terça-feira, 2 de outubro de 2012

Resenha: "Cuco - Seu Primeiro Erro Foi Convidá-la Para Entrar" (Julia Crouch)

Por Sheila: Oi pessoas! Hoje vou apresentar a vocês um lançamento da Editora Novo Conceito. Logo no início do livro, somos apresentados a Rose e sua simpática família: suas duas filhas Anna de seis anos e Flossie uma bebezinha que começa a aprender a engatinhar. Casada com Gareth, um artista nem sempre apreciado por sua obra mas que produz o suficiente para o sustento de sua família, Rose acaba de ver completar-se a reforma que vinha fazendo em sua casa.

Em seus devaneios, lembra da chegada não planejada de Flossie, do quanto isso veio a desestabilizar seus planos de ter a casa e a família perfeita, já que o orçamento estava bem apertado. Mas agora, com o fim das reformas, já é possível sonhar com longas tardes junto aos canteiros e às filhas, e noites cálidas com taças de vinho com o marido à lareira.

Foi um acidente a gravidez - o resultado de uma noite bem conturbada de celebração da nova casa em construção, quando deixaram Anna na casa de um amigo e convidaram os vizinhos para ajudá-los a consumir um bocado horrível da cidra local ... O plano era que, quando a casa estivesse concluída, Rose daria aulas nas horas em que Anna permanecesse na escola. Isso retiraria a pressão financeira de Gareth, permitindo-lhe buscar possibilidades mais criativas para o seu trabalho (...)
No minuto em que o bebê escorregou para suas mãos, Gareth se apaixonou (...) Essa nova alegria os conduziriam ao longo das últimas etapas da construção ... até a casa acabada, onde a vida parecia pronta para começar como uma existência ordenada e organizada.
Mas esta imagem de conforto e estabilidade não pode durar para sempre. Polly, uma amiga de infância de quem encontrava-se afastada há alguns meses, liga durante a noite para dar uma terrível notícia: seu marido, que é também um grande amigo de Gareth, faleceu. Diante desta tragédia e da constatação de que sua amiga quer ir embora da Grécia, onde morava com o marido, para um novo recomeço, Rose não pensa duas vezes e a convida a vir passar um tempo em sua recém reformada casa - com o que Gareth não concorda, já que não gosta nem um pouco da melhor amiga da esposa.

- Por que deveríamos arriscar tudo por ela? - indagou, olhando-a diretamente.
- Arriscar? - falou. - É um pouco forte não acha?
- Seria uma invasão.
- Não pense assim.
- Como gostaria que eu pensasse?
Uma brisa agitou o salgueiro e ambos escutaram o farfalhar e o estalar que os rodeava.
- Mas veja - retomou ela. - Temos espaço. Temos a casa principal inteira para nós, e Polly e os meninos podem ficar na edícula. Estarão totalmente separados. Eles podem até cozinhar suas próprias refeições. Mal notaremos que estarão ali.
Mas não é bem isso que acontece. Aos poucos, vamos sendo apresentados aos personagens: Garteh, um artista fascinado por seu trabalho, e que por vezes ausenta-se semanas a fio para concluir uma obra, sem levar em consideração o que esta ausência suscita em sua esposa; Rose, uma pacata dona-de-casa, com sonhos cor de rosa e um passado doloroso que prefere esconder do marido; Polly, uma ex-estrela da música e ex-viciada em drogas, meio gótica e anoréxica e, mesmo assim, cativante, fazendo com que Rose fique sempre no papel de coadjuvante, além de seus dois filhos inquietos e indisciplinados, que Rose acolhe como filhos.

O livro começa a ficar empolgante quando Flossie, a filha mais nova de Rose, ingere acidentalmente alguns dos anti-depressivos de Polly. Toda a vida de Rose parece virar de cabeça para baixo com sua bebê no hospital, e sua amizade com Polly fica sériamente abalada. Mas é preciso ser relevante, afinal, Polly ainda está em luto, por ter perdido o marido de forma tão drástica, e tudo não passou de um lamentável acidente. Ou será que não?

Todas as coisas permanecem no lugar, mas ao mesmo tempo não parece estar tudo diferente? E, por falar nisso, Gareth que queria tanto que Polly fosse embora, já não parece assim tão preocupado com a data de sua partida. E será impressão de Rose, mas eles parecem mais próximos, quase cúmplices? Todo o mundo ordenado de Rose parece estar virando de cabeça para o ar, e ela já não tem mais o controle sobre sua casa e família. O que poderá estar acontecendo? E por que os acidentes não param de se suceder? E Polly insiste em querer lembrar das nódoas do passado sempre que Rose tenta conversar sobre ela ir embora, nódoas de que somente Polly tem conhecimento?
- Eu sei que você quer ser a mamãe de todo mundo Rose, E nós duas sabemos exatamente por quê.
Rose engasgou, chocada com o que Polly tinha acabado de dizer.
- Não se preocupe Rose - continuou. - Só não desconte isso nos meus filhos.
Rose se levantou e virou-se para partir. Reparou que seus joelhos tremiam.
Cuco é um suspense eletrizante, que pode começar um pouco morno, mas que vai ficando mais intenso e sufocante à medida que as páginas são lidas. O medo e a expectativa rondam boa parte da leitura e, sempre que se acha que nada mais pode acontecer, surge um novo fato que surpreende pelo inusitado, mas que encaixa-se na trama com maestria. Um Thriller psicológico intenso, com um final de tirar o fôlego, realmente surpreendente. O ritmo foi tão acelerado e o fim tão pesado e abrupto que levei um tempo para processar o que havia acontecido. Recomendo.

9 comentários :

  1. ADOREI ESSE LIVRO! Quem não gosta desse gênero de leitura é bobo. É muito bom ler livros assim. Eu achei super legal que a NC lançou esse livro porque é um pouquinho diferente dos que eles vinham lançando. Achei interessante só quando vi a sinopse dele e a cada dia só melhora. Resenhas cheias de detalhes do livro só me fazem mais curiosa. Boa!

    ResponderExcluir
  2. Adorei sua resenha, quero muito ler esse livro, sério... esse mês a Nova Conceito arrassou e muito!!!!

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua resenha e estou super curiosa para ler esse livro!!

    ResponderExcluir
  4. Realmente queria ler esse livro. O encontrei através das Cortesias do Skoob, infelizmente não o ganhei, mas pretendo comprá-lo em breve. Parece ser MUUUUUUUUUUUUUITO bom!

    ResponderExcluir
  5. É muito difícil algum livro na NC que eu não goste, todos são ótimos.
    Desde que vi a capa pela primeira vez e li a primeira resenha dele estou curiosa, não vejo a hora de comprar um exemplar e começar a ler!

    ResponderExcluir
  6. Sabe quando você lê somente uma frase e já tem vontade de ler o livro todo? Foi isso que aconteceu quando li a frase da capa! O livro parece ser realmente bom, a capa é tão linda *-* Adorei a sua resenha amore, é a primeira que leio do livro e me deixou com uma vontade de lê-lo enorme!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. gostei da capa, foi mais pro ela que fiquei com vontade de ler e depois da resenha então UASHASUH'

    ResponderExcluir
  8. Jesuuuuuuuuuuuus QUE livro, mas que ÓDIO desse final, uma das frases só me faz pensar: BURRAAAA, IDIOTAAAA.

    ResponderExcluir
  9. Eu já li várias resenhas desse livro, a maioria diz que é um livro muito parado. Fico meio receoso de ler, mas acho que tem um suspense interessante na história que faz valer a pena. Ótima resenha!!! Beijos!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris