quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Resenha: “O silêncio das montanhas” (Khaled Hosseini)



Por Marianne: Olá queridos amigos da leitura que gostam de derrubar umas lágrimas lendo livros por ai, essa resenha é pra vocês! E pra quem também não gosta de derrubar umas lágrimas, porque afinal o livro é muito bom.

Antes de falar do livro quero falar do autor, Khaled Hosseini, que também escreveu O caçador de pipas e Cidade do Sol, e do meu amor por esse homem que só foi confirmado com O silêncio das montanhas. 
A história começa com os irmãos Pari e Abdullah que vivem na fictícia aldeia de Shadbagh com o pai, a madrasta e o irmão Iqbal em condições de extrema pobreza. Pari e Abdullah são filhos da mesma mãe, a moça morreu dando a luz a Pari. Talvez por isso eles tenham uma ligação tão forte e construam uma relação tão bonita. Abdullah faz de tudo pela irmã, está sempre presente contando histórias, improvisando presentes que a realidade dele permite (penas de pássaros, geralmente) e se esforçando como pode pra deixar Pari feliz.

Mas é a pobreza e a esperança de poder dar a filha uma vida melhor que fazem Saboor, o pai das crianças, vender Pari pra uma rica família de Cabul, pra quem seu cunhado Nabi trabalha como chofer. 
“Uma história é como um trem em movimento: não importa onde embarquemos, cedo ou tarde estaremos fadados a chegar ao nosso destino. Mas acho que devo começar essa história com a mesma coisa que a encerra. Sim, acho que faz sentido iniciar esse relato com Nila Wahdati.”
Pari é vendida ainda muito pequena, por volta dos três, quatro anos, e aos poucos vai se esquecendo da vida e das pessoas que ficaram pra trás. E Abdullah, coitado, cai no fundo do poço da desolação de pensar que provavelmente nunca mais terá contato com a irmã.

A nova família de Pari é meio fora dos padrões das famílias de Cabul. A mãe, Nina, tem um jeito todo extravagante de ser, adora festas e escrever poesias de conotação sexual. Um comportamento atípico para uma mulher de Cabul que parece não incomodar seu marido, o reservado Suleiman Wahdati. 
“Certa vez li, monsieur Boustouler, que se uma avalanche nos enterrar, quando se está soterrado por toda aquela neve, não dá para dizer o que está em cima ou embaixo. Nós queremos nos desencavar, mas se escolhermos o caminho errado vamos entrar mais fundo até morrermos. Era como eu me sentia, desorientada, imersa em confusão, sem minha bússola. Indizivelmente deprimida também. E, nesse estado, ficamos vulneráveis. Provavelmente, foi a razão de eu ter aceitado quando Suleiman Wahdati pediu a minha mão ao meu pai no ano seguinte, em 1949.
Nos capítulos seguintes a chegada de Pari na família, Khaled Hosseini escreve sobre a vida de praticamente todos os personagens que estão direta e indiretamente relacionados à história da separação dos irmãos. Vamos conhecendo o íntimo de cada um ao longo de muitos anos, desde histórias da infância até a idade adulta. E essa é a hora de separar os lencinhos de papel porque HAJA LÁGRIMAS meus queridos pra viver essa nostalgia da história dos personagens.

Escrever sobre emoções humanas já é difícil, e Khaled Hosseini escreve sobre o lado mais sincero das nossas emoções sem soar irreal. Como, por exemplo, a garota de vinte e poucos anos que abre mão da sua vida pra cuidar do pai já idoso e debilitado. Que é elogiada por todos pela sua força e dedicação, mas no fundo sempre quis sumir de casa e se arrepende de não ter feito isso nas oportunidades que a vida deu. Ou do rapaz que mora nos Estados Unidos, que ao conhecer uma garotinha debilitada em Cabul promete mundos e fundos para ajudá-la, mas assim que volta pra sua família resolve que “Ah, melhor não, deixa quieto!”.

Existem alguns furos na história, que a gente só percebe depois que leu e tenta juntar as histórias de todo mundo. Mas esses são mais do que perdoáveis. O livro é excelente, exatamente no estilo nostálgico que eu gosto. 
E é isso ai minha gente. Deixem os comentários sobre o que vocês acharam do livro, da resenha, da história. 

Eu espero que tenham gostado, beijo e até a próxima! ;)

Um comentário :

  1. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..busca.livrariasaraiva.com.br/saraiva/Reverso
    www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris