sábado, 7 de janeiro de 2012

Resenha: “Confissões de um Turista Profissional” (Kiko Nogueira)

Confissões de Um Turista Profissional
Autor:
Nogueira, Kiko
Editora:
Novo Conceito
Número de Paginas :
94
Onde Comprar:
Saraiva

Por Juny:
Quem não gosta de viajar, conhecer novos lugares, novas culturas? Mas quando a pessoa volta, nem sempre achou tudo as mil maravilhas, mas muitos optam por não contar a verdade sobre algumas impressões ruins dos lugares visitados, contam apenas o que os outros querem ouvir, uma versão mais idealizada da realidade.

Pensando nisso, o jornalista Kiko Nogueira (ex-diretor da redação da revista “Viagem e Turismo” e do “Guia Quatro Rodas”) criou a coluna “O Turista Razoável”, assinando como Jota Pinto Fernandes, seu pseudônimo. A coluna fala sobre a realidade nua e crua sobre as viagens, sem poupar detalhes e comentários irônicos. E o sucesso foi tão grande que os textos dessa coluna viraram o livro “Confissões de um Turista Profissional”, publicado pela Editora Novo Conceito.
“Jota Pinto acha que Dubai é uma miragem tirada de uma loja de abajures do centro de São Paulo, que pousadas românticas as quais não aceitam crianças são racistas e que os paulistas estão para o Brasil assim como os americanos estão para o mundo. Não é mau humor. É aquilo que você não tem coragem de dizer quando seus amigos voltam de Orlando e o chamam para ver as fotos e o filminho”.
Em relação ao Brasil, ele fala sobre temas polêmicos como prostitutas do Rio fazendo curso de inglês (oferecido pelo Governo) para atender melhor os clientes em épocas de grandes eventos (ele cita o Pan, mas já vale para Copa e Olimpíadas). Fala também sobre os artesanatos que nem sempre são feitos pelo povo local, muitas vezes são fake e de má qualidade, apenas para “enganar turista”. E tambpem critica bastante os paulistas, que para ele estão para o Brasil, como os americanos para o mundo, porque não importa para onde eles viajam, sempre dizer que “alguma coisa é melhor lá em São Paulo” (eu como paulista deveria me opor a esse comentário, mas o pior é que as vezes realmente acontece =x HAUHAAU)
“Quem já viu um paulista, naquele restaurante em Salvador, reclamar que o serviço está lento? (...) O paulista carrega dentro de si a responsalidade inata de pertencer ao Estado mais rico do país. O lugar onde ninguém tem tempo para outra coisa senão trabalho. (...) A garçonete demorou para atender? Em São Paulo, isso não aconteceria. O vendedor de coco não tem troco? Em São Paulo, isso não aconteceria. (...) Para quem esta recebendo os paulistas, fica aquela pergunta: por que eles são assim? A resposta: porque somos ricos. Os paulistas estão para o Brasil como os americanos estão para o mundo”.
O autor critica o uso desenfreado da câmera digital, que hoje em dia qualquer um se acha fotografo e muitas vezes deixamos de apreciar a vista ou sentir o lugar, porque queremos tirar mil fotos.
“A experiência de viajar e olhar as coisas pela primeira ou última vez, o deleite de admirar uma montanha de neve, um recife de corais, o Guggenheim, a Vênus de Milo, o Lago di Garda, o Corcovado, só se dá através da telinha”.
Ele cita a extinção do turista japonês, que Orlando é um paraíso artificial, da importância do “Portunhol” e muitos outros assuntos. Destaco trecho sobre o Museu do Louvre (Paris/França), que ele não recomenda a visita a Monalisa, pelas filas e transtornos, tudo para uma olhada rápida:
“Ela está rindo de você! Vai a Paris? Eis um programa para você evitar numa primeira visita (e também na segunda, quarta, oitava) não visite a Monalisa no Louvre.”
Enfim, um livro com muitas dicas realistas e bem humoradas, que falam com sinceridade sobre vários roteiros turísticos bem cobiçados e altamente idealizados. Uma leitura rápida e que flui muito bem, da para ser lido em apenas uma tarde. Recomendo!

8 comentários :

  1. É bem pequenininho esse livro.
    Quero ler! Tem tudo pra ser um livro divertido.
    E pelo que diz sua resenha...o autor é muito crítico!! rs
    Gostei.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Gostei do livro, só achei algumas opiniões vazias... fiquei um pouco decepcionado.
    Att.,
    Luks

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha! Tenho esse livro, mas não consegui ler ainda. Parece algo divertido de ler durante uma viagem...
    Beijos!

    www.garotapsicopata.com

    ResponderExcluir
  4. Eu estava curiosa pra ler alguma resenha sobre esse livro, porque muita gente ganhou ele de parceria sendo que ele não se encaixa nos nossos gêneros de leitura.
    Bem que ele lançou na hora certa né! Bem perto das férias de fim de ano!

    estou seguindo seu blog! me segue ?
    BeijoOs ^^
    pam in blog . com
    @paminblog

    ResponderExcluir
  5. Todo mundo sempre ouve o lando bom das viagens, esse livro traz o oposto.. acho que seria bom ler ele quando eu for viajar para algum lugar ai eu procuro sobre os podres no livro HASAHUSAHUSHAU Obrigada pela resenha, beeijos!

    ResponderExcluir
  6. aHHHHHH Tenho esse livro aqui e vai ser o proximo que vou ler, adorooooooo viajar e tenho certeza que vou me identificar com algumas coisas :)

    ResponderExcluir
  7. Bom o livro parece ser cheio de dicas passadas com um excelente senso de humor. Interessante a maneira do autor comparar as coisas. Vou colocar na lista de leitura.

    ResponderExcluir
  8. Parece ser legal o livro, e de leitura rápida pela quantidade de páginas.
    Mas creio que as coisas contidas nele, são, na maioria, fúteis. Pois são mais opiniões, sobre os lugares, sobre certas manias: como a de tirar fotos e esquecer de apreciar o local. Acredito que isso seja muito pessoal, e que nem todos venham a gostar do livro. Entretanto, creio que seja legal lê-lo (:

    Beijos

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris