quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Resenha: "O Caso dos Dez Negrinhos" (Agatha Christie)

E Não Sobrou Nenhum // O caso dos 10 negrinhos
Autor:
Christie, Agatha
Editora:
Globo Editora
Número de Paginas :
390
Onde Comprar:
Saraiva

Por Sheila:
Considerado por muitos um de seus livros mais famosos, O Caso dos Dez Negrinhos é um romance policial de Agatha Christie, lançado pela primeira vez em 1939. Apesar de o título basear-se em uma cantiga infantil tradicional na Inglaterra, o título foi modificado em edições posteriores por algumas pessoas acreditarem que o termo “Negrinhos” poderia levar a interpretações racistas. A tentativa de renomear o romance, no entanto, fez com que algumas traduções do sofresse modificações lamentáveis, visto que a obra gira principalmente em torno de um poema e figuras de porcelana representando os personagens apresentados no desenrolar da narrativa.


A trama passa-se em uma mansão situada na Ilha do Negro, para o qual dez pessoas são atraídas pelo Sr e Sra. Owen (oito convidados, o mordomo e sua esposa). Em cada um dos quartos encontra-se a cópia de um poema que fala de “Dez Negrinhos bem como dez figuras de porcelana os representando na sala de estar.
Dez negrinhos vão jantar enquanto não chove;
Um deles se engasgou e então ficaram nove.
Nove negrinhos sem dormir: não é biscoito!
Um deles cai no sono, e então ficaram oito.
Oito negrinhos vão a Devon de charrete;
Um não quis mais voltar, e então ficaram sete.
Sete negrinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles se corta, e então ficaram seis.
Seis negrinhos de uma colméia fazem brinco;
A um pica uma abelha, e então ficaram cinco.
Cinco negrinhos no foro, a tomar os ares;
Um ali foi julgado, e então ficaram dois pares.
Quatro negrinhos no mar; a um tragou de vez.
O arenque defumado, e então ficaram três.
Três negrinhos passeando no Zoo. E depois?
O urso abraçou um, e então ficaram dois.
Dois negrinhos brincando ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então ficou só um.
Um negrinho aqui está a sós, apenas um;
Ele então se enforcou, e não ficou nenhum.
Capa da versão adaptada ao
"politicamente correto"
Ninguém conhece o misterioso casal que teria despachado os convites e os meios providenciando sua vinda para a ilha, e acaba nunca aparecendo, deixando entrever aí o ardil que os leva à esta funesta reunião. Tendo sido convidados, instados ou contratados por meios impessoais – cartas, telefonemas, agências – nenhuma das dez pessoas reunidas na ilha teve contato direto com seus anfitriões. O temor substitui a curiosidade inicial dos convidados quando, após seu primeiro jantar na mansão, um gramofone toca acusando cada um deles de haver cometido um crime no passado, aliado ao mal estar por descobrirem-se impossibilitados de deixar a ilha devido ao mau tempo.

No decorrer da história os personagens vão sendo assassinados seguindo de forma fiel e bizarra os versos do poema, ao mesmo tempo em que as figuras de porcelana começam, uma a uma, a desaparecer. Isso faz com que as pessoas comecem a se questionar: haverá mais alguém na ilha? Ou será um deles um assassino? E se assim for, quem sobrará?

Um romance empolgante, com um final surpreendente. Só mesmo Agatha Christie, reconhecida mundialmente como “a Rainha do crime”, para elaborar um desfecho que nos surpreende tanto por sua simplicidade quanto pela engenhosidade do assassino. Recomendadíssimo.

14 comentários :

  1. Eu amoooo Agatha! Queria poder ler todos os seus váarios livros! Esse parece ser muito bacana! Um amigo já tinha me recomendado. Crimes que obedecem a um poema, ela é geniaaal!! =D

    ResponderExcluir
  2. Eu li esse livro, é fantástico... aliás, Agatha Christie é fantástica!! Com certeza é um dos melhores.
    Ah... quando vi esse livro vendendo com novo título achei muito esquisito, mas infelizmente estamos vivendo em uma era super politicamente correta que chega a dar náuseas... Isso acaba acarretando nesses tropeços históricos sem contextualização correta.

    abraços,
    Luciana
    http://www.folhasdesonhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Adoroooo esse livro! É um único da Agatha que eu li, mas tenho um carinho especial porque foi um dos primeiros que me despértou para leitura. E fora que a trama é incrivel, muito dificil de adivinhar a resolução do caso. E as mortes de acordo com o poema só tornam tudo mais interessante.
    Odiei essa versão nova, no poema, ao invés de "negrinhos", eles falam "soldadinhos", muitooo nada a ver.

    ResponderExcluir
  4. Vou tentar ir logo à Biblioteca Municipal e pegar o livro. Minha vontade mesmo é comprar, já que amo Agatha Christie, mas, enquanto não posso, apelo para outras formas, rs.
    Beijão

    ResponderExcluir
  5. Depois dessa resenha, eu aqui louca para comprar o livro e a Babi da essa MEGA idéia, pega-lo na Biblioteca!!! Muito bom! Por ser classico com certeza deve ter e principalmente na versão original!

    ResponderExcluir
  6. Amo muito esse livro! Foi o primeiro da Agatha Christie que eu li e me apaixonei pela autora e ainda mais pela leitura.O mistério é fantástico e o poema só torna tudo mais macabro e interessante. Com certeza uma das minhas autoras preferidas, super recomendado!

    ResponderExcluir
  7. Esse livro é maravilhoso!! Um dos meus preferidos. Uma obra prima do romance policial. Só podia ter saído da mente brilhante de Agatha Christie.
    Lamento muito que tenham alterado o título para "E não sobrou nenhum". Além da história do politicamente incorreto não fazer o menor sentido é fundamental que o título "O Caso dos dez negrinhos" continue aparecendo, mesmo que em letras menores, afinal como vc comentou na resenha esse é um dos seus livros mais famososos da autora. Ou seja, pra que mudar?
    E para quem é fã da Agatha, no www.alemdacontracapa.blogspot.com tá rolando promoção valendo um dos maravilhosos livros dela ;)

    ResponderExcluir
  8. Suspense,doce suspense!Assassinos em potencial,uma ilha como cenário.Passados obscuros...Certamente uma trama muito bem elaborada,nada menos esperado da grandiosa Aghata Christie.

    ResponderExcluir
  9. Adoro ver resenhas de livro clássicos, gosto do Dear Book porque nos da essa oportunidade, enquanto a maioria dos blogs só resenha lançamento de vampiro. Gostei muito da dica, ja li outros livros dela, mas esse não. Vou correr providenciar um para mim.

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante, ja entrou para minha lista. Temos que valorizar mais os clássicos e esse com certeza é um que merece.

    ResponderExcluir
  11. oi pessoas! obrigada a todos que comentaram! quem for ler, é bom tentar pegar o original, algumas coisas não encaixam na versão "politicamente correta" já que tiveram que mudar mtas coisas, inclusive o nome da ilha. Para mim esse é um dos melhores - se não o melhor - livro da agatha, mas eu sou suspeita, foi minha obsessão particular por anos, não descansei enquanto não li sua obra completa :). Pretendo - se a Junny concordar - resenhar O Assassinato de Roger Ackroyd que tmbm é, na minha opinião, maravilhoso! mas tmbm aceito sugestões

    abraços

    http://psicologias2011.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Esse é um dos livros da Agatha que li e amei!! *-*
    Quando tava lendo esse livro, tinha uma sensação de já saber como ia terminar. Acho que já tinham me falado ou acabei lendo algo por aí, pois eu tinha uma vaga lembrança...Mesmo assim, me surpreendi-bastante. Muito bom o desenrolar da história! As mortes foram bem legais tbm. =DD

    Esse negócio de mudar nome, achei besteira...rs

    Obs: O Assassinato de Roger Ackroyd é perfeito! Um dos meus favoritos.

    Pretendo um dia ler tds os livros da Agatha! *-*

    ResponderExcluir
  13. Sem comentários!! CLÁSSICO!!

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris