quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Retrospectiva Dear Book 2016 – Editora Planeta Brasil (Parte 2)

Se você está procurando por um livro e não sabe bem qual adequar ao momento – ou mesmo está em dúvida sobre levar ou não um livro a mais no carrinho de compras numa promo, vamos destacar neste post livros e trechos de resenhas da nossa equipe, de 2016. Esperamos que isso ajude nossos caros leitores na hora da compra ;) Acompanhem as retrospectivas!

Obs: nem todos os livros são lançamentos de 2016.


EDITORA PLANETA BRASIL

Selos: Planeta Jovem, Planeta Infantil, Essência
Academia, Crítica, Outro Planeta, Barsa Planeta, Pórtico, Tusquets.


A garota perfeita
Mary Kubica
Resenha completa aqui

“A Garota Perfeita”, apesar de em alguns momentos ser comparada ao célebre “Garota exemplar”, tem de parecido com este apenas o título. O livro é um thriller psicológico que nos envolve do começo ao fim, que é apresentado de forma perfeitamente amarrado pela autora, e que consegue criar as idas e vindas na narrativa sem deixar de ser objetiva ou soar confusa. Um ótimo livro para ser lido todo de uma vez.



Órfão X
Gregg Hurtizz
Resenha completa aqui

Apesar das várias cenas de ação, adrenalina, que são narradas tão perfeitamente que se é capaz de imaginar a cena toda acontecendo, acredito que as descrições psicológicas dos personagens é o que deixa a narrativa mais interessante. Principalmente o entrar progressivo dentro do mundo de Evan, que explicam de forma pormenorizada o por que de suas escolhas.
Além disso, a vida comum e pacata dos moradores do prédio de Evan, cada um com seus problemas e dramas particulares, que volta e meia colidem com o mundo quase inumano de Evan fazem com que a história tenha um algo a mais, um olhar mais profundo diante da situação explícita de violência e morte que são a premissa inicial.



Que ninguém nos ouça
Cris Guerra e Leila Ferreira
Resenha completa aqui

Acho que o que mais gostei no livro, além de todo o mencionado exercício de reflexão e das doces palavras, é como elas se abrem e ao mesmo tempo guardam os sentimentos que borbulham dentro de si. Que ninguém nos ouça é, assim, um título perfeito, ele exprime o feeling exato: muitas de nós nos encontramos embaralhadas pelas coisas que guardamos e muitas vezes isso envolve medo por parte do que as pessoas vão achar vez que contarmos que não somos exatamente aquilo que pensam. [...] Que ninguém nos ouça é um livro para não entrar docemente. Mas ao tão logo abri-lo, sente-se, tome um chá, um vinho, sinta-se parte do “segredo”, ele também é seu.


Aprendendo a seduzir
Patricia Cabot
Resenha completa aqui

Ouso dizer que se Jane Austen escrevesse livros hot, seriam muito parecidos com Aprendendo a seduzir de Patricia Cabot. O livro não é ruim, até porque Patrícia Cabot escreve bem e coloca uma pitada de sarcasmo nos diálogos dos personagens, que, aliás, são muito bem vindos nessa Inglaterra conservadora.




50 ideias de história do mundo que você precisa conhecer
Ian Crofton
Resenha completa aqui

Pense nesse livro como uma ajuda para entender o passado e como ele afeta o nosso presente e futuro. [...] Além disso, ele está repleto de citações de importantes figuras históricas e quadros com importantes informações complementares. Um resumo muito bem executado da história, um livro leve e curto repleto de informações úteis.



Nem tudo será esquecido
Wendy Walker
Resenha completa aqui

Não é que o livro não tenha sido bem escrito. A história foi bem construída. As passagens técnicas, para mim que sou da área, foram muito fidedignas. E o final foi muito bem explicado, sem pontas soltas. Acredito que eu só esperava algo mais contundente, talvez ao estilo Stephen King, depois de ler na contra capa do livro que o final era “surpreendente”.

Nerve
Jeanne Ryan
Resenha completa aqui

[...] parece que foram jogadas muitas informações aleatórias que poderiam ter sido aprofundadas, exploradas, explicadas, sei lá, qualquer coisa, e não foram. Fiquei com a sensação de que ficou tudo muito no raso – personagens, histórias e desfecho. É uma boa leitura, mas não é uma leitura marcante ou que eu repetiria.


Amor verdadeiro
Jude Deveraux
Resenha completa aqui

Para aqueles leitores que preferem histórias mais verossímeis, talvez Amor verdadeiro não seja a alternativa mais adequada. E não digo isso pela trama envolvendo um fantasma de duzentos anos que precisa saber o que aconteceu a sua amada para poder se libertar, mas pelos personagens pouco reais, muito perfeitos e bonitos. Terminei a leitura com a sensação de que só existe boy magya em Nantucket.
Além disso, em meu ponto de vista, a história deixou algumas pontas soltas – algumas intencionais, claramente abrindo caminho para eventuais continuações – e outras, nem tanto. [...] Ainda assim, estamos falando de um livro muito bom, bem escrito e fácil. Para quem deseja uma leitura despreocupada, sem muitos pontos de reflexão e conflitos, Amor verdadeiro é, sem dúvida, uma excelente opção. O tipo de livro que a gente mata em três dias, de boa. Sendo assim, se você quer suspirar, acreditar que o amor pode sobreviver a muitos e muitos percalços, além de se divertir com os mistérios da ilha mais mal-assombrada da América, com certeza Amor verdadeiro é a opção certa.


Por que fazemos o que fazemos?
Mario Sergio Cortella
Resenha completa aqui

O livro é quase um guia para retornarmos a nossos trilhos! [...] A edição é simples, congruente a esse aspecto de ser bem direto, e nos entrega uma leitura rápida, ideal para momentos de espera ou pausas, em que não se quer nada muito imersivo. É mega fluída e explicada, arrisco dizer até gostosinha de ler – porque alguns livros filosóficos nos dão essa impressão de colocar o peso do mundo sobre as letras e fica pesado de acompanhar. Mario Sergio escreve como quem palestra, como quem conversa diretamente, agarra sua atenção e as páginas passam ligeiro. Os capítulos são bem curtinhos e deixam uma sensação de “Já??? Quero mais”.

 Vendedor Falcão
Marcos Scaldelai
Resenha completa aqui

Vendedor Falcão é um estímulo necessário. Apresenta dicas e técnicas, provoca o espírito e é extremamente explicativo. Em umas 170 páginas, Scaldelai se vale muito daquela máxima “foco, força e fé” e não descansa enquanto não plantar e fazer germinar a semente da vitória. Ele acredita que a gente pode, se realmente quiser.
A edição ainda conta com um teste para o leitor ter uma noção mais prática. Não é um desses livros que uma leitura basta, é desses para guardar, revisitar e tomar notas constantemente.
Se é isso que você procura em um livro para desenvolvimento profissional, de equipes e alta performance, Vendedor Falcão é uma escolha certeira.


Veja outras retrospectivas aqui

Curta o Dear Book no Facebook
Siga @dear_book no Twitter e @dearbookbr no Instagram

0 comentários :

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris