa?

Por Jayne Cordeiro: "De volta para casa", da autora L.A. Casey, lançado pela editora Allbook, nos apresenta Lane, uma jovem inglesa que passou os últimos seis anos nos EUA, quando decidiu sair de casa, mesmo com a desaprovação da família. Mas Lane não tinha outra opção, ela precisava sair de perto de Kale, seu melhor amigo desde a infância, e por quem sempre foi apaixonada. Mas ele nunca a viu como mais que uma irmã, e quando ela descobriu que ele teria um filho com a namorada, Lane precisou fugir da dor que isso lhe causaria.

Mas agora, anos depois, com o falecimento de um ente querido, Lane é obrigada a voltar e lidar com todas as pessoas que deixou para trás, incluindo Kale, e tudo o que mudou em suas vidas. Como será o encontro dela com Kale, após todas as coisas que falaram um para o outro? Será que os sentimentos dela mudaram? E quanto a Kale? Que parece outra pessoa, apesar de tratá-la da mesma forma?

Eu estava curiosa para esse livro, porque adoro casais que já tiveram um envolvimento anterior. Ainda mais quando envolve velho grandes amigos. E esse livro consegue nos mostrar presente e passado, intercalando entre o encontro atual entre os personagens e suas memorias em conjunto, desde a infância. Lane e Kale eram muito fofos quando crianças e adolescentes. Era um encanto ver essas memórias. E é legal, porque também acompanhamos como o sentimentos da Lane vão mudando com o tempo.

O livro é todo pelo ponto de vista da Lane e é muito fácil simpatizar com ela, e se apaixonar pelo Kale junto também. Mas ficamos bem tristes em ver o sofrimento dela, pelo amor não correspondido. Apesar que várias vezes levantar a dúvida, se realmente não havia nenhum retorno de Kale. Adorei os personagens secundários. A família de Lane é muito legal, me diverti demais com eles, e adorei como eles são super protetores e se preocupam tanto com ela. A interação deles, com ela e Kale, que é praticamente um membro da família, foi o ponto alto do livro.

"De volta para casa" não é um romance cheio de cena sexuais (tem algumas), mas ele trás muito mais do drama e romance, mesmo que o casal demore para deslanchar. Foi um livro que me conquistou e devorei em pouco tempo. A escrita da autora é envolvente, gostosa, dinâmica, e você consegue se emocionar, se irritar e divertir na medida certa. Foi uma leitura que valeu muito a pena e recomendo.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta




sexta-feira, 19 de março de 2021

Resenha: "Paixão Libertadora" (Sophie Jackson)

 

Tradução: Thalita Uba

Sinopse: Max O’Hare já passou por muitos momentos difíceis na vida. Depois de perder um grande amor e ter que se internar numa clínica para se livrar das drogas, ele decide que é hora de trocar Nova York por uma cidade do interior, na tentativa de se reerguer ao lado da família. É lá que ele conhece a deslumbrante Grace Brooks. Amante da arte e da fotografia, ela parece a mulher perfeita. Mas o que Max não sabe é que ela guarda a sete chaves a verdade sobre o próprio passado.  Atraídos um pelo outro, mas com medo das consequências que um relacionamento sério pode trazer a suas vidas já complicadas, eles fazem um pacto para que a relação seja apenas sexual, sem sentimentos envolvidos. Até que as coisas começam a mudar entre os dois... Presos a grandes medos e a segredos profundos, Max e Grace precisam aprender a confiar de novo e se entregar um ao outro não apenas de corpo, mas também de alma. **** Grace deu um gritinho de surpresa e se virou, a mão apertando o peito, e encontrou Max sorrindo daquele seu jeito devastadoramente lindo, apoiado de modo casual em uma das colunas do porão. Ele era tão sexy! – O que você está fazendo aqui embaixo? – perguntou ela, sua voz tremendo com a adrenalina que ainda pulsava em seu corpo. Ela não sentia medo, é claro, mas a maneira como Max a fitou fez seu corpo tremer de forma deliciosa. O olhar dele passeou pelos degraus até a porta do porão, que só tinha uma frestinha aberta. Max deu um sorriso maroto e abaixou a cabeça, cravando-lhe olhos predadores. – Imagine minha alegria quando Holly disse que você estava aqui embaixo. Ele deu um passo na direção dela. – Só você... Outro passo. – ... e mais... E outro. – ... ninguém. As costas de Grace bateram na pedra fria. Seu peito se agitou. – E por que isso alegraria você? Ele parou, os olhos passeando por sua saia jeans, pelo seu decote, e seguindo até seu rosto. – Porque eu me lembro perfeitamente de você me dizendo que tinha imaginado nós dois fazendo sexo aqui.


Por Jayne Cordeiro: "Paixão Libertadora" é o segundo livro da trilogia Desejo Proibido. Ele pode ser lido separadamente sem nenhum problema, mas garanto que você vai ficar curioso para ler o primeiro e o terceiro livro da trilogia, porque eu me apaixonei pelo trio de amigos que são os protagonistas dos livros. Neste aqui, temos Max, um viciado em drogas que está tentando se manter limpo, depois de chegar ao fundo do poço. Ele ainda sofre pela mulher e filho que perdeu, e na tentativa de melhorar, ele decide passar um tempo ajudando um tio, em uma cidade pequena.

É lá que ele conhece Grace, uma mulher que precisa superar o traumas de um relacionamento abusivo, e vê na atração inesperada que sente por Max, a chance de superar seus medos. Só que Max deixa claro que jamais irá se apaixonar novamente. Mas será que o companheirismo e amizade que surge entre o dois, associado a atração forte, conseguirá ficar restrita apenas a sexo?

Eu me surpreendi muito com esse livro, e não consegui largar. Adorei a escrita da autora, que sabe dedicar tempo ao desenvolvimento dos personagens, tanto individualmente, quanto como casal. Ela abordou de forma bem interessante a questão da dependência e o processo para se desvincular das drogas e dos gatilhos que levam à elas. Max é um personagem incrível. Apesar do histórico ruim que carrega, ele consegue ser divertido, atencioso e sexy. Ele é muito paciente com as dificuldades da Grace.

Ela também é uma personagem muito bem construída, que não se deixa abater pelo peso do relacionamento anterior. Apesar de ter limitações emocionais devido a isso, ela busca sair da zona de conforto dela e evoluir. Esses dois juntos são encantadores. Os momentos de interações deles, mesmo os não sexuais, são gostosos e doces de acompanhar. Adorei a pequena cidade e seus habitantes. A familia de Max e outros personagens secundários, como os amigos Carter e Riley, foram um ponto positivo à mais. Foi livro que terminei com uma sensação muito positiva e com a urgência de procurar os outros livros da série para ler.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


terça-feira, 16 de março de 2021

Resenha: "O safado do 105" (Mila Wander)

 

Sinopse: A analista de sistemas Raissa Magalhães finalmente compra um imóvel e realiza o sonho de morar sozinha. Assim que ela se muda para a casa de número 104, descobre que seu novo vizinho, que ela apelida de Calvin, é um chef de cozinha alto, bonito, jovem e sarado. Com o tempo, ela descobre que dormir em seu novo quarto será uma missão impossível. Da casa 105, geminada com a sua, chegam, noite após noite, gemidos e gritos de prazer das mulheres que visitam seu vizinho. A vocação do rapaz para a safadeza não só impedirá Raissa de dormir profundamente, mas irá incitá-la e excitá-la de tal maneira que ela, também, começará a frequentar o 105. O desejo de Raissa se transformará em paixão. Só que a analista de sistemas sabe muito bem que se apaixonar por um homem com tamanho currículo sexual pode não ser a coisa mais sensata. Conseguirá Raissa mudar o jeito irresponsável e descompromissado de seu vizinho, fazendo-o se apaixonar por ela? Ou será que almejar um futuro amoroso ao lado de um safado convicto é pura ilusão? Descubra ao ler este romance de Mila Wander, o fenômeno brasileiro da plataforma digital Wattpad, com mais de 4 milhões de leituras, uma obra na qual erotismo e romantismo são dois bons vizinhos.


Por Jayne Cordeiro: "O safado do 105" é um livro que está na minha estante faz tempo, e finalmente decidi pegar para ler. Foi um livro que peguei sem grandes expectativas. Já tinha escutado muito sobre a autora, mas nunca tinha lido nada dela. E depois desse livro, vou correr atrás de outros livro dela, porque adorei esse aqui.

O título do livro é bem sugestivo, mas não poderia ser outro, já que o vizinho de Raissa, que ela apelidou de "Calvin", é um pegador assumido, cheio de frases com duplo sentido. O homem é lindo de morrer, e pelo que ela escuta através da parede, parece ser muito bom de cama. E apesar dele mostrar muito interesse por ela, Raissa não quer se envolver com o vizinho, pois finalmente conseguiu sua própria casa, e sabe que se envolver com o vizinho pode complicar tudo. Mas falar é mais fácil do que fazer, e resistir ao homem vai ficando cada vez mais difícil.

Eu me diverti bastante com esse livro. Ele é longo, com 500 páginas, mas eu acabei lendo muito rápido, e nem senti o tempo passar. Gostei muito dos personagens, principalmente a Raissa, que é uma mulher madura, inteligente e bem resolvida com ela mesma. "Calvin" é um colírio para os olhos, uma mistura ideal de safadeza com carinho. E é dificil não se apaixonar por ele, mesmo que as vezes o leitor queira dar umas sacudidas nele, para ver se tomava jeito.

A dinâmica entre os dois é bem gostosa de acompanhar. Eles são divertidos e se complementam. A tensão sexual também é gritante, e é interessante ver cada um lidando com seus demônios, enquanto o relacionamento dos dois vai se desenvolvendo. Apesar de ser um livro bem hot e divertido, ele também apresenta algumas situações bem dramáticas, criando um bom equilíbrio. A escrita da autora é muito boa, e ela soube criar uma história longa, mas que não trás nada de enrolação. Foi um livro que gostei muito, e recomendo!


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta






sexta-feira, 12 de março de 2021

Resenha: "Volte para mim" (Paola Aleksandra)

 

Sinopse: "Aos dezesseis anos, Brianna Hamilton fugiu da Inglaterra para a Escócia, abandonando sua família e as obrigações como herdeira de um duque. Em meio aos prados escoceses, a ovem encontrou refúgio e descobriu mais sobre a mulher que desejava ser. Mas, onze anos após a fuga, uma dolorosa verdade fará com que ela deseje nunca ter partido. Voltar será como relembrar o passado, a fuga, o medo e as escolhas que precisou fazer. E, enquanto luta para reconquistar seu lugar junto à família, Brianna precisará superar Desmond Hunter, melhor amigo e primeiro amor, que anos atrás ela escolheu deixar para trás. Volte para mim é um romance arrebatador sobre recomeços, sentir-se inteira e, acima de tudo, confiar no amor. "


Por Jayne Cordeiro: "Volte para mim" é um romance de época, escrito pela brasileira Paola aleksandra. É um livro que ficou muito tempo na estante sem ler, e que decidi pegar, como parte do meu projeto de leitura de livros que estão encalhados na minha estante. Nesta obra, a protagonista Brianna, fugiu de sua família anos atrás, para ir à Escócia, encontrar seu avô. Agora ela está de volta a Inglaterra, onde sua mãe está muito doente, e precisa lidar com todas as pessoas que ela deixou para trás.

Desmond Hunter foi uma dessas pessoas. Ele e Brianna sempre foram grandes amigos e tudo indicava que se casaríam no futuro. Mas com a fuga dela, tudo ficou para trás. Ou assim eles pensavam, até que se reencontram e os sentimentos parece que não morreram com os anos. Será que eles dois poderão esquecer as mágoas do passado?

Eu nunca tinha lido nada da autora, então fiquei curiosa para ler esse romance de época, que é um gênero que amo. Mas já fui meio receosa, pois poucas autoras nacionais que li, conseguiram me fazer sentir que estava realmente naquele século passado. Muitas vezes as histórias acabam muito modernas, sem o traquejo social da época ou com liberdades que não são comuns naquele período. E esse foi um dos problemas que esse livro teve para mim. Eu teria gostado muito mais dele se eu não sentisse que estava lendo uma história moderna que tentava se passar em 1800. 

Gostei bastante da escrita da autora, o livro é bem dinâmico e a leitura é interessante. Teve personagens que adorei, como Desmond e seus irmãos. Quis bater no casal protagonista em alguns momentos, porque queria obrigá-los a conversar direito e resolver as questões do passado. E fiquei curiosa sobre a motivação de Brianna para fugir para Escócia, o que foi um mistério durante boa parte do livro. Mas quando descobri, não me senti convencida. Como também não gostei dela ter passado tanto tempo longe de casa, sabendo do estado da mãe. 

Mas apesar das questões que me incomodaram o pouco, achei a leitura bem legal. Li bem rápido, e fiquei curiosa para saber onde tudo daria. O livro consegue trazer várias características que gosto dos romances de época, como a participação familiar, os diálogos interessantes e um romance encantador. É um livro me deixou animada em dar uma chance a outros livros da autora.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


segunda-feira, 8 de março de 2021

Resenha: "Dear Heart, Eu odeio você!" (J. Sterling)

 

Tradução:  Carlos Szlak e Fabio Maximiliano

Sinopse: Jules era viciada em trabalho. Colocando sempre o amor em segundo plano, sua principal meta era construir uma carreira com sólida reputação. Cal Donovan era muito parecido. Ele havia traçado uma lista de objetivos para alcançar na vida, e nela só havia espaço para ascensão profissional. Mas um encontro ao acaso muda tudo. De repente, o amor não parece uma distração para atrapalhar seus planos. Como fazer um relacionamento dar certo quando a sua cara-metade mora a milhares de quilômetros de você? Como viver esse amor sem abandonar tudo o que construiu? Algumas vezes as nossas mentes elaboram planos, estabelecem metas, perseguem sonhos. E algumas vezes os nossos corações ignoram as nossas mentes e decidem apostar no amor.”

Por Jayne Cordeiro: "Dear Heart, Eu odeio você!" é um livro que estava guardado na minha estante faz um bom tempo, e que decidi pegar para ler. A sinopse me atraiu com a ideia de um relacionamento à distância, e os personagens me conquistaram muito rápido. A forma descontraída como Jules e Cal se conheceram, tão natural e que poderia ter acontecido com qualquer pessoa. E a dinâmica entre eles é muito gostosa de acompanhar. Gostei de como eles se adaptaram ao relacionamento deles, e como eram parecidos em termo de gostos trabalho. 

Eles são um casal que a gente sorri o tempo todo enquanto estão juntos. É interessante ver um casal se conhecendo, com paciência, apesar da atração forte. Muitos romances em livros, são explosivos e tudo acontece muito rápido. Mas nesse livro, tudo acontece seguindo o fluxo. Eu gostei dos dois protagonistas. Até me surpreendi, porque achei que um dele faria uma das besteiras clássicas do relacionamento à distância, mas nem foi assim. O que aconteceu de problemática seguiu o mesmo clima e contexto de todo o desenvolvimento da história. E isso manteve tudo bem coeso.

Os outros personagens secundários, como Tami e Lucas (amigos deles) são muito divertidos, e são um suporte bem legal para as dúvidas amorosas de Cal e Jules. A história toda é bem atraente. A autora consegue criar, de forma verdadeira, uma ligação entre os personagens. Eles dois são divertidos, compreensivos e apaixonantes. As cenas românticas são ótimas e até os diálogos distantes deles, também. É uma leitura gostosa, leve, que não trás grandes reviravoltas, mas é um bom romance. Recomendo para quem quer ler um bom romance, mas sem muito drama ou sofrimento.


Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta




 
Ana Liberato