sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Resenha: "O Iluminado" (Stephen King)

Tradução : Betty Ramos de Albuquerque

Por Sheila: Oi pessooasss! Já comecei empolgada! Sabem por que? Sim, por que a Suma, essa linda, conseguiu mais uma vez! Depois dos lançamentos de Cujo e A Hora do Lobisomem através do projeto Biblioteca Stephen King, chega aqui nas terras tupiniquins esse relançamento lindo, divino MARAVILHOSO de O iluminado, de novo em capa dura, alto relevo, e uma diagramação que é quase uma obra de arte.

Apesar da proposta inicial desse projeto ser o relançamento de obras clássicas esgotadas do mestre Stephen King, a Suma resolveu apostar em "O Iluminado", mesmo possuindo edição recente do mesmo em brochura. Eu, como fã incondicional fico felicíssima e, não fosse ter recebido meu exemplar de cortesia, com certeza compraria a edição em capa dura.

Afinal, O iluminado, terceiro livro da carreira de King, foi o seu primeiro a virar Best-Seller, e aquele que alavancou sua carreira como escritor. Essa é também uma das primeira obras em que notamos um ar de autobiografia em alguns dos personagens de King. Sendo ele mesmo um alcoólatra em recuperação na época, pode haver muito de Stephen King no Jack Torrance que ansiava por apenas um copo, só um.

Para aqueles que estão adentrando agora no mundo "kingano" e quiserem saber um pouco da trama, segue uma pequena sinopse:

“O lugar perfeito para recomeçar”, é o que pensa Jack Torrance ao ser contratado como zelador para o inverno. Hora de deixar para trás o alcoolismo, os acessos de fúria, os repetidos fracassos. Isolado pela neve com a esposa e o filho, tudo o que Jack deseja é um pouco de paz para se dedicar à escrita. Mas, conforme o inverno se aprofunda, o local paradisíaco começa a parecer cada vez mais remoto... e mais sinistro. Forças malignas habitam o Overlook, e tentam se apoderar de Danny Torrance, um garotinho com grandes poderes sobrenaturais. Possuir o menino, no entanto, se mostra mais difícil do que esperado. Então os espíritos resolvem se aproveitar das fraquezas do pai... 

Acontece que Danny é um iluminado, alguém que consegue se comunicar por pensamentos, e o poder de saber de coisas que ainda não aconteceram. Antes mesmo de ir para o Overlook, Danny já sabia que aquele era um lugar ruim. Muito ruim.

- Danny... Danniii...Levantou os olhos e lá estava Tony, no final da rua, acenando ao lado de uma placa de "PARE". Danny, como sempre, sentiu uma  calorosa explosão de alegria ao ver o velho amigo, mas dessa vez parecia sentir também uma pontada de medo, como se Tony tivesse vindo com alguma escuridão nas costas. Um vidro de vespas que, quando soltas, picariam profundamente.- Cuidado velhinho...
As visitas de Tony eram assim. As vezes, ele mostrava onde estavam coisas que haviam desaparecido, o que era bom, por que isso deixava mamãe e papai felizes. Em outras... bom, em outras era como foi dessa vez. Danny sendo transportado para um lugar (o futuro?) onde coisas horríveis estavam acontecendo, coisas que na verdade ele não queria saber. Por que Danny era só um menininho de 5 anos, que ainda amava seu pai mais que tudo. Mesmo que um dia ele tenha quebrado seu braço por molhar alguns de seus papeis.

Enquanto isso, Jack Torrance está em meio à sua entrevista de emprego para trabalhar no Overlook e, bom, ele realmente acreditava que as coisas poderiam ser melhores. Ele de fato acreditava nesse recomeço. E talvez, no fim, o mais triste seja que ele não era um homem mau, e ele também amava seu menininho acima de todas as coisas. Mas, infelizmente, Jack era fraco.

E no Overlook, existia um mal. Que parecia estar apenas esperando a chegada de alguém como Danny, com seus poderes extremados, para poder expandir-se para além das paredes que lhe aprisionava há tanto tempo. 

Adaptado para as telonas em 1980 por Stanley Kubrick, essa versão de "O Iluminado" acabou se tornando uma adaptação altamente controversa, devido às mudanças na trama e final, tendo recebido duras críticas do próprio  Stephen King; e, numa menos conhecida mini série em 1997 com Rebeca De Morney de "A Mão que Balança o Berço". Ganhou uma sequência em 2013, onde vamos encontrar o personagem principal, Danny, 30 anos mais velho na obra intitulada "Doutor Sono".

Quem sabe com essa onda de adaptações do King neste 2017 alguém resolve assumir a frente e produzir um remake dessa obra aterrorizante? Oremos!

AH, e Suma, sua linda, não pare! Esperando ansiosa o relançamento de "A Incendiária" para trazer para vocês! Abraços e até a próxima!


Curta o Dear Book no Facebook
Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


Confira os melhores preços no Buscapé! e ajude o blog a continuar crescendo.


comentários

  1. Para falar do Mestre King a gente até se emociona, não tem como fugir!Sou suspeita, pois amo as obras do autor e não vejo a hora de poder ter estas novas edições em mãos. Acabei lendo o livro na antiga versão e claro que vi o filme também e me recordo bem da polêmica em torno da adaptação e da "revolta" do Mestre em terem mudado tanto sua obra. Mas mesmo assim, eu gostei demais na época.
    As novas edições estão um escândalo de lindas!
    Beijo

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

 
Ana Liberato