domingo, 13 de outubro de 2013

Resenha: "Sangue na Neve" (Lisa Gardner)

Por Sheila: Oi pessoas! Tudo tranquilo? Mais um titulo da autora Best Seller do The New York Times (chique né? quisera eu ter isso tudo associado ao meu nome...) Lisa Gardner. Já tivemos uma resenha de outro livro dela aqui pelo blog - do qual gostei muito! - então minha expectativa com este livro não era nem um pouco baixa ...

Pois bem, assim como Agatha Chritie tinha o seu detetive belga Hercule Poirot, Lisa Gardner tem a detetive da divisão de homicídios D.D Warren, uma mulher forte e uma profissional capacitada e implacável na busca pela resolução dos casos que lhe competem.

Uma marca dos livros de Lisa, são a narrativa em primeira  e terceira pessoa; assim como a narração da estória a partir do ponto de vista dos diferentes personagens do livro. No caso de "Sangue na Neve", teremos os acontecimentos narrados a partir dos esforços da detetive D.D para resolver um mistério aparentemente insolúvel; bem como de Tessa Leoni.

Tessa Leoni matou o marido. É encontrada cheia de contusões, aparentemente de uma surra, legitimando uma situação de defesa extrema: a morte do marido como forma de defender-se de sua violência. Num primeiro momento, parece uma cena clara de briga doméstica que acabou muito mal se não fossem por algumas questões inquietantes:

a) Tessa Leoni é uma Trooper treinada, uma espécie de policial que deveria saber como agir de forma não-letal em situações de confronto como essa;
b) A filha de Tessa, de seis anos, está desaparecida, e a pessoa que talvez a tenha levado e saiba de seu paradeiro - o marido de Tessa, padrasto da criança - foi morto pela mãe, mesmo com a possibilidade de ser o único a saber do paradeiro de sua menininha;
c) Não é a primeira vez que Tessa Leoni mata em legítima defesa ... 

Ou seja, são fatos que, isolados, não provam nada, mas somados fazem com que a defesa de Tessa Leoni passe a ser sériamente questionada pela detetive D.D Warren, que tem que enfrentar o antagonismo de todos envolvidos na cena do crime: primeiro por ser Tessa uma quase "colega"; segundo, por esta aparentemente estar em estado de choque quando D.D tenta interrogá-la; terceiro, por que é inegável que Tessa precisa de cuidados médicos com brevidade - o que coloca Tessa na posição de donzela indefesa e D. D. na de policial desalmada - e a irrita muiiiittooo.
- Aqui esta a pergunta: qual é o primeiro instinto de um trooper, proteger a si mesmo ou a outras pessoas?
- Proteger os outrs.
- e qual é a principal prioridade de uma mãe? Proteger a si mesma ou aos filhos?
- Os filhos.
- E ainda assim, a filha da trooper Leoni está desaparecida, e a primeira coisa que ela faz é notificar o representante do sindicato e arrumar um bom advogado.
- Talvez ela não seja uma trooper das melhores - disse Bobby.
- Talvez ela não seja uma mãe das melhores - respondeu D.D.
Com Tessa pouco cooperativa para ajudar a desvendar esse quebra cabeças, e uma falta total de coerência nas pistas encontradas - todas dúbias, apontando para lugares que não deveriam - D.D. terá que correr contra o tempo para conseguir encontrar uma garotinha desaparecida em pleno inverno, com um frio de graus negativos lá fora, justamente num momento tão delicado de sua vida: D.D. descobriu que também será mãe.
Tocou a barriga com os dedos, passando as palmas pela pele  esticada, tentando sentir algum sinal do que estava lhe acontecendo. Com cinco semanas, não percebeu nenhum movimento do bebê nem qualquer saliência, por mais delicada que fosse. Parecia até que sua barriga estava menor, o corpo mais magro. Mas também, ir de bufês de "coma quanto puder" para caldos com bolachas podia fazer isso com uma garota.
Este é o livro 5 de Lisa Gardner, todos eles protagonizados pela detetive D.D., mas são narrados de tal forma que podem  ser lidos de forma individual sem problemas. No caso de "Sangue na Neve" temos um Thriller policial envolvente e eletrizante, escrito de forma tão fluída que as páginas praticamente se viram sozinhas.

Li todo o livro em dois dias, e demorei um bom tempo para conseguir escrever a resenha - o que sempre acontece quando gosto muito do livro. Afinal, é uma grande responsabilidade escrever bem sobre uma  obra de tal monta, a ponto de poder passar a vocês, caros leitores das resenhas do blog, uma ideia fidedigna do livro. Recomendo!

5 comentários :

  1. Ainda não li nenhum dos livros da autora, mas tenho vontade de ler os 2 lançados aqui no brasil! Já vi mutias resenhas positivas, e ele é bem o tipo de livro que eu gosto de ler... com suspense e tudo o mais.

    ResponderExcluir
  2. Amo Thriller policial, desde que vi esse livro quis lê-lo, deve ser muito bom. Quem não gosta de um bom suspense? Eu amo!

    ResponderExcluir
  3. Confesso que fiquei curioso para ler este livro. Tive poucos contatos com Thrillers policiais, este parece ser um livro bem interessante, com grandes surpresas e um final surpreendente. O bom disso tudo é que não é sequencial.

    ResponderExcluir
  4. Eu ameeeei a Lisa Gardner e fico torcendo para que todos os livros dela sejam traduzidos! Eu ainda tenho certa resistência a ler em inglês pois o meu é intermediário aí eu fico viajando demais rs

    ResponderExcluir
  5. É o meu gênero favorito. Este é mais um livro que tenho na estante há séculos, mas que ainda não tive um tempinho para ler. Acho que passarei ele na frente da pilha depois de ter lido a sua resenha. Me empolgou!
    rsrs

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris