quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Resenha: “Vai Sonhando!” (Megan Maxwell)

*Por Mary*: É GOOOOOOOOOOL!

Estou abaladíssima.

Mais uma vez Megan Maxwell arrasou em uma abordagem suave acerca de temas sérios, narrados de forma romântica, envolvente e simplesmente apaixonante.

Rubén Ramos é um jogador de futebol famosíssimo, craque do Inter de Milão e, como a maioria dos craques, um cafajeste de primeira. O cara é um sucesso dentro e fora dos campos, considerado uma celebridade pela imprensa italiana e espanhola, um ídolo para os torcedores do Inter e o sonho de consumo das atrizes, modelos e Maria-chuteiras. Não faltam mulheres “tecnicamente perfeitas” em sua cama, uma para cada dia do mês, se quiser.

A coisa muda de figura ao conhecer Daniela, sua fisioterapeuta. Após uma lesão grave que o deixa fora dos campos – e com risco de sequer retomar a carreira – Rubén se dedica inteira e completamente à sua recuperação e, para tanto, conta com a ajuda de Dani. O que nasce como uma implicância gratuita, evolui para amizade e, por fim, a uma paixão arrebatadora.

Daniela Norton possui regras muito claras em sua vida e não busca um relacionamento sério com ninguém. Menos ainda com um jogador egocêntrico, alvo dos flashes de todos que o rodeiam. Ela não pretende ser mais uma de suas bellas e sabe muito bem que não corresponde aos “padrões” físicos de que Rubén tanto gosta. Já tendo passado por muita coisa em sua vida, Dani não acredita que seja o que ele precisa e faz de tudo para afastá-lo, ainda que a atração seja inegável e indiscutível.

Já sei. Você se lembrou daquele filme “Jogada Certa”, da Queen Latifah, né? Só que esse livro é melhor, te garanto. 
- Eu tenho compaixão por essas crianças, não por você. Queria poder dizer a eles essa bobagem de “vamos ganhar a partida”. Elas não têm as possibilidades que você tem de seguir em frente e continuar vivendo. Pra começo de conversa, a maioria das doenças que elas têm é incurável e não são príncipes especiais como você é para a sua mamãe. Diferente deles, você só precisa se recuperar de algo circunstancial e logo vai poder se esquecer do que aconteceu. Eles nunca vão poder esquecer aquilo que têm, porque no dia em que esquecerem será porque...porque...Sem completar, ela se virou e saiu dali, deixando o jogador sem saber o que dizer em resposta à realidade terrível que ela lhe havia mostrado.
Narrado em terceira pessoa, Megan nos presenteia com uma trama envolvente, sensível e apaixonante, refletindo de maneira tocante acerca do câncer de mama, da adoção e de como não se deve julgar alguém previamente. Mais ainda, reflete as consequências disso na vida do indivíduo e seus familiares. Acontece que a autora faz tudo isso de uma forma muito delicada, sem tirar a leveza da história.

Já disse uma vez e repito: ler Megan Maxwell é como assistir a uma comédia romântica melhor elaborada, mais aprofundada e com um quê de tramas reais, que nos fazem sentir que tudo aquilo descrito é realmente capaz de acontecer na vida de qualquer um de nós.

Além do excelente gosto musical. <3
- Querida, não sou Richard Gere, não estou de terno cinza. Também não está tocando La Traviata, nem estou numa linda limusine branca, mas estamos num vilarejo italiano, está tocando sua canção favorita do rei do rock. É minha melhor jogada para conseguir um lance digno de Uma Linda Mulher.
Ao ouvir aquilo, ela teve que sorrir.
- Gosto mais dessa música do Elvis do que de La Traviata. [...]
Antes de passar para o próximo tópico, tenho um adendo a fazer sobre a narração. Observei, desde Pela Lente do Amor, que a narração da Megan Maxwell lembra um pouco o narrador onisciente, o que não é muito, digamos, comum. Me parece que, sendo muito mais habitual encontrarmos livros com narração de narrador observador, o leitor pode naturalmente estranhar, a princípio. Para mim, não foi um problema, mas talvez você se sinta um pouco desconfortável. Sendo assim, aí está a observação. Repito: você se habitua, trata-se apenas de uma estranheza inicial.

Vencida a narração, falemos da Daniela. Aliás, quero falar das protagonistas em geral desta escritora, porque, aqui, acabarei incluindo a Ana (de Pela Lente do Amor) também. Acho que ainda não li obras suficientes da autora para ter o cacife de afirmar que todas suas personagens carregam tal característica, de modo que o farei indicando especificamente Daniela e Ana. Essas duas personagens femininas da Megan demonstram uma personalidade ímpar, de mulheres modernas, bem resolvidas, independentes e autossuficientes. Se você quiser mocinhas indefesas e choronas, procure em outro lugar, porque aqui você encontrará mulheres fortes que podem até chorar – já que somos todos humanos e frágeis – mas que correm atrás dos seus objetivos e não precisam de alguém do lado para decidir nada por elas, mas sim para lhes completar e estar junto única e exclusivamente por se amarem.

E o Rubén, gente! O que é esse homem, cara? Ele é aquele tipo que começa como um babaca, mas depois você o vai conhecendo e se apaixona. Só digo que fiquei com o emocional abaladíssimo.
- Fique aqui esta noite.
- Não, Rubén.
- Por favor, Daniela, fique comigo.
Sua voz aveludada, suas mãos ao redor dela, seu cheiro tão masculino ultrapassaram todas as barreiras que ela estava acostumada a erguer e, justo naquele dia, naquele momento, haviam desaparecido. Gostava muito daquele homem, demais, e olhando-o nos olhos, cedeu.
- Está bem, mas...
- Se não quiser, eu não te toco. Quero dormir com você.
O desenvolvimento da trama é bastante gradual, com mistérios se resolvendo aos poucos conforme se vai conhecendo mais e mais os personagens. É como se o leitor mergulhasse devagar na história das personas. Sabe quando você entra no mar? Primeiro molha os pés, daí vai andando e andando, até as ondas baterem na altura dos joelhos, continua mais e a água está na sua cintura, daí vai e vai mais ainda, quando se dá conta que está mergulhada até o pescoço nessa trama romântica.

E, para finalizar, quero apenas mencionar a ambientação maravilhosa de Milão. Amo ambientações que fogem do eixo “tradicional” que verificamos costumeiramente.

Que venham mais livros da Megan, porque me recuso a abandoná-la!

E se você quer se apaixonar, acreditar em um amor forte e ao mesmo tempo real, ficar DES-MAI-A-DA e ler um livro “de uma sentada só”, pegue Vai Sonhando! da Megan Maxwell. Aposto que você não vai se arrepender.
Cobrindo a boca dele, ela aproximou o rosto.
- Posso te contar um segredo?
Rubén, que ainda tinha a mão da menina sobre a boca, moveu a cabeça para dizer que sim. Ela falou ainda mais baixo:
- Dani me disse que gostava muito de você e que gostaria que você fosse o namorado dela. – E sem deixar que ele dissesse nada, acrescentou: - Uma vez ela disse pra mim e pro meu irmão que na cama dela só dormem as pessoas que ela ama daqui até o infinito e mais além, e ela já deixou você dormir na cama dela. Por isso, só pode amar você daqui até o infinito e mais além. Sem contar que eu ia gostar que você fosse o namorado dela, porque é bom, me ouve e é muito bonito. Mas não diga que eu te contei, porque é segredo, tá?

Curta o Dear Book no Facebook

Siga o @dear_book no Twitter e o @dearbookbr no Insta


0 comentários :

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris