quarta-feira, 6 de abril de 2011

RESENHA: "A casa das sete mulheres" (Leticia Wierchowski)


Oi gente! Estou de volta, com uma resenha muito especial, do livro que é tema do meu TCC, espero que gostem!

Falar de um clássico da literatura nunca foi tão fácil e difícil. Sim, pois falar de uma obra como A Casa das Sete Mulheres, de Leticia Wierchowski, é um trabalho um tanto penoso, pois argumentos ainda podem faltar para ressaltar tamanha perfeição de cenas, atos e fatos. E também poderia ser um tanto quanto fácil, pois a obra nos dá essa facilidade, devido a sua escrita, o seu tempo, a história talvez ou quem sabe a veracidade com que a escritora nos brinda diante de cada página.

Contar a história da Revolução Farroupilha, que se iniciou em 1835 e teve seu fim dez anos depois em 1845, não é uma tarefa fácil, e nem de perto seria. A história de Bento Gonçalves e de sua família, durante a revolução, foi contada de forma exímia e totalmente perspicaz.

A autora, Leticia Wierchowski, conta durante as quinhentas e nove páginas todos os amores, conflitos, batalhas e dificuldades que as sete mulheres Ana, Antônia, Caetana, Perpétua, Rosário, Mariana e Manuela viveram nos dez anos em seu clausulo na Estância da Barra, de propriedade da família Gonçalves da Silva.

Os amores de Manuela e Garibaldi. As incertezas de todos os encontros de Steban e Rosário. E o amor puro e enlouquecido de Mariana e João Gutierrez são narrados, descritos de forma pura, delicada, e extremamente madura. A vivência do leitor nas histórias é extrema, parecemos ser, muitas vezes, os próprios personagens.

A história não conta apenas com o frescor de todos os amores, mas também com a dor da desgraça de todas as tragédias. A morte sedenta de poder que açoita todo o chão do pampa é muitas vezes no seio da família de Bento Gonçalves. Sobrinhos, amigos, entes queridos, pessoas em si são perdidas em uma guerra que, na verdade, não teve vencedores.

“A casa estava às escuras. Ela caminhou até o oratório. Duas velas ardiam em frente à Virgem. Uma raiva surda crescia em seu peito. Queria alimentar aquela raiva, queria que a raiva a consumisse inteira, a levasse daquela vida, daquela dor sem remédio, daquele pesadelo onde lhe tinham furtado o seu menino, o seu Pedrinho.”
A obra conta com uma perfeição rica em detalhes, há cenas em que parecemos estar visualizando o que acontece como é o exemplo da batalha de Moringue e seu exército de cento e cinqüenta homens contra os treze homens de Giuseppe Garibaldi, no celeiro da Estância do Brejo. O italiano conta com sua “buona fortuna” e com sua experiência de guerrilheiro. E nós, que somos contemplados com tal cena, só reafirmamos a sua perfeição. Há muita tristeza e tragédia, mas há muita alegria ao vencer mais uma das inúmeras batalhas que houve na guerra.

“Os sessenta fuzis carregados estão encostados a uma parede. Garibaldi toma o primeiro e descarrega-o contra os inimigos. E um segundo e um terceiro fuzil cospem sua carga contra a horda imperial. Garibaldi age como um autômato. Sem pensar, sem pensar. Aperta o gatilho com os dedos firmes. Joga ao chão o fuzil descarregado, recebe outro das mãos do cozinheiro. Vê três soldados caírem por terra. A massa humana é tamanha, que nenhum tiro se perde, indo sempre perfurar alguma carne, decepar um braço, ferir o dorso de um cavalo. E Giuseppe Garibaldi atira furiosamente. Pensa em Manoela e redobra sua ira contra os soldados inimigos: mais três caem sem vida.”
Outro ponto que deve ser ressaltado na obra são os inúmeros personagens e sua importância, haja vista que dificilmente tantos personagens conseguem estar em uma história apenas e ainda assim praticamente todos terem a mesma importância. Isso ocorre no livro, pois contamos com uma diversidade enorme de pessoas. Quaisquer cenas são de mera importância para o entendimento complexo que se teve na Revolução Farroupilha.

A autora, Leticia, também conta com outro trunfo na manga, os Cadernos de Manuela, que são diversas páginas de seus desabafos sobre a guerra, os amores, as tristezas e tudo o mais que acalentava aquele coração tão sofrido e tão paciente. Manuela é, sem dúvida, uma das personagens que mais se destaca na história, já que através dela conhecemos a dor de todos que da história fazem parte. Em seus cadernos contemplamos cenas que jamais esperávamos ter acontecido, conhecendo única e friamente a história da Revolução dos Farrapos.

“... E eu, o que tenho peça frente, além desta solidão de muitos anos? Talvez o conforto de uma casa bela, de peças vazias, o calor de um abraço ocasional, a chama de uma lembrança cheia de saudade e nada mais. Mas tudo isso é muito pouco para preencher uma vida. Tudo isso é como esse sol que brilha lá fora, na espera derradeira de mais um inverno. Tudo isso é tão passageiro que até dói.”
O romance conta com uma suavidade e ao mesmo tempo com uma agressiva versão dos fatos, já que a guerra é narrada em sua mais total veracidade. A suavidade se dá pelas personagens femininas, que são ora delicadas e sutis e ora fortes e severas com o que passam durante a revolução. Não se tratam apenas de madames ou senhoras, mas de mulheres que envelheceram esperando uma paz e uma vida que fora vivida praticamente por dez anos. Dez anos em que viveram na guerra. Dez anos em que não guerrilharam, mas viveram pelas batalhas na espera de boas ou más notícias. Anos em que apenas esperaram, pois no pampa o tempo apesar de ter sido longínquo, não passara, muitas vezes, de um vento de mau agouro como o próprio minuano que soprava em suas janelas.

“Restei eu, como um fantasma, para narrar uma história de heróis, de morte e de amor, numa terra que sempre vivera de heróis, morte e amor. Numa terra de silêncios, onde o brilho das adagas cintilava nas noites de fogueiras. Onde as mulheres teciam seus panos como quem tecia a própria vida. Ah, mas isso tudo levou muito tempo, tempo demás... Naqueles dias, meus cabelos ainda estavam crescendo. Naquele tempo ainda tínhamos muitos sonhos.”

28 comentários :

  1. Prima, a resenha ficou PERFEITA!
    Só vi a série e ja amo essa história, imagina o livro com todos os detalhes, deve ser ótimo!
    Vai tirar 10 no TCC desse jeito ;D UHAUHA

    ResponderExcluir
  2. Apesar de já ter virado minissérie de emissora de tv, o livro sempre transmite riquesa de detalhes que não tem comparação. Boa sorte com seu tcc, pq 500 e poucas páginas dão pano pra manga, rs. Parabéns pela resenha.
    Bjus,

    ResponderExcluir
  3. Só pela resenha já da pra ver que o seu TCC vai ser sucesso! Tema super interessante!

    Quanto ao livro, eu ja vi a série e me apaixonei por essa historia e agora quero muito esse livro para relembrar cada momento, em detalhes.

    ResponderExcluir
  4. Eu sou apaixonada pela minissérie (não sei se escreve tudo junto) e acho que se ler o livro vou ficar ainda mais apaixonada ... :')

    ResponderExcluir
  5. \º/ AAAAAAAAAAAAAAAA
    To pirando aqui!!!!
    Não sabia que tinha o livro!!!!!!!!

    \º/

    ResponderExcluir
  6. Uau! A sua resenha ficou maravilhosa! A casa das sete mulheres já tinha me conquistado pela série, mas o livro deve ser 1000 vezes melhor.
    Boa sorte com seu tcc! =D

    ResponderExcluir
  7. Ficou muito boa sua resenha. Ainda não li este livro, desmotivada pela mini-série, eu acho, mas creio que vale muito a pena ler este clássico.Bju

    ResponderExcluir
  8. eu me lembro perfeitamente bem de quando essa minissérie veio ao ar, eu assistia todos os dias! como já faz algum tempo, eu não me lembro de boa parte da história, mas me lembro que eu amava! ia dormir tarde todo dia pra ficar assistindo XP nem sabia que tinha um livro sobre essa história!! bom saber :D vou procurar!!

    ResponderExcluir
  9. Oi, te marquei pra um desafio, participa, bjo
    http://danfalandodelivros.blogspot.com/2011/04/desafio.html

    ResponderExcluir
  10. Meus colegas vão fazer um trabalho sobre esse livro na faculdade! Quero ler, pois adorava o seriado!Mas terei de ter coragem!é uma longa jornada!

    ResponderExcluir
  11. Paula, parabéns, que linda resenha! Eu realmente me encantei com a série mas desconhecia a existência do livro. Parece que você realmente se apaixonou pelo seu objeto de estudo e com certeza seu sucesso no TCC está garantido! Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Nossa, que legal! sempre achei essa história muito boa desde que a conheci no formato da minissérie da Globo, mas nunca havia lido o livro para saber como é o original! Mto interessante! Ótima resenha e boa sorte com o TCC!
    Bjoos

    ResponderExcluir
  13. Oi!

    Que isso, me emocionei com sua resenha. tenho esse livro, já li, mas sua resenha mexeu comigo, foi perfeita!
    Esse livro é obrigatório para quem gosta de história, para quem gosta de romance, para quem gosta de realidade; um livro maravilhoso, que conta a história de mulheres reais que sofreram por seus homens e por suas vidas.
    Explêndido!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  14. Ah, estou aprendendo exatamente isso - as Revoluções na época de Regência no Brasil - na escola, então eu me lembro bem de algumas coisas... Acho que esse livro iria me ajudar muito, porque, pelo o que você disse, ele tem uma narrativa ótima e cativante! Se eu puder, lerei, afinal, é juntar o útil ao agradável! Ótima resenha!
    Bjs :*,
    Isa ~ Portal dos Livros

    ResponderExcluir
  15. eu adoraaaava a minissérie ;DD
    acho que vou adquirir esse livro, parece ser muito bom :)
    bjs

    ResponderExcluir
  16. Assisti a minissérie da Globo. Mas não sei se leria o livro, achei muito triste "A casa das sete mulheres" =/

    teh mais

    ResponderExcluir
  17. Tive uma fase em que decidi sair lendo vários clássicos, só por ler mesmo. Nada de resenha, nada de nada. Ler por ler, para conhecer. Mas em momento algum cogitei ler A Casa das Sete Mulheres. É com vergonha, também, que assumo não ter assistido à série que foi produzida e exibida pela Rede Globo. Eis o problema que me aflige em tal leitura: não sou uma pessoa que gosta de história. Isso é péssimo para uma aspirante à jornalista, mas é completamente verdade. O que eu gosto da história é o que está mais perto da realidade, mais perto do tempo em que eu vivo. Eu gosto do contato com pessoas que viveram certas épocas, certas coisas. Não desmereço livros ótimos que se enfurnam na história de nosso país, mas não é o tipo de leitura que me atrai.

    ResponderExcluir
  18. Mto boa a resenha.
    Lembro vagamente da sério. ERa mto boa, um contexto historico bem marcante.
    Amo os classicos. Me arrependo de nao ter comprado quando ele tava na revista do avon! =/
    Com certeza o livro deve ser muito melhor! Mais descritivo e fiel a historia.

    Beeijo

    ResponderExcluir
  19. Muito boa resenha adorava a minisérie o livro então deve ser ainda melhor deve ser mto rico e interessante!
    Boa sorte com o TCC!

    ResponderExcluir
  20. não sabia que um livro tinha dado origem à série da globo.
    na época que passava eu não assisti, pq né, a censura não deixava! haha
    mas o livro me despertou a vontade ler, adoro história e um romance que envolva a história do brasil parece ser bem interessante

    ResponderExcluir
  21. Que resenha maravilhosa! Assisti a minisérie da Globo e adorei a história. Me lembrei agora de O Tempo e o Vento...
    Histórias de heróis e heroinas.
    Já vou colocar como desejado no meu skoob.
    Parabéns pela resenha e pelo TCC.

    Bjks

    http://seliga-cris.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  22. A minissérie que passou na Globo, até hoje foi a minha favorita, fui descobrir que existia o livro a pouco tempo e logo entrou na minha lista de compras. Adoro história e fiquei maravilhada com essa.

    ResponderExcluir
  23. Amo, amo, amo...
    O livro em 1º e a minissérie em 2º... ótimo Thiago Lacerda, ah um Giuseppe desses só pra mim!
    Se trata de uma obra ficcional mas que retrata de forma muito contundente um período de muitas lutas e lagrimas no RS.
    Um ótimo livro para quem gosta de histórias de romance, paixões e batalhas...
    Até,
    milaresendes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Eu estava aguardando essa resenha, pois queria conferir o que você achou do livro. Pelas suas palavras com certeza noto que devo ler o livro para relembrar o seriado que vi, e que me apaixonei. Fiquei me perguntando se a história do livro é parecida com o seriado? Mas acho que vou ter que ler para conferir. E pelo que notei será uma leitura muito prazeirosa. Gostei dos trechos retirados do livro.
    Obrigado pela bela resenha...beijokas elis

    ResponderExcluir
  25. Eu não cheguei a assistir a serie que passou na tv, mas fiquei interessada em ler o livro, já que é sempre mais detalhado. :)

    ResponderExcluir
  26. Essa semana acabei achando esse livro meio q perdido no fundinho da minha estante...surpresa das boas!
    Comprei ele assim que a mini série passou na tv, tamanha foi minha paixão pela obra, pela história. E com certeza, o livro é bem mais detalhado, mais elaborado. Uma obra imperdivel certamente.
    Um clássico!!!

    Abraços

    ResponderExcluir
  27. Oi!
    A resenha está perfeita, consegui achar o livro num sebo, e estou doida para que chegue! O livro parece ser perfeito, rico e muito bem vivido!
    Estou doida para ler, sem contar que a minissérie foi um arraso!

    Até mais!
    enfimdeasasabertas.blogspot.com

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris