sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Resenha: "A Garota do Lago" (Charlie Donlea)

Tradução: Carlos Szlak
Por Sheila: Oi pesso@s como estão? Andei numa ressaca literária horrorosa, de não conseguir ler nem bula de remédio, o que já estava me deixando doida com tantos livros lindos na mina estante pedindo para ser abertos.

Por isso, foi com grande expectativa que decidi pra quebrar o “jejum” que se instaurara desde fins de 2016 e começar a ler “A Garota do Lago”. Acredito que o que mais me instigou a leitura foi a chamada da orelha que dizia ser esse "Um suspense brilhante e assombroso, como se Garota Exemplar encontrasse O Silêncio dos inocentes", por isso já aviso que minhas expectativas eram altíssimas.

Logo de início somos apresentados a Becca e seu assassino – apesar de que não é nos dito quem ele é, mas que há laços entre os dois, dado que a mesma se emociona ao vê-lo pela porta e abre a mesma para que ele entre.

Segue então o relato de um ataque violento, com direito a cabelo arrancado do couro cabeludo, socos e pontapés, sufocamento e estupro, vindo Becca a falecer no hospital em virtude dos ferimentos.
Despreparada para o ataque dele, Becca sentiu os calcanhares serem arrastados por sobre o piso de ladrilhos. Então, ele a empurrou com força contra a parede. Agarrando-a pelos ombros e pelos cabelos, arrastou-a até a cozinha. O pânico esvaziou a mente de Becca. Naquele momento, todas as ideias e imagens que tinham estado ali até alguns segundos atrás desapareceram, dando lugar aos seus instintos mais primitivos. Becca Eckersley passou a lutar por sua vida.

Ficamos sabendo logo em seguida que Becca é Rebecca Alice Eckersley, uma jovem graduada em Direito que estava em Summit Lake para estudar e que, aparentemente, não possuía inimigos, logo, sem suspeitos para o que quer que tivesse ocorrido na casa da família em um lugar tão calmo e pitoresco. Filha de um advogado poderoso e influente, a morte de Becca é tratada inicialmente como mais um caso aleatório de arrombamento que acabou muito mal.

Mas tanto a repórter investigativa Kelsey Castle, como o detetive de Summit Lake não acreditam que esta seja, de fato, a melhor explicação para o que ocorreu à Becca. Há alguns moradores de Summit Lake, antigos conhecidos da família, que também trazem à tona segredos escondidos até mesmo dos pais de Becca. 
A confissão no café foi um teste. Prático. No último ano, Becca guardara muitos segredos - e aquele era o maior e mais insensato de todos. Os outros podiam ser atribuídos à juventude, à inexperiência. No entanto, esconder essa última parte de sua existência era pura imaturidade, explicada apenas pelo medo e pela ingenuidade. O alívio que sentiu ao enfim contar para alguém confirmou sua decisão. Seus pais precisavam saber. Já era hora.

Aliado a isso, temos o fato de que detetives estaduais tomaram o caso da polícia local, cortando o fluxo de informações; há uma autopsia sendo impedida de chegar ao conhecimento da imprensa, como se houvesse algo a ser ocultado o máximo de tempo possível; e a certeza de que Becca estava escondendo algo realmente muito importante para alguém. Seria o motivo de ter sido assassinada?

Também vamos acompanhar Kelsey Castle tendo que enfrentar os próprios fantasmas ao se deparar com os detalhes da morte de Becca, algo que ela desconhecia ao resolver escrever sobre o caso; tendo que superar um luto ainda recente, descobrir a verdade sobre a morte de Becca vira não só mais um trabalho investigativo, mas também uma forma de lidar com sua própria parcela de dor.

Pensei muito antes de escrever esta resenha, a fim de tentar ser clara e justa em todos os aspectos possíveis, inclusive discuti com outras pessoas a respeito de alguns pontos, a fim de tentar ser o mais democrática possível. Assim, vou dividir esta parte seguinte entre os pontos fortes e fracos da leitura.

Um dos pontos fortes é a escrita fluída e as frases bem construídas do autor que consegue escrever e descrever as cenas de forma a instigar a curiosidade. Além disso, a forma como a história é contada - partindo do ataque a Becca, passando pela reconstrução dos fatos por Kelsey e voltando mais atrás, 14 meses antes de tudo acontecer - vai fazendo com que a imaginação e curiosidade sejam cada vez mais instigadas. Destaco também o enredo, não de todo original mas bastante interessante em nos levar nessa caçada para descobrir os segredos de Becca Eckersley.

Infelizmente também houveram pontos, não digo fracos, mas que fizeram a leitura ficar um tanto quanto dificil, particularmente para mim. Uma delas foi a facilidade com que Kelsey consegue fazer com que um médico, o xerife e algumas pessoas que tinham estreita convivência com a família de Becca comecem a lhe revelar informações que deveriam ser íntimas/confidenciais. Também notei alguns equívocos de continuidade, principalmente na reconstrução da cena do ataque à Becca.

No mais, recomendo a leitura, e espero que vocês possam ler e me dizer o que acharam. Abraços e até a próxima!

Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


0 comentários :

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris