quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Resenha: "Alta Fidelidade" (Nick Hornby)

Por Marianne: Resenha de estreia! Antes de tudo, uma breve apresentação: meu nome é Marianne, moro em São José dos Campos e estou integrando o time de resenhistas do Dear Book. Agora vamos ao que interessa!
Alta Fidelidade foi escrito por Nick Hornby e nos apresenta Rob, um cara rabugento quase quarentão, louco por música, dono de uma loja de discos de vinis quase falida chamada Championship Vinyl. Pra Rob música é coisa séria e o gosto musical de uma pessoa pode defini-la completamente. 
O livro é ambientado em Londres e nossa história começa quando a namorada de Rob, Laura, termina o relacionamento e vai embora do apartamento onde moravam. A partir daí Rob decide listar seus cinco términos de namoros mais memoráveis e ai conhecemos um pouco mais da vida amorosa do nosso protagonista.
Achei que o livro fosse se prender a essa análise do personagem a seus relacionamentos anteriores, mas o autor nos leva a conhecer bem a intimidade de Rob de um jeito bem sincero e fiel aos sentimentos de um cara de trinta e poucos anos que foi abandonado pela namorada, sem deixar o personagem muito caricato.
Achei que a grande sacada do livro foi que praticamente lemos a mente do Rob o tempo todo. Seu pensamento é retratado de um jeito tão humano e verdadeiro que sabemos que Rob poderia ser um amigo próximo que está nos contando coisas que não contaria pra ninguém, em hipótese alguma. Passei boa parte do livro sem entender se Rob queria a namorada de volta ou gostava da ideia de estar solteiro, e conclui que na verdade nem o próprio personagem sabia bem o que querer.
"Sabem qual é a pior coisa de ser rejeitado? A falta de controle. Se ao menos eu pudesse controlar quando e como seria chutado por alguém, aí não pareceria uma coisa tão ruim. Mas aí, claro, não se trataria de rejeição, certo? O fim seria por consenso mútuo. Por diferenças artísticas. Eu estaria deixando a parceria pra seguir carreira solo. Sei o quanto pressionar, e pressionar por alguma medida de probabilidade é inacreditável e pateticamente infantil, mas é a única coisa que se pode fazer pra tentar recuperar uma parte do controle que está com ela.
Quando vi a Laura na saída da loja, absolutamente entendi, sem sombra de dúvida, que eu a queria de volta. Mas a razão pra isso, provavelmente, é que o rejeitado da história sou eu.”
Quando Rob resolver saber como estão as cinco ex-namoradas dos cinco términos mais memoráveis tambem temos uma surpresa e o próprio personagem percebe que nem sempre o outro lado da história (o que geralmente não conhecemos) é tão simples quanto imaginamos. Aliás, imaginação é o forte do cara, Rob se diverte imaginando cenas que ele sabe que nunca vão acontecer, como a namorada voltando pra casa arrependida, mas que confortam de alguma maneira (quem NUNCA fez isso?).
Como é escrito todo em primeira pessoa conhecemos todos os outros personagens pelos olhos do Rob. Dick e Barry são seus funcionários na loja de discos e o mais próximo do que ele pode considerar como amigos, Marie é uma cantora que se apresenta nos pubs de Londres, e a minha preferida e mais significante pra vida de Rob: Laura. Laura e Rob são duas personalidades totalmente opostas, em um relacionamento que me irrita o livro todo. Laura é atenciosa e sensata e Rob age quase constantemente como um idiota.
Rob é um personagem que eu amei e odiei. Amei pela sinceridade quase infantil do personagem e odiei pela rabugice e insistência em querer ser um cara chato. 
"Quanto a mim, vou escutar Beatles assim que chegar em casa. Abbey Road, provavelmente, mas vou programar o cd pra pular "Something". Os Beatles eram figurinha de brinde no chiclete, ver Help na sessão de sábado de manhã, brincar com guitarrinhas de plástico e cantar "Yellow Submarine" se esgoelando no fundão do ônibus da escola. Eles pertencem a mim, e não a mim e a Laura, ou a mim e à Charlie, nem a mim e à Alison Ashworth, e, mesmo que ouvi-los me faça sentir alguma coisa, não vai ser alguma coisa ruim."
O livro tem um final bem realista e interessante, que poderia ser o final de um capítulo da minha vida, ou da sua. Eu adoro finais mais realistas quando o livro segue a linha “situações do cotidiano”. O saldo final é totalmente positivo e entrou com certeza pra lista dos meus favoritos. O autor escreve de maneira muito envolvente e nos mostra reflexões muito bacanas através do personagem, está mais que recomendado.
Em 2000 foi lançado o filme "Alta Fidelidade", dirigido por Stephen Frears e com participação de Nick Hornby no roteiro. Eu fiquei muitíssimo curiosa pra assistir e ver se realmente o filme faz jus ao livro (sempre me decepciono com os filmes =(  ).
Espero que tenham gostado da minha primeira resenha, eu adorei fazer =). Até a próxima!

8 comentários :

  1. Gostei da sua resenha. Escolheu bem a primeira ser sobre um clássico recente.
    Vi o filme muitos anos atrás, e só ano passado fui ler o livro, e gostei mais do livro.
    Adoro histórias assim bem realistas, e essa é ótima sobre um homem em seus 30 e poucos, e seus (fracassados) relacionamentos e sua vida, aparentemente, medíocre.
    Como você disse, Rob podia ser um amigo íntimo nosso, ou no meu caso, pode vir a ser eu mesmo daqui uns anos, pois assim que nem ele, tenho grande paixão pela música e as dúvidas que o permeiam são as mesmas de 99% dos homens.

    Continue a resenhar bons livros.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Confesso que li essa resenha porque gosto de ler todas as resenhas que vocês fazem. Pois nem o titulo nem a capa me chamaram muita atenção. Mas me surpreendi com algo totalmente diferente do que eu podia imaginar, acho que na verdade não imaginava nada sobre o livro. Parece um enredo interessante, uma história bacana. Se uum dia tiver a oportunidade, darei chance ao livro.

    ResponderExcluir
  3. Mari, parabéns pela primeira resenha! Tá muito bem feita, eu adorei. Parece que estamos numa conversa e vc está me falando sobre o livro =]
    Também adoro livros com finais realistas, fiquei curiosa pra ler!
    Beijoco

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Rita Lee! Haha, voce vai saber quem é.

    B.

    ResponderExcluir
  5. Awww adorei a sua resenha! Confesso que nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas eu realmente me interessei agora :D

    xx Carol
    http://hangoverat16.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Parabéns! Foi bem clara, e ficou muito boa!
    Finais realistas são ótimos, concordo com você!

    ResponderExcluir
  7. Antes de tudo, parabéns por ter entrado na equipe. hahaha :D
    Bom, já tinha lido outras resenhas desse livro e confesso que fiquei bem curioso. Ele foge totalmente do que estou acostumado a ler. A estória do livro não é impossível, pelo contrário, deve existir muita gente que passou ou está passando por esses "PROBLEMAS" que Rob possui.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela primeira resenha!!
    Adorei! Fiquei curiosa pra ler o livro e ver o filme!
    Finais realistas realmente são muito bons, mais fáceis da gente se identificar. Mas eu tenho uma quedinha pelos mais românticos também hehe.
    Enfim, já coloquei o livro na minha lista!
    beijos ;)

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris