quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Resenha: "A menina do capuz vermelho e outras histórias de dar medo" (Ângela Carter)

Por Juny: Esse livro é fruto do trabalho de anos de pesquisas e traduções da autora (já falecida) Ângela Carter. A primeira parte do livro é uma introdução à pesquisa de Ângela e explicações sobre o contexto dos contos e origens.
“Embora este trabalho se apresente como um livro de contos de fadas, os leitores encontrarão muitas poucas fadas nas páginas que se seguem; já animais falantes, muitos”.
No livro há contos: franceses, russos, inuítes, chineses, togolêses, americanos, dinkas, ingleses, letões, maluís, egípicios, armênios, ciganos, afro-americanos e gaélico-escocêses. Alguns com 1 páginas outros com no máximo umas 5. No total são 20 contos. É bom que são leituras curtas e não precisam ser lidas em ordem.

Os contos aqui não são nem um pouco indicados para crianças, são para aterrorizar. Em sua maioria tem violência (física ou sexual) e passagens bem sinistras. Esqueça o glamour das histórias da Disney.

Para começar, o mais famoso e que aparece no titulo do livro: “A menina do capuz vermelho” (conto francês), esse eu achei que seria mais aterrorizante na versão original, mas tirando a fantasia e o glamour, a história é a mesma, a garota que vai visitar a vovozinha, e o lobo a engana e a devora.
“O lobo levantou a tranca e abriu a porta. Fazia três dias que ele não comia. Ele pulou em cima da boa senhora e a devorou. Então fechou a porta atrás de si e se deitou na cama da avó para esperar por Capuz Vermelho”.
Já o conto togolês “A madastra malvada” conta sobre um homem com duas esposas, uma que lhe deu um filho, e a outra não. A mãe do menino morreu e confiou seu filho a outra esposa, que ou invés de cuidar dele, só o maltratava. E mesmo assim o menino acabou salvando-a na floresta. Esse é um dos raros contos nesse livro que tem no final a “moral da história”:
“Que todos tirem uma lição desse caso: quando um homem tem muitas mulheres, as crianças devem ser tratadas como filhas de todas elas. Para cada uma das mulheres, o filho do marido deve ser um filho seu, e cada criança deve chamar de mãe as mulheres do pai”.
O conto russo “A menina inteligente” é um pouco mais “light”, mostra dois irmãos, um rico e um pobre, que disputam um potro. O potro nasceu de noite, da égua prenha do irmão pobre, mas ficou deitado em baixo da carroça do irmão rico que alegou que era dele, que tinha saído de sua carroça. Para resolver essa questão o czar quis interrogá-los pessoalmente e lhes mandou 3 enigmas para darem a resposta depois de 4 dias. O rico perguntou-lhe a mãe que lhe deu respostas bem sem graça. O pobre pediu ajuda de sua filha de 7 anos que deu respostas super criativas que impressionaram o czar. Depois o imperador lhe mandou mais e mais enigmas, e todas as vezes a garota o surpreendia com as respostas. Até que a garota o afrontou e ganhou sua admiração, assim ela teve seu final feliz.
E o senhor é tão inteligente assim? Quem já viu uma carroça parir potros? Quem pare potros são as éguas, não as carroças. (...) O czar mandou que o potro ficasse com o camponês pobre e levou a menina para o seu palácio. Quando ela cresceu, ele a desposou, e ela se tornou czarina.
Embora sejam contos com boas doses de realidade, ainda há espaço para o imaginário e acontecimentos fantásticos. No conto inuíte “As duas mulheres que conquistam a liberdade” duas esposas de um marido ciumento e violento fogem. Elas conseguem conquistar a liberdade morando dentro de uma carcaça de baleia morta, que virou a sua casa.

E no conto afro-americano “A feiticeira-gata” mostra uma escrava que foi punida injustamente pelo roubo de lã de sua patroa, pois era a única fora os patrões que tinha acesso ao cômodo que estava a lã. E tentado descobrir o verdadeiro ladrão, certo dia a escrava vê uma gata em cima da lã e lhe dá uma facada, o ponto que ela cortou vira uma mão com um anel. E logo descobrem que a mão de uma mulher branca muito rica que era uma feiticeira-gata. O final da feiticeira foi bem infeliz, além de ser repudiada pelo marido, foi condenada a morte.
“Minha avó disse que isso aconteceu de verdade”
Eu só citei 5 contos de todos os 20 que podem ser encontrados nesse livro. Vale a pena a leitura, principalmente para os fãs de contos de fada, que quererem historias de dar medo e que gostariam de conhecer suas verdadeiras origens, bem antes da “glamourização” dos contos nos filmes infantis. Recomendo!

25 comentários :

  1. Se tem uma coisa que eu gosto mais do que os proprios contos de fadas, é descobrir a origem deles, mesmo que, como vc disse não sejam nem um pouco glamurosos, é muito interessante conhecer a historia "real", que as pessoas contavam na epoca.
    Fiquei DOIDA por esse livro!

    ResponderExcluir
  2. Bem interessante o tema, nunca tinha ouvido falar desse livro! Vou querer lê-lo!

    ResponderExcluir
  3. Bem diferente esse livro!
    Gostei dos contos q vc falou, mas não sei se animo a ler, rs... quem sabe futuramente! ;D
    beijo

    ResponderExcluir
  4. “A menina inteligente” e "A feiticeira-gata" é o tipo de historia que agente ja deve ter ouvido alguma variação, contata pelo mais velhos.
    E eu esperava também mais ação no conto real da Chapeuzinho vermelho! rsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Uau, adorei! Ainda não conhecia essa edição. Sempre quis ler os famosos contos de fadas em suas versões originais. Me interessei muito por esse livro porque eu simplesmente amo contos curtinhos *--*

    Já adicionei no Skoob :D

    Abraços,
    http://leitorasanonimas.com

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha! Tem livros que eu so descubro a existencia aqui no Dear Book, que eu não vejo falar em nenhum outro blog! Gosto disso pq agente amplia o gosto literario!
    E amoooo contos e quero saber os antigos e verdadeiros!!

    ResponderExcluir
  7. Nossa... que macabro!!!
    Parece ser bem legal, mas não gosto dessas coisas, não!!!

    Prefiro as princesas, principes encantados e o final feliz, sempre!!! rsrsrsrs

    Beijos, Karina!!
    Walking in Bookland

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro! Fiquei bem interessada depois de ler sua sinopse! Gosto de livros que mostram as origens das coisas e este parece ser bem legal! :)
    Preciso começar a ler algo mais assustador por agora! Romance está no meu sangue nesse momento!!! rs'


    Beijinhos,
    www.primeiro-livro.com

    ResponderExcluir
  9. Adoro ler sobre a origem dos contos de fadas. Também gosto de histórias macabras e com finais não tão felizes. Acho que este livro irá entrar na minha lista :)

    Beijo

    'Nowhere Girl'
    http://garotadelugarnenhum.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. adoro livros assim, vou comprar. certeza. uhauhahuahuauh
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Amei... deve ser muito gostosa essas leituras, a ultima historia deve ser super!! amei!! Bjs

    ResponderExcluir
  12. Muito boa a sua resenha, detalhou bem, especificou os fatos, e a diagramação da postagem ficou show!
    Parabens!


    Venha participar com o seu blog a uma homenagem que o clube está fazendo a todos os blogs literários com vários prêmios, e divulgação do seu blog, leia as instruções neste link http://clubnovosautores.blogspot.com/p/autores.html

    CLUBE DOS NOVOS AUTORES
    Seguindo!

    ResponderExcluir
  13. Deveriam fazer um livro contando as verdadeiras histórias das princesinhas da Disney. Iriam arrepiar alguns cabelinhos kkkk Adorei a resenha, preciso comprar. >.<

    ResponderExcluir
  14. Adorei, Juba! Acho que vou até comprar amanhã >3 huahuahau

    ResponderExcluir
  15. Tenho uma vontade enorme de ler os "contos de fadas" no original. Eles são bem mais cruéis. Depois que eu descobri a história original da Pequena Sereia... é muito má... :<

    ResponderExcluir
  16. Nossa, vou ler com certeza adorei a resenha e agora quero saber as historias verdadeiras, será que as princesinhas da disney são tão boazinhas assim? uuiá kkk.' vou compra sim, adorei mesmo
    beijos:*

    ResponderExcluir
  17. Gostei do livro! As histórias parecem ser muito boas. Vou procurar ele nas livrarias. :D

    ResponderExcluir
  18. Já li a versão original de algumas histórias glamourosas da Disney e prefiro essas mesmo. As originais as vezes pegam muito pesado, sério. Como podiam contar uma coisa daquelas pras crianças antigamente? (Tipo a história da Bela adormecida, meu deus!) UHAUSHAUHS...
    Mas é bem interessante. É completamente diferente das versões que temos hoje.

    ResponderExcluir
  19. Ah, que interessante! Eu queria mesmo ler os contos como eram originariamente, antes de "dourarem a púlula". Pra lista de desejos agora!

    ResponderExcluir
  20. Adoro contos... principalmente assim... li alguns contos antes da "Disneyzação" e confesso que fiquei com um pouco de trauma haha...

    Mas gostei desse livro, pelo menos da amostra de contos que aparece na resenha...

    Adorei mesmo....

    bjus

    ResponderExcluir
  21. Adoro saber sobre os contos de fadas de antigamente é muito interessante ver como era transmitida a moral da história antigamente, bem diferente do que é hoje em dia.Quero muito ler esse livro *-* apesar de preferir os contos na versão Disney mesmo rs
    ;*

    ResponderExcluir
  22. Oi, eu adoro a história da chapeuzinho, mas já tinha ouvido falar essa versão, mas prefiro a original.
    Bjs*-*
    http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Não sou muito fã de livros de contos... Prefiro uma daquelas histórias enoormes... Mas já li livros nesse estilo muito bons! E amei a capa!

    ResponderExcluir
  24. Adoro contos de fada!Deve ser bem legal!

    ResponderExcluir
  25. Eu sou viciada em tudo que fala sobre "contos de fadas" ainda mais quando se trata dos originais e pesquisas a respeito da sua origem. Sua resenha sobre o livro está ótima!

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris