sábado, 1 de fevereiro de 2014

Resenha: "Éramos Seis" (Maria José Dupré)

Por Marianne: Éramos Seis é um livro que li bem novinha, já li e reli inúmeras vezes e a história continua sendo minha preferida. 

O romance de Maria José Dupré nos faz sentir como se fôssemos parte da família, acompanhando de perto todos os dramas e conflitos que todos nós já vivemos ou ainda vamos viver. Éramos Seis é narrada por Dona Lola, uma mulher de origem humilde casada com o autoritário Julio, com quem tem quatro filhos: Isabel, Carlos, Alfredo e Julinho. Dona Lola nos faz entrar em sua vida contando sua história desde a infância das crianças até o dia em que todos eles tomam seu rumo na vida. 

Como nas nossas vidas, Dona Lola sofre com a perda das pessoas que mais ama, tem que lidar com problemas financeiros inesperados, a difícil fase adolescente dos filhos e a preocupação de garantir um bom futuro para todos. 

Apesar da simplicidade da história a narrativa nos faz viajar no tempo e nos sentir vivendo na São Paulo da década de 30 e nos emocionar com cada situação vivida, que podem um dia acontecer com qualquer um de nós. Um dos trechos mais marcantes do livro acontece quando dona Lola se despede do filho mais velho, Carlos, que está indo lutar na revolução de 1932. Através de suas palavras podemos entender um pouco da dor de todas as mães que um dia passaram por essa situação.
“Em toda parte a tristeza, a aflição, a falta de notícias, os corações fechados, as fisionomias preocupadas; os olhos fixos no alto procurando a esperança e a esperança acenando ao longe como um véu branco a se agitar na distância, tão longe e tão tênue como se fosse desaparecer ou fosse inatingível. Um véu agitado por vento incerto. As horas lentas, os dias longos, as noites sem fim marcando o tempo que não passava.”

Publicado em 1943 a história foi transformada em uma das novelas de maior sucesso da emissora SBT em 1994. Vale muito a pena se aventurar e se emocionar no mundo de Dona Lola e sua família, é uma leitura gostosa, simples, que com certeza vai render bons momentos de reflexão.

8 comentários :

  1. Simplesmente amava essa novela, vi a reprise. Fiquei na torcida aqui qnd vi o título do post pra saber se era mesmo a novela. Vou procurar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu assisti só a reprise, me remete a uma época deliciosa da minha vida, férias na casa da vó. O livro tem uma coisa de cidades de interior muito forte também, eu releio sempre que olho ele na estante!

      Excluir
  2. Nunca vi a novela nem li o livro, maas gostei bastante da sua resenha, parece ter uma história muito boa :D

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/ (ex Hangover at 16)

    ResponderExcluir
  3. Eu assisti a novela no SBT quando era pequena e lembro que adorei, o tempo passou e quando eu tinha uns doze anos tive a oportunidade de ler o livro, adorei, ele é maravilhoso, é impossível não se emocionar com a Dona Lola, já li o livro umas duas vezes, é um dos melhores livros que li até hoje...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lisi compartilho da mesmíssima opinião! Já solucei de tanto chorar com esse livro, e cada vez que leio de novo eu me emociono.

      Excluir
  4. Assisti a novela, mas confesso que lembro pouco. Mas o livro é inesquecível e os personagens são tão reais. Li faz uns 10 anos e ainda lembro que foi muito emocionante. É aquele tipo de livro que te enche de nostalgia durante a leitura e ainda te joga na depressão pós-livro, rsrs. Super recomendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que nostalgia é a palavra que melhor define o livro todo. Eu termino de ler e já quero começar de novo pra "matar a saudade" de todo mundo rs.

      Excluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris