domingo, 5 de maio de 2013

Resenha: “O Lado Bom da Vida” (Matthew Quick)

Por Juny: No inicio achei a leitura um pouco devagar, estava muito ansiosa para ver o que tornou esse livro um best seller que mereceu uma adaptação cinematográfica que venceu o Oscar de Melhor Atriz.

Pat Peoples está internado em uma instituição psiquiátrica e sua mãe consegue tira-lo de lá sob a condição de continuar o acompanhamento psiquiátrico com terapias semanais. Ele foi parar lá por alguma coisa que aconteceu entre ele e sua ex-mulher: Nikki. O objetivo de vida dele depois do tempo que passou no “lugar ruim” é se tornar uma pessoa melhor para dar um fim ao “tempo separados” e voltar com Nikki. Porém ele não tem ideia do quanto tempo ficou lá, do quanto as coisas mudaram e do que aconteceu para ele ser mandado pra lá. Ele idealiza Nikki ao extremo e vive para fazer coisas que possam agrada-la.
– Estou chateado porque sei que Nikki vai ficar brava comigo quando lhe contar o que aconteceu. Estou chateado porque decepcionei a mim mesmo, e o tempo separados certamente será prolongado agora, porque Deus vai querer proteger Nikki até eu aprender a me controlar melhor, e, assim como Jesus, Nikki é uma pacifista, razão pela qual ela não gostava que eu fosse aos turbulentos jogos dos Eagles, para começar, e eu não quero ser mandado de volta para o lugar ruim, e , meu Deus, sinto tanta falta da Nikki, doi tanto e...

– Foda-se Nikki – diz Tiffany, e depois leva outra colher de cereais com passas à boca.
Certo dia ele vai jantar na casa de seu amigo Ronnie e conhece a irmã da esposa dele: Tiffany, uma mulher muito estranha e problemática. Ela pede para Pat acompanha-la até em casa e o convida para ir pra cama. Pat chocado diz que é casado e ela diz que também é, seu marido era policial e faleceu há alguns meses. Pat recusa a oferta e ela o abraça e chora. Depois disso eles criam uma estranha amizade, que envolve corridas e poucas conversas, e mais adiante um acordo.
– Você tem que esperar ao menos quarenta e oito horas antes de abrir isso. Tenha certeza de que está de bom humor quando ler a carta. Pense bem, e então me dê sua resposta. Lembre-se, Pat, eu posso ser uma amiga muito valiosa, mas você não vai querer que eu seja sua inimiga.
O otimismo de Pat é contagiante, mesmo todo lascado, ele insiste em querer ver o lado bom das coisas, é muito persistente e na maioria das vezes ingênuo. Tiffany é muito doida, fala o que pensa, age impulsivamente e tenta se livrar da depressão que teve desde a morte do seu marido, que a induziu a procurar por ele em outros homens. A única coisa que tenho a dizer sobre Nikki é que ela é uma vaca.

O relacionamento de Pat e Tiffany é sutil, uma estranha amizade, permeada pelos seus transtornos e que vai evoluindo ao longo do livro. Não sei como explicar, mas eles são um dos casais mais fascinantes da literatura, mesmo com tantos problemas, tanta dose de realidade.

Ainda não sei o que pensar do filme. Passei boa parte dele lamentando mudanças bruscas em relação ao livro, e o final, mesmo sendo bem diferente, também foi bom. Embora o do livro tenha me tocado mais. O filme tem seus méritos, afinal Jennifer Lawrence mereceu muito o Oscar, ela fez de forma brilhante o papel de Tiffany.

A única coisa que não gostei foi a ênfase dada ao futebol americano, esporte longe da nossa realidade e um pouco difícil de entender. A família de Pat e principalmente seu pai e seu irmão são torcedores fanáticos dos Eagles, muitas passagens do livro envolvem os jogos da temporada. 
– Parece um pouco um milagre, não parece?
– Milagres acontecem no Natal, Pat. Todo mundo sabe dessa parada.
Um livro magnífico com personagens cheios de dramas reais, não é difícil acreditar que possam ter muitos Pats e Tiffanys por ai, que apesar de seus transtornos psicológicos, podem ser felizes, um apoiando o outro. Recomendo muito “O lado bom da vida” leiam e assistam.

23 comentários :

  1. Eu gostei tanto desse livro, também achei o otimismo do Pat contagiante, e olha que ele tinha motivos pra ficar pra baixo. Mas sempre manteve a esperança, tudo bem que ele (na verdade, quase todos os personagens) são meio loucos, mas é bom ser louco de vez em quando.
    Amei a resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto tanto de Pat e Tiffany juntos *-*
    Muito amor.
    Eu não li o livro, mas assistir o filme. Amei ^^

    Beijinhos.
    carinhodaspalavras.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu já li esse livro, achei muito legal por causa do mistério de saber sobre a vida do pat, mas eu não achei tão legal assim.

    ResponderExcluir
  4. O Pat realmente é um personagem marcante, com todo o seu otimismo e jeito simples de ser. O enredo é bom e nos faz refletir também. Ainda não vi o filme mas quero conferir também.

    Beijos,

    Paula
    http://tri-books.com
    @Tri_Books

    ResponderExcluir
  5. Assisti o filme e gostei bastante.
    Os personagens realmente parecem bem construídos e trama também.
    Os quotes são perfeitos!

    ResponderExcluir
  6. Somente assisti ao filme, mas estou doidinha pra ler o livro! Sua resenha só me deixou com mais vontade!!
    Beijos!
    overdose-de-ideias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Muito legal essa história né? Adorei o filme dele e pretendo ler o livro, só não sei quando! Vale a pena.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Esse livro mostra aquela coisa de que de perto ninguém é normal. TODOS os personagens tem suas neuras, distúrbios ou manias. Retrata bem a realidade, rsrsrsrsr

    ResponderExcluir
  10. No começo também achei um pouco parado, mas depois o livro vai te consumindo de uma forma brusca e sutil ao mesmo tempo! Não gostei também da ênfase no futebol americano, que não entendo nada. rs

    Fiquei louca para descobrir o mistério do Pat, o que tinha acontecido e me surpreendeu. Mas ele é um personagem cativante, assim como Tifany e a relação dos dois. Uma bruta dose de realidade. Estou lendo cada vez mais livros assim. Muito bacanas! Também recomendo a leitura!!

    Estou louca para assistir ao filme. =)


    Bjs,
    @gabiipascoal

    ResponderExcluir
  11. Já sabia que o filme não tinha muito do livro, mas alterar os nomes já é demais :/
    Estou louca pelo livro e assistir ao filme. Nem sei qual fazer primeiro, sinceramente estou curiosa com os dois, apesar de tudo. E, estou mais a fim de conhecer essa história pra começar a ver melhor o lado positivo das coisas, já que eu sou muito reclamona. ><

    ResponderExcluir
  12. Confesso que não dava nada para livro nem para o filme. Não li nem assisti, mas depois de ler algumas resenhas, acho que o faria com gosto. O que mais me atrai é toda essa parte do problema psicológico que é um fator fundamental (pelo menos segundo as resenhas que li) na trama. Só isso já me faria ler o livro.
    Não estou me mordendo de curiosidade, mas quem sabe um dia eu ainda o leia!

    Bj, Livro Lab

    ResponderExcluir
  13. Eu não li o livro, mas assisti o filme e gostei muito da história. Eu pretendo lê-lo depois de acabae de ler o livro Divergente.

    ResponderExcluir
  14. eu assisti o filme e amei, pretendo ler o livro em breve...
    adorei a resenha :)

    ResponderExcluir
  15. Não li o livro e nem assisti o filme, mas imagino que ele seja bem divertido!
    ótima resenha!
    Bjs, S.!

    ResponderExcluir
  16. Acho o livro muito bom e divertido,estou amando lê-lo.

    ResponderExcluir
  17. Ainda não li este livro e tenho um pouco de receio em assistir o filme, não sei o que seria melhor ler o livro ou assistir o filme primeiro. Realmente não é um gênero que me atraia muito mas parece ser muito bom.
    Vou tentar abrir a mente e lê-lo.

    ResponderExcluir
  18. Eu já li o livro e assistir ao filme. A sua resenha explicou basicamente tudo o que eu também achei sobre o livro. Eu gosto mais do livro, porque algumas coisas são diferentes e tal, mas o filme também é muito bom.
    Adoro o Blog!

    ;***

    ResponderExcluir
  19. eu amei o filme, estou começando a ler e com certeza vou terminar logo... adoro dramas... ahaha

    ResponderExcluir
  20. Quero ver o filme agora, que já li o livro.
    Confesso que me envolvi com Pat, mas achei a leitura repetitiva - como uma obsessão do TOC do protagonista, rsrs - apesar de ter gostado.
    Não achei um livro maravilhoso, mas, ao contrário de outros livros, não quis abandoná-lo por achar cansativo. Senti uma compaixão por Pat e muita admiração por sua mãe, a maior força da história.

    ResponderExcluir
  21. não sei porque, mas não me interessei mto pelo livro, nem pelo filme (o qual ja tive oportunidade mas não tive vontade de assistir ainda) rs mesmo assim ainda é capaz que eu mude de ideia, e qem sab acabe gostando né (:

    ResponderExcluir
  22. Oi adorei, muito obrigado...mas se vc gosta de situações inusitadas, vc vai amar o livro reverso...ele traz revelações das escrituras sagradas nunca antes reveladas.... e ainda poem em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ao mesmo tempo inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos..acesse o link e digite a palavra reverso e de uma conferida na sinopse do livro...ha a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir
  23. Muito bom post e resenha tem sido muito bem sucedida. A história eu achei muito bom, bem executar um script, engraçado e inteligente. Abotoaduras entre Jennifer Lawrence e Bradley Cooper me espanta, posso dizer que é um dos melhores filmes de drama Cooper. Atuações ótimas até mesmo dos coadjuvantes Robert De Niro e Jacki Weaver estão ótimos. Uma ótima historia, madura, diferente de todas essas comedias dramáticas/românticas. Vale muito apena acompanhar.

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris