quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Resenha: "1356" (Bernard Cornwell)

Por Sheila: Oi pessoas! A resenha de hoje é para quem gosta de livros ambientados na Idade Média! Este é o livro IV da série "Em busca do Graal", que tem como personagem principal Thomas de Hookton. Abaixo, colocarei para vocês a sinopse do Skoob, que resume bem a estória do livro,
Setembro de 1356. Por toda França, propriedades estão sendo incendiadas e pessoas estão em alerta. O exército inglês — liderado pelo herdeiro do trono, o Príncipe Negro — está pronto para atacar, enquanto franceses e seus aliados escoceses estão prontos para emboscá-los. Mas e se existisse uma arma que pudesse definir o desfecho dessa guerra iminente? Thomas de Hookton, conhecido como o Bastardo, recebe a tarefa de encontrar a desaparecida espada de são Pedro, um artefato que teria poderes místicos para determinar a vitória de quem a possuísse. O problema é que a França também está em busca da arma, e a saga de Thomas será marcada por batalhas e traições, por promessas feitas e juramentos quebrados. Afinal, a caçada pela espada será um redemoinho de violência, disputas e heroísmo.
A espada, é La Malice, e sua busca será intensa e repleta de ação e muita luta. Afinal de contas, a igreja tenta apoderar-se dela, pois representa um símbolo de poder inigualável. Ao mesmo tempo, os dois exércitos em choque - O inglês e o francês - também a buscam. Que exército não ia querer lutar com a espada de São Pedro ao seu lado?

Como este é o quarto livro de uma saga com o mesmo personagem, Thomas de Hokton, algumas passagens ficaram um pouco obscuras; há o reencontro com alguns personagens, e tudo é explicado, só que de forma resumida.

A história e a estória viram uma só, quando a grande batalha de Poitiers é recontada de maneira excepcional, na qual, para quem não sabe o exército francês e inglês travaram uma batalha épica - e, se você é tão ruim em história quanto eu, leia o livro sem ver antes quem ganhou, é muito mais emocionante.

Preparem-se para muitas batalhas sangrentas, desfechos cruéis, casas incendiadas e mulheres estupradas. Afinal, estamos falando da Idade Média, que não foi chamada de idade das trevas por acaso. E conheçam (ou re-visitem) Thomas de Hokton, o bastardo inglês que lidera o Hellequins, seu grupo de mercenários.

Além disso, cabe destacar a crítica feita à hegemonia da igreja na época, das arbitrariedades e excessos cometidos pelo poder clerical; e, claro, para quem não leu os outros livros, este é escrito de maneira independente. Mesmo assim, senti falta de aprofundar melhor a estória de alguns personagens.

Recomendo!

3 comentários

  1. Adorei a resenha, gente que lindas as capas dos livros do Cornwell, gosto muito do simbolo da espada como objetivo. Adoro esse tipo de caçada, ainda mais que a espada é mitica., q bacana! Pelas resenhas e os temas os livros do Cornwell me lembra os Dan Brown.

    ResponderExcluir
  2. Deve ser ótimo, amo livros nesse estilo. Espadas, lutas, histórico, junção perfeita para mim.

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro histórias de cavaleiros e etc. Mas me tira uma dúvida. A narração é mais lenta e detalhada ou segue um ritmo mais rápido?

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

 
Ana Liberato