domingo, 7 de abril de 2013

Resenha: "Toda Sua" (Sylvia Day)

Por Gabi: Oi gente! Olha eu aqui com mais um romance hot. O que trago hoje é o primeiro livro da Trilogia Crossfire, apontada por muitos como "melhor escrita que Cinquenta Tons de Cinza" e toda aquela conversa na qual já estamos familiarizados. Vamos, então, conhecer a história.

Nossa protagonista é Eva Tramell, uma linda, loira e perspicaz mulher que carrega cicatrizes do passado. Ela acaba de se mudar de San Diego para Manhattan com seu fiel escudeiro Cary Taylor. Ele teve uma infância muito difícil, sua mãe era dependente química e sua adolescência foi vivida em reformatórios.

Eva conseguiu um emprego na Waters Field & Leaman, uma das maiores agências publicitárias dos EUA. Um dia antes de começar seu expediente, ela foi ao Crossfire Building (sentiram a ligação dos nomes?), sede da empresa, para estimar quanto tempo levaria de casa ao trabalho quando teve seu primeiro encontro com o homem mais sexy e irresistível que ela jamais imaginou encontrar. 
Ainda assim, apesar de toda aquela demonstração impressionante de masculinidade, foi só quando vi seu rosto que percebi o que havia de fato diante de mim.

Uau. Simplesmente... uau.
Esse deus grego é o dono da agência, o bilionário Gideon Cross, que impressionou Eva não só por seu pelo porte físico e pelo belo par de olhos azuis, mas também pela atração instantânea que aconteceu entre eles.
Ao olhar para mim, ele mudou... como se um escudo tivesse sido removido de seus olhos, revelando uma força vital esmagadora que me fez perder o fôlego. O magnetismo poderoso que ele exalava se intensificou, transformando-se em uma impressão quase tangível de uma energia vigorosa e inesgotável.
Como trabalham na mesma empresa, encontros posteriores tornam-se cada vez mais inevitáveis, seja em elevadores ou em reuniões de trabalho. Depois da apresentação de uma campanha de vodka, que Ana ajudou seu chefe Mark, Cross chega com uma abordagem mais que direta para Eva, perguntando se ela não está dormindo com ninguém, porque ele "quer comer ela e precisa saber se não há ninguém atrapalhando seus planos". Assim mesmo, bem diretíssimo ao ponto e com essas mesmas palavras. 

Apesar de se sentir incomodada pelo modo impassível com que Gideon trata o sexo, a atração entre eles é inevitável e inicia-se, então um "relacionamento moderno" entre os dois baseado na filosofia de sexo-sem-compromisso. Sexo esse que é incrível para ambos. 

O grande "problema" dessa situação é que eles acabam se apaixonando e vêem que aquele tipo de relacionamento não é o suficiente para supri-los. A medida que a narrativa vai se desenrolando, percebemos que ambos carregam marcas do passado que colocam em cheque o futuro dessa relação. Será que a paixão  e o desejo vão ser combustíveis suficientes para manter firme esse relacionamento? 
Desde que havia conhecido Gideon, eu tinha entrado em um mundo fascinante e sedutor em que quase nenhuma das regras conhecidas do bom senso se aplicavam. Eu estava desbravando um território desconhecido, o que era ao mesmo tempo excitante e assustador. 
Pelo que podemos ver o livro se parece, com a trilogia de E. L. James, exceto pelos fatos que que Eva não é tão inocente no sexo quanto Anastasia e também porque o casal da trilogia Crossfire não curte BDSM. Mas vemos nosso belo protagonista completamente dependente de sua amada e, a seu modo, controlador e dominador. 

O livro não me conquistou. Sinceramente, sou piegas, confesso -rsrs. Gosto do romance, dos personagens bem construídos, da paixão, daquele ritual de conquista, do jogo de olhares, enfim, ROMANCE!! Não tenho problema algum com os romances hots de agora, até curto, mas se é só para trazer o clichê (abuso/sexo), fica algo bem vazio.
Sylvia Day

A impressão que tive é que Sylvia estava muito preocupada em ir "direto ao ponto", se é que vocês me entendem. Podemos logo perceber isso pela construção da personalidade de Gideon e em seu modo seco de abordar Eva. Outra coisa que me incomodou é que em grande parte do livro temos o choque de personalidade deles, resultando em brigas e desentendimentos, que não duram muito tempo, dando lugar a um sexo alucinante de reconciliação. Parece uma sequência já fixada pela autora. 

Fiquei, entretanto, curiosa para descobrir o drama de Gideon, que não foi exposto nesse livro, mas que já temos dicas vagas a respeito. Não tenho ideia,  do que esperar dos próximos livros, além dessa revelação. Espero que "Profundamente Sua" me surpreenda e me conquiste. Muitos dizem que a sequência é bem melhor que o primeiro. Vamos ver...

E vocês aí, já leram algum livro da Trilogia Crossfire ou algum romance hot? Não deixe de comentar suas experiências conosco!

Beijos beijos e boa leitura!


9 comentários :

  1. Ah os eróticos!rs
    Mesmo tendo lido Cinquenta Tons e não ter curtido..já me disseram que essa trilogia aqui é bem superior. Não só pelo fato da moça ser totalmente oposta ao que a chata de Cinquenta era..mas por ser mais cru..
    Sei lá..acho que pra ser livro erótico, tem q ser erótico né?
    Ganhei ele recentemente..mas ainda não chegou.
    Logo poderei conferir..rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Pra mim o primeiro e o segundo livro deveriam ser um só. O final do primeiro deixa com aquela curiosidade mas não é de tirar o folego. Agora o segundo, é muito melhor mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Não curto literatura erótica, como vc também sou piegas nesse sentido,o que achei menos ruim nessa série é justamente o fato da Eva ser bem resolvida sexualmente, é uma coisa mais consensual, eu pelo menos vejo assim.

    ResponderExcluir
  4. Gizeli Regina Meistersegunda-feira, abril 08, 2013

    Eu confesso que não tenho tanta vontade de ler por ser muito similar a 50 Tons em vários aspectos e isso acabar me cansando, vou ser sincera apesar de ter um pé atrás com esse livro...vou dar uma chance, adorei a sua resenha.

    ResponderExcluir
  5. Eu não sou muito fã de livros eróticos, a única coisa que eu acho bonita são as capas dessa trilogia. Quando colocados uma ao lado da outra fica tão lindo *-*

    ResponderExcluir
  6. Eu já li esse livro e adorei, eu só pude ri do jeito que o Gildeon abordou a Eva no começo hahaha bem direto! Acho que você vai gostar mais do segundo livro, têm uma parte dele que é cansativa mas o final é de surpreender e sim ela fala do passado do Gildeon, eu gostei do romance do livro achei melhor que 50 tons de cinza, os dois têm um romance forçado, mas achei esse melhor construído =S tomara que você aproveita a leitura de profundamente sua, esperando sua resenha (:

    ResponderExcluir
  7. É bom mas nem tanto. Gostei de ler e só achei um pouco melhor que 50 tons, mas parece ser a mesma coisa! é...fica difícil assim...Acho que melhora mais pra frente, mas nem tanto também...

    ResponderExcluir
  8. Li 50 Tons de Cinza e to penando pra terminar 50 Tons mais Escuros.
    Quando a ler essa resenha, achei que esse romance seria melhor, mas no fim, parece ser tudo farinha do mesmo saco.
    Sendo assim, vou procurar um romance água com açúcar pra mim. *-*

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris