terça-feira, 14 de maio de 2013

Resenha: "Dizem por aí..." (Jill Mansell)

Por: Cari Vieira: Hoje escrevo sobre um livro que chamou a minha atenção pela sinopse. Quando a li, tive vontade de começar a ler imediatamente. Isso porque sou fã de livros no estilo Chick Lit e porque o resumo apresentado nos deixa curiosos em relação a história. Confira:
Sinopse: O namorado de Tilly Cole acaba de se mudar do flat deles com metade de suas coisas. Sem nada para prendê-la, Tilly decide rapidamente morar mais perto de sua melhor amiga, Erin, em um vilarejo minúsculo em Cotswolds. Lá, Tilly é contratada no mesmo momento como faz-tudo em uma empresa de design de interiores.
Para sua surpresa, a cidade pequena transborda escândalo, sexo, fofoqueiros e boatos, focados basicamente em Jack Lucas, o homem lindo de muita classe e melhor amigo de seu chefe.  
Todos falam para Tilly ignorar o encanto por Jack, que ela será apenas outra em sua cama se ela se deixar levar; mas Tilly, que trabalha ao lado de Jack, enxerga uma parte carinhosa e cuidadosa dele que não é revelada à cidade.
É impossível que ele seja a mesma pessoa de quem todos falam. Ou é possível? Tilly deve separar os fatos da ficção e seguir seu instinto neste divertido romance moderno.
E então? Concordam comigo?

Bom, já sabemos que Tilly é abandonada pelo namorado, entretanto a garota não se sente tão mal quanto deveria, isso porque ela não se entrega, ou seja, ela não se deixa envolver totalmente em seus relacionamentos, por medo de se magoar. Com o fim de mais uma relação, ela se vê sem ter como pagar o flat que dividia com o namorado e diante de tanta complicação e sem nada que a prenda a Londres, ela resolve passar um tempo com a amiga Erin em uma cidade pequena chamada Cotswolds.
Ele havia deixado a carta sobre a lareira. Gavin era totalmente previsível. Com certeza, ele havia consultado alguma especialista em etiqueta: “ Cara Srta. Boas Maneiras, estou planejando abandonar minha namorada. Qual a melhor forma de explicar isso a ela?”
Tilly acaba conseguindo um emprego de faz tudo para Max, um designer de interiores gay que mora com a filha de 13 anos Lou. Nesse trabalho ela terá que cuidar da casa, da adolescente e auxiliá-lo nos trabalhos de decoração. Em seu primeiro dia no novo emprego ela conhece o melhor amigo de seu chefe o gato, sexy e solteiro Jack Lucas. 
"Os olhos dele brilharam com bom humor. – Sabia que já tinha visto você em algum lugar. Só não sabia que havia sido na noite em que você se espatifou no meu carro novo."
Como a cidade é pequena, proliferam fofocas e disse me disse sobre a vida dos moradores, principalmente sobre a vida amorosa e um dos principais alvos é Jack. Tilly é aconselhada a não se envolver com o rapaz porque ele é muito mulherengo e coleciona relacionamentos. Ela resolve, então se manter afastada, entretanto, o destino conspira e eles estão sempre se encontrando. Jack não aceita que Tilly não caia em seus encantos e faz de tudo para conquistá-la. e fica bem difícil para a garota resistir. A questão é que Jack é muito carinhoso, atencioso e leal e a imagem que a cidade tem dele parece muito diferente da que ela começa, aos poucos, a conhecer (sentiram que há um mistério aqui, certo?). As dúvidas a perseguem e ela tem que resolver se vai se arriscar ou não.
O problema de estar a fim de um mulherengo é que isso faz você se preocupar mais com a sua aparência. Assim, se o encontrar por acaso, você pode ao menos relaxar sabendo que está maravilhosa.
A trama conta com vários personagens e todos eles tem histórias bem consistentes, como a de Max. Ele era casado com Kaye e quando ela descobre que o marido é gay, eles se separam e ela parte em busca do sonho de ser atriz. A carreira está deslanchando quando um mal entendido acontece e ela acaba voltando para perto do ex marido e da filha. Kaye e Tilly acabam se tornando boas amigas.
A reação de Kaye pode não ter sido a reação-padrão de uma mulher cujo marido anuncia que é gay, mas o divórcio deles fora amigável. Então, quem poderia dizer que não fora a coisa certa a fazer?
Além destes também há a história Erin que se apaixona por um homem casado, Fergus, e embora ele esteja se separando, Erin tem que enfrentar a ex esposa revoltada.
- (...) O Fergus é um amor. Erin suspirou. Estamos tão felizes juntos. Mas é impossível relaxar e nos divertir se ficarmos para sempre imaginando qual o próximo passo da Stella.
Como eu disse inicialmente, sou fã de romances leves e divertidos. Dizem Por aí... cumpre bem esse papel. É uma história leve que te faz dar ótimas risadas, ainda que também haja questões tristes e trate também de temas sérios como a homofobia e o homossexualismo. Esse é mais um dos pontos positivos que merece destaque: a autora consegue dosar o tratamento de temas polêmicos com situações engraçadas.

O problema para mim foi a quantidade de personagens ativos. Por mais que eu ache um ponto positivo que um livro tenha outras histórias, além da principal, na minha opinião, nesse caso há histórias paralelas demais, o que acaba prejudicando o andamento da história principal (e olha que o livro tem 430 páginas). Acredito que, com menos personagens, esse livro seria um dos meus favoritos. Mesmo com essa ressalva eu indico o livro para os que gostam do gênero e para os que curtem uma leitura leve e divertida.


- Confiram o book trailler:




Espero que tenham gostado da resenha e que gostem da leitura deste livro tanto quanto eu
Até a próxima e não deixem de comentar.
Beijos
Cari


12 comentários :

  1. Gostei muito desse livro, e diferente de vc, gostei das histórias paralelas, acho q sem ela o livro ficaria muito monótomo, ja q a história é bem leve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso que eu acho o máximo na literatura... uns amam outros não... e a história é a mesma. Obrigada por comentar.

      Excluir
  2. Gostei da trama, mas esperava mais.

    Li na semana passada e devido as resenhas que tinha lido antes achava que os moradores da cidade eram bem mais fofoqueiros. Mas a Tilly que se mostrou bem fofoqueirinha, ficando extremamente agoniada quando não conseguia saber de uma situação até o fim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehehe é verdade, mas de qq maneira gostei do livro. Obrigada por comentar! Bjus

      Excluir
  3. Me parece interessante, vou ver se leio assim que possivel.

    ResponderExcluir
  4. Eu li esse livro e gostei muito, sei que não é o tipo de história que vai mudar a vida de ninguém mas é uma delícia de ler.

    ResponderExcluir
  5. Será que me rendo aos chick lit um dia? Não me identifico com o gênero.
    Ana.
    http://umlivroenadamais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehehe leia um q te chame a atenção e aí vc decide com conhecimento de causa ;) . Obrigada por comentar! Bjus

      Excluir
  6. Nossa, esse me chamou tanto a atenção que vou lê-lo! Ele parece divertido, e com personagens bem construídos, pelo menos da forma que você resenhou passa isso. Não conhecia!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, esse me chamou tanto a atenção que vou lê-lo! Ele parece divertido, e com personagens bem construídos, pelo menos da forma que você resenhou passa isso. Não conhecia!

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris