terça-feira, 26 de outubro de 2010

Resenha: "Comer, Rezar, Amar" (Elizabeth Gilbert)

Definitivamente, Liz Gilbert, é uma mulher de fibra, mesmo que antes, ela não acreditasse. E não apenas por sair de um casamento, mesmo quando tudo parecia conspirar contra. Ela enfrentou todos os seus medos e procurou acalento em suas próprias vontades. Não encontramos uma mulher, assim, capaz de deixar tudo e ir atrás do seu eu.
Eu já pensei em fugir, várias vezes, é lógico, mas e a coragem? E o medo de me aventurar e acabar pior do que já estive. O medo de não encontrar amor e conforto, mas problemas maiores do que tenho. Não é fácil. Pensa que à ela foi? Não, definitivamente, seu caminho foi tortuoso, um verdadeiro labirinto até encontrar a luz ao fim do túnel.
Se você ainda não tem ideia da pessoa, da qual eu cito aqui, ela é ninguém mais que Elizabeth Gilbert, a autora do livro “Comer, Rezar, Amar”. Exemplar que já teve mais de 4 milhões de cópias vendidas no mundo todo. Simples, não? Pior é que não é. Imagine que você tem um divórcio a enfrentar, um amor para ser correspondido, uma vida e uma carreira a tocar e ainda um futuro incerto que perturba.
Elizabeth teve todas os possíveis conflitos em sua vida. O amor parecia não ser seu amigo, a fé não era uma de suas atividades prediletas, na verdade ela nunca havia conversado com Deus.
Incerta sobre a vida que iria seguir, Elizabeth resolver se dar ao luxo de fazer o que desejava, pela primeira vez. Deixou tudo de lado e vendeu à sua Editora um livro que ela ainda iria escrever, fruto de uma viagem de um ano inteiro à Itália, para buscar os prazeres de comer, depois à Índia, aonde buscaria a sua fé e finalizaria na Indonésia, em Bali, onde buscaria o seu equilíbrio, o seu eu.
A primeira parada dessa viagem é a Itália. Um momento marcante do livro. Liz parece nunca ter se sentido tão em casa quanto sentia-se em Roma. Encontrou amigos, pessoas que marcaram sua trajetória por lá e, ainda se afeiçoam com nós, leitores, a sueca Sophie, o italiano nato Luca Spaghetti. O bonito Giovanni e ainda o casal, Giulio e Maria. Ali conseguimos enxergar Elizabeth em paz consigo mesma, conseguindo desfrutar de alegria e boa companhia, enfrentando a si e aos conflitos e deixando a vida levá-la, como devia ser. Aprendia italiano com afinco, o que era de SUA vontade.
Uma parte interessante em sua viagem à Itália são os aprendizados, bem detalhados também no filme, a devoção que a autora encontra no idioma desconhecido. A paixão com que trata a língua italiana sem conhecê-la. Attraverssiamo. A palavra com sonoridade mais perfeita. Elizabeth trata o livro com tanto amor que nós podemos sentir em cada palavra escrita. É possível rir de suas metáforas e de suas histórias. Ela tem um humor incrível. A Itália a renovou, lhe deu prazer e histórias deliciosas para nos contar.
Até agora, no entanto, o que mais gosto de dizer em italiano é uma palavra simples, comum: Attraversiamo. Quer dizer: “Vamos atravessar.” Ela não tem nada demais. Mesmo assim, por algum motivo, causa-me um efeito poderoso... O a aberto e promissor da primeira sílaba, o r enrolado, o s tranquilizador e a interminável combinação “ii-aaaa-mo” no final. Adoro essa palavra.
Me deparei com uma surpresa total na parte reservada a sua viagem à Índia. Impressionante! Elizabeth consegue transmitir a sua devoção a nós. Há partes em que a fé é tanta que eu acabava me pegando fazendo uma prece. O país é precário, mas a fé daquele povo é tão rica que tudo supre a miséria. O livro não é apenas uma história, mas um aprendizado. Um misto de culturas e histórias que aprendemos a gostar, respeitar e conhecer.
Lembro-me de um trecho de sua passagem pelo ashram, onde Liz conta sobre o problema com o cântico, em sânscrito, Gurugita, que se trata de um cântico indiano com 182 versos. Penoso para os iniciantes, mas um conforto para os praticantes antigos. Confesso que sofri com Liz enquanto a mesma não conseguia se manter na fé e não praticava o cântico com a devoção necessária e, por esse motivo esse trecho me emocionou de uma forma inesperada. Ao transferir sua emoção, fé e devoção ao seu sobrinho, ela não só conseguiu passar pelos 182 versos, mas como se sentiu próxima de Deus e o melhor é que a luz de bençãos transmitida ao pequeno garoto fez com que seus problemas para dormir não o perturbassem mais. É lindo como Liz descobre Deus, diariamente.
“O objetivo do Gurugita é ser um hino de amor puro, mas alguma coisa estava me impedindo de oferecer esse amor com sinceridade. Então, conforme cantava cada verso, eu ia percebendo que precisava encontrar alguma coisa – ou alguém – a quem pudesse dedicar aquele hino, de modo a encontrar um lugar de puro amor dentro de mim. Quando cheguei ao Verso 20, descobri quem era: Nick.
Nick, meu sobrinho, é um menino de oito anos, magrelo para sua idade, assustadoramente inteligente, terrivelmente esperto, sensível e complexo. Minutos depois de nascer, entre todos os recém-nascidos que se esgoelavam no berçário, ele era o único que não chorava, mas olhava em volta com os olhos adultos, experientes e preocupados... Nick é uma criança para quem a vida nunca é simples, uma criança que escuta, vê e sente tudo com intensidade, uma criança que às vezes pode ser dominada pela emoção tão depressa que deixa todos nós assustados. Amo esse menino profundamente e quero protegê-lo. Fazendo as contas da diferença de fuso horário entre e a Índia e a Pensilvânia, percebi que estava quase na hora de ele ir para a cama. Então cantei o Gurugita para meu sobrinho Nick, para ajudá-lo a dormir.
(…) Enchi a canção com todas as coisas que gostaria de lhe ensinar sobre a vida. Tentei reconfortá-lo com cada estrofe, dizendo que o mundo às vezes é difícil e injusto, mas que está tudo bem, porque ele é muito amado. Nem é preciso dizer que nunca mais faltei ao Gurugita, e ele se tornou a mais sagrada das minhas práticas no ashram.”
E não é apenas isso, a cada página de sua passagem pela Índia, nós nos identificamos com o lugar, com as pessoas. Tulsi, a menina indiana tão moderna para o seu país e sua cultura, tão inocente para viver uma vida indiana. Richard do Texas, tão sensacional em cada uma de suas palavras e conselhos. Tão triste sua partida, como qualquer despedida de um ente querido.
E assim Liz narra sua passagem pela Índia, com fé, devoção e muito aprendizado. Uma verdadeira peregrinação em busca de sua fé e de seu encontro com Deus. E não há possibilidade nenhuma de não se encantar com uma narração tão firme, sonhadora, perturbadora em alguns momentos, mas sublime e pura em todas as ações e caminhos. Essa é a Índia, com seus caminhos e provações, mas com uma fé inigualável.
Quando desembarcamos em Bali, a tranquilidade é notória, estamos muito mais alegres, receptivos e em paz do que estávamos na Itália ou quando chegamos a Índia e, quando digo nós, quero realmente incluir a mim e a você que também leu e vivenciou ao lado de Elizabeth a sua busca por todas as coisas da vida, pois é assim que nos sentimos, como uma amiga em especial que viaja e vive todos os momentos ao seu lado.
Quem assistiu ao filme, sabe o que acontece em Bali, em busca de seu equilíbrio ela encontra Felipe, um homem brasileiro, pelo qual se apaixona. Mas antes mesmo de chegar até ele conhecemos duas pessoas especiais, Wayan e Tutti. Mãe e filha, respectivamente, que sofrem por não ter um teto para morar. A precariedade é tanta que elas não têm um quarto ou uma cama para dormir, mas a bondade é tanta que mesmo assim, Wayan adota duas crianças que foram abandonadas, me faz lembrar o que minha mãe sempre diz “Quem pouco tem, doa-se muito mais do que aqueles que muito tem.” Pura verdade!
Elizabeth se afeiçoa a Tutti, uma garotinha de oito anos, que já viveu experiências de muitas mulheres com o dobro ou o triplo de sua idade. Passou fome, frio, viu a mãe apanhar incansavelmente do pai e vive viajando, sem um teto ou uma estabilidade.
Wayan é uma curadora balinesa, divorciada, que vendeu tudo o que tinha para pagar um advogado afim de que ganhasse a guarda de sua filha. E quando digo tudo, é tudo literalmente: meias, roupas, chuveiro, talheres, utensílios de sua casa, enfim, tudo. Sua vida se divide em cuidar de suas filhas, e trabalhar em sua loja alugada, mas isso enquanto não é despejada e tem que partir para outro lugar e recomeçar.
O fato é que Elizabeth poderia muito bem ouvir essa história e se comover, mas secar as lágrimas e permanecer cuidando de sua vida, mas não é isso que ela faz. Ao aproximar de seu aniversário de 35 anos, ela manda um email a todos os seus amigos e aos amigos de seus amigos, para que ao invés de eles lhe mandarem presentes que doem uma quantia, de sua preferência, para ajudar Wayan e sua Tutti a comprarem uma casa. E ela consegue, graças a Deus. Dezoito mil dólares vindos de várias partes do mundo e, por vezes, de partes desconhecidas. Uma benção, não?
“Uma última coisa. Fico envergonhada de admitir que foi meu amigo Bob, não eu, quem percebeu o fato óbvio de que a palavra “Tutti”, em italiano, quer dizer “todo mundo”. Como é que eu não havia percebido isso antes? Depois de todos aqueles meses em Roma! Eu simplesmente não vi a ligação. Então foi Bob, lá de Utah, quem precisou chamar minha atenção para ela. Ele fez isso em um e-mail na semana passada no qual, junto com sua promessa de doar dinheiro para a nova casa, dizia: “Então essa é a lição final? Quando você sai pelo mundo para ajudar a si mesma, acaba inevitavelmente ajudanto... Tutti.”
Quanto ao gentleman brasileiro, eu prefiro o do livro. Grisalho, sedutor, encantador e super brasileiro, e não ao ator do filme, que não se passa por brasileiro nem de longe, uma pena, pois temos tantos excelentes atores para encarnar o “querido” Felipe. A história desse novo casal é contada no livro seguinte, Comprometida, que inclusive já comecei a ler. Adianto que Elizabeth não teve apenas sorte no amor, pois Felipe é um amante à moda antiga, um homem que muitas de nós sonhamos em ter ou para as sortudas, como eu, já o tem rs... Mas digo que ela teve sorte, pois em todos os lugares que passou acabou encontrando pessoas que além de fazerem a diferença em sua vida, aprenderam com a própria Liz Gilbert que amigos realmente fazem a diferença.
Não irei contar os detalhes mais precisos dessa viagem sem igual. Obrigada, Elizabeth, por me proporcionar momentos tão agradáveis em nossa viagem. Um conselho: Faça também a sua busca.
"No final das contas, talvez seja mais sábio se render à milagrosa abrangência da generosidade humana e simplesmente continuar dizendo obrigada, para sempre e com sinceridade, enquanto tivermos voz."

38 comentários :

  1. SENSASIONAL a sua resenha, prima!
    Eu preciso ler esse livro logo!
    Ja gostei do filme e com esses detalhes da pra ver que o livro é ainda melhor! *-*

    ResponderExcluir
  2. É incrivel como as resenhas de vcs são perfeitas! Tantos detalhes e citações.
    É o meu blog favorito.
    Quanto ao livro, ainda não li, só ví o filme que é lindo.
    Mas depois de ler isso estou comprando agora mesmo o livro no site da Saraiva, quero ver os detalhes dessas viagens emocionantes.
    Mais uma vez parabens pela resenha!

    ResponderExcluir
  3. Sou LOUCA para ler esse livro. Mas com resenhas com tantos detalhes me deixou mais curiosa ainda.

    ResponderExcluir
  4. eu não sei porque, mas antes eu achava que esse livro era de auto ajuda o.o quando eu enfim descobri que não tinha nada a ver, fiquei muito louca pra ler, pq é uma história REAL e muito inspiradora!!! ainda lerei!!
    beijocas

    ResponderExcluir
  5. Sinceramente, nunca tive vontade de ler esse livro. Mas depois de taaanta resenha boa e depois de ver o trailer do filme, estou loucaaaa pra ler *-* A resenha ficou ótima :D

    ResponderExcluir
  6. Quero muito ler esse livro.
    Assisti ao filme e me apaixonei, imagino que o livro seja infinitamente melhor e sua resenha comprova isso.
    Assim que puder quero comprar os dois volumes, para não ficar na expectativa quando acabar o primeiro.

    ResponderExcluir
  7. Eu não tinha interesse de ler esse livro mas depois dessa resenha ...
    Super detalhada e deu uma vontade enorme de ler ...
    Adicionado a lista
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Nossa essa resenha tá super show(como sempre!)da até vontade de viajar,mas por enquanto vai ser só na leitura mesmo rsrs.Bjks!!!

    ResponderExcluir
  9. Rá, eu quero ver o filme e ler ao livro, gostei da história em si, diferente e entusiasmante!

    ResponderExcluir
  10. Só fui ler esse livro a duas semanas atrás, pq uma amiga insistiu muito!!
    E não é que gostei rsrs Quero muito ver o filme agora... As vezes sinto vontade de fazer o que ela fez!! =D

    Beijoo

    ResponderExcluir
  11. Nossa realmente a resenha ficou otima mais esse livroi não me interessou não sei se é por causa do capa(costumo julgar os livros pela capa um defeito horrivel, claro) mais sei lah não me interessei muito por ele vi o trailer do filme ai deu uma vontade de ver mais não aquela vontade
    mais quando li a resenha de vocês vi uma esperança no fim do tunel RsRsRs vamos ver né vou ver se leio quem sabe não mudo de ideia sobre a capa!!!

    ResponderExcluir
  12. Não vejo a hora de começar a ler este livro, adorei a resenha ;D

    ResponderExcluir
  13. Oi,
    Sou nova por aqui primeiro gostaria de dizer que amei o layout do blog de voces clean e elegante. Segundo me identifiquei de primeira com a resenha que voce fez do livro porque...ah porque eu estou com vontade de ler esse livro ha muito tempo e nunca tinha visto uma resenha tao completa parabéns. Muito legal mesmo, só estou me segurando para ler o livro antes de ver o filme sabe como é senão parece que estraga ne. Bom deixo o convite aqui para ir me visitar também ficarei feliz em ve-la. http://leiturakriativa.blogspot.com
    BJKS

    ResponderExcluir
  14. Hey ^^

    Gente q resenha é essa que me arrancou arrepios?! eu não assisti a adaptação mas antes preciso ler esse livro, qual até então confesso antes de sua resenha não liguei muito, aquela passagem do sobrinho Nick quase chorei, porque eu tenho meu bb sobrinho Nicholas e pra mim ele é igual ao um filho, preciso conhecer de fato.

    Xoxo

    :: Loma

    ResponderExcluir
  15. Incrível! Uma resenha enooorme e não ficou cansativa! E mais incrível ainda? Poucas vezes, eu pensei em ler esse livro. E uma delas foi agora. Sua resenha foi tão 'convincente' que eu fiquei com vontade de ler um livro que eu nunca quis ler. E vc pode conferir isso quando eu falar de comprometida no próximo Caixa de Correio que já gravei.
    Enfim, parabéns pela resenha! :D

    Beijos,
    Gabi - Está Inspirada

    ResponderExcluir
  16. Quero muitooo ler esse livro! Deve ser muito bom... ainda não vi o filme...
    Ta na lista!

    ResponderExcluir
  17. Adorei esse livro, é perfeito... estou louca para assistir ao filme.

    ResponderExcluir
  18. Olá meninas, conheci o blog através do twitter e já me tornei seguidora de vcs, ainda não li o livro , só ví o filme mas não gostei. De qualquer forma o livro sempre é melhor que o filme.

    Um abraço e aguardo uma visita de vcs!

    ResponderExcluir
  19. eu querooo ler esse tb! =/ Oh vida viu.

    ResponderExcluir
  20. to loka pra ler esse livro, ele e tantos outros...kkkkkkkk.. falencia a vista...

    ResponderExcluir
  21. Eu tou louca tanto pelo livro como p ver o filme... mas nao tenho parado um momento esses dias p poder ir ao cine.
    Já me disseram que o livro eh beem melhor, mas eh assim com toda adaptação, mesmo assim quero muito ver o filme tb, adoro a Julia roberts ^^

    ResponderExcluir
  22. Ótima resenha. Quero ver o filme, mas antes eu tenho q ler o livro.

    ResponderExcluir
  23. Alguém já assistiu ao filme?? Quero muito ver...
    Agora fiquei louca pra ler o livro também...
    Adorei a resenha!!

    ResponderExcluir
  24. o filme é muito lindo e o livro é 10 vezes mais.

    ResponderExcluir
  25. Muita gente fala bem e muita gente fala mal desse livro, infelizmente eu desisti de ler :/

    ResponderExcluir
  26. Eu quero, quero quero pra mim demais.
    Não assisti o filme ainda, porque quero ler primeiro :/
    Beijos .

    ResponderExcluir
  27. Aaaaaaaaaaaaah! Ainda não li o livro. Mas vi o filme e fiquei encantada! Muito! Uma delícia de experiência, de belezas, de amores. Fiquei mesmo apaixonada! E recomendo!

    ResponderExcluir
  28. A resenha ficou muito legal!!
    Já li o livro e me apaixonei por Liz Gilbert, suas histórias, seus amores, amigos e loucuras!!
    Attravesiamo!! ;)

    ResponderExcluir
  29. Hi, I cannot determine how to add your web page in my RSS feed reader. Can you tell me what I'm doing wrong, please.

    ResponderExcluir
  30. Vi o filme há pouco....
    E, como sempre, ficou muito vago, porque não mostra alguns detalhes muito engraçados e que dão muito o "tchan" da história!!

    ResponderExcluir
  31. I was just looking for this information and facts for some time. Following 6 hours of continuous Googleing, at last I got it inside your site. I wonder what's the lack of Google technique that do not rank this kind of informative internet sites in leading of the list. Commonly the top web sites are full of garbage.

    ResponderExcluir
  32. eu tambem gostei bastante desse livro! concordo que ela proporciona momentos inesqeuciveis ao leitor. resenhei (nao à altura da sua resenha, mas ok ;x) ele aqui tb: http://blackbirdlonely.blogspot.com/2010/12/nowreading-comer-rezar-amar.html

    ResponderExcluir
  33. Incontestavelmente a melhor resenha que já li sobre o livro. Os detalhes nos trazem mais para perto da história, o modo como os coloca torna o texto mais sublinhe do que já é. Adorei, sua resenha esta muito bem feita. Vi o filme e me apaixonei pela história, então vim atrás de uma resenha que passasse um pouco da alma do filme e me deparo com um texto tão lindo e rico desses. Parabéns!

    ResponderExcluir
  34. Os detalhes. Foi isso que mais me chamou a atenção nesse livro. Riquissimos em detalhes, parece que a cada nova página, a gte tá ali, viajando pelos lugares ou saboreando a comida, descrita tbém com perfeição. Uma personagem perdida, mas que com senso de humor e vontade, acaba comendo, rezando e amando demais.
    Resenha maravilhosa. digna do sucesso do livro.

    ResponderExcluir
  35. Comprei esse livro um dia desses,só por causa do filme, e até hoje não me deu vontade de ler! AMEI o filme, e depois dessa resenha... acho que vou começar a ler hoje!! haha ;)

    ResponderExcluir
  36. ESTOU TERMINANDO DE LER O LIVRO, E OTIMO, AINDA NAO VI O FILME.

    CONFESSO QUE FIQUEI DECEPCIONADA COM A APARECNCIA DO JOSE, O AMOR DE LIZ, O QUEL ELA CHAMA DE "FELIPE", NO LIVRO, LÁ ELA O DESCREVE COMO BONITO E CHARMOSO, PORÉM NAO ACHEI.

    BOM, O IMPORTANTE E QUE E UMA BELA HISTORIA

    ResponderExcluir
  37. O livro tem uma história muito bonita! Fala se superação de nossos próprios limites...

    ResponderExcluir
  38. Amei sua resenha, euu ameiii o filme quero mtoo ler o livroo *-*

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris