segunda-feira, 19 de novembro de 2012

[Minhas palavras] Recomeço(s)



A coluna "Minhas Palavras" apresenta textos originais, de diversos temas, produzidos pela equipe do Dear Book.
"Recomeço(s)"

Por: Sheila Schildt, Psicóloga Clínica e Resenhista do blog.

Créditos da imagem aqui
Desistir ou continuar tentando? Dizer ou calar? Lutar, ou ter paciência para esperar o tempo certo? Ir embora ou ficar? Ser firme ou ser flexível? Se superar, ou reconhecer seus limites? Ir em busca de respostas, ou aprender lidar com a incerteza? Essas são apenas algumas (bem poucas) das dúvidas que parecem assolar essa minha cabecinha volta e meia. Com vocês isso também acontece? Espero que não com a mesma freqüência que comigo ...

Mas cada vez chego mais a conclusão de que às vezes temos a tendência a ser muito extremistas. Tudo precisa ser sim ou não, preto ou branco, 8 ou 80. Vivemos em uma época em que o imediatismo parece ser o que impera com mais vigor, fazendo com que as pessoas busquem por soluções rápidas, preferencialmente indolores. Esta aí a indústria das cirurgias plásticas que não me deixa mentir.

Afinal, o que realmente queremos? Para onde estamos indo? As vezes vejo pessoas presas em ciclos de repetições infindáveis e isso me entristece, não só por ver aquilo para o que o outro é cego, mas por saber que esta cegueira também existe em mim. Apesar de que me parece, analisando a questão mais a fundo, que nossa vida é mesmo como um circulo sem fim, não linear, mas como uma mola, expandindo-se sempre.

Então, a questão é: teremos que repetir algumas experiências, até a exaustão, pelo simples fato de que ainda não a entendemos de forma correta, assim como deve-se repetir os mais diversos tipos de cálculos matemáticos, de um mesmo período escolar, para só então pode aceder a outros, mais difíceis e mais complexos.

Dúvidas? Sempre existirão. Como poder saber, a priori, o resultado de uma decisão tomada, um caminho escolhido? Claro que a experiência, após trilhar e errar diversas vezes por caminhos tortuosos, nos faz perceber mais claramente os sinais de que estamos mais uma vez nos direcionando para um adejar conhecido.

Só que é justamente este o problema: temos uma séria tendência a nos apegar aos caminhos conhecidos, até por que deles sabemos as curvas e, por pior que isso seja, as vezes parece uma solução mais prática do que tentar um Novo – com N maiúsculo, por que não é por que as coisas aparentam serem diferentes que não são, em seu cerne, fundamentalmente as mesmas.

Afora aquelas dificuldades que nos atingem diariamente, e a muitas vezes complicada interlocução entre os diferentes seres – nem sempre humanos – que conosco habitam o planeta, parece que na maior parte das vezes nos somos nossos próprios e maiores inimigos. As pessoas nos magoam. Mas quem é que se sente magoado? As pessoas nos Irritam. E quem é que fica horas e horas remoendo a discussão que teve com a melhor amiga ou o namorado?

Pois bem, a verdade é que EU é a resposta para todas essas perguntas e, sim, esperamos demais das outras pessoas, por isso toda essa frustração. Lógico que isso não quer dizer que devemos ser pessimistas e esperar sempre o pior das diferentes situações – longe disso. Só quero dizer que somos todos pessoas repletas de pontos, questões, falhas, distorções e que, infelizmente, as vezes não podemos esperar do outro o que ele claramente nos diz que não pode dar.

Como resolver estas questões? Não sei. Sou tentada a dizer que com terapia, pois esta nada mais é que uma busca por auto-conhecimento para aprender a lidar melhor com as incongruências do mundo e do outro; com os ganhos dessa vida, mas também com as perdas. Apesar de que sou suspeita para falar sobre fazer terapia, afinal esse é meu ganha pão!

Mas a proximidade do fim de mais um ano me faz pensar - talvez “encucar” seja uma palavra mais adequada – com todas essas questões, que também são minhas. Respostas? Não tenho nenhuma. Certezas, menos ainda. No entanto, a proximidade do fim de mais um ciclo terrestre, faz com que uma palavra apareça em formas garrafais em minha mente: Recomeço.

Afinal, por mais que a passagem dos dias e a troca de ano seja algo socialmente instituído, nada mais que uma comemoração simbólica (pois a passagem do tempo já foi contada de inúmeras e diferentes formas ao longo dos séculos), o ato de abrir-se a recomeços é o que possibilita ao novo entrar.

E que possamos, todos nós, fazer uma “reciclagem” neste ano que se aproxima do fim, livrando-se das coisas que já não servem mais, e abrindo espaço para que novas experiências venham nos lembrar que sempre é possível Recomeçar e que, por mais que isso seja cansativo, às vezes é exatamente o que faltava em nossas vidas. E bom novo ciclo a todos nós!

20 comentários :

  1. Sheila
    Gostei muito do seu texto e tema. Acho realmente que devemos pensar num recomeço, "tentar o novo" e muitas vezes nos desfazer de velhos hábitos.
    um abraço!

    ResponderExcluir
  2. rs Terapia??
    como diz minha mãe: terapia é ter a pia cheiinha de louças pra lavar!!
    Acho que é comum demais nessa época do ano que a gente se pegue pensando onde errou, acertou..e que sim, tente recomeçar no próximo ano(isso se o calendário Maia errar, é claro)rs
    Apesar de acreditar que recomeço, é coisa diária, a cada novo amanhecer é preciso se reciclar, colocar em ordem pensamentos e sentimentos, erros e acertos.
    Estamos em constante transformação!!

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Aquela coisa de promessa pro ano que vem. Mas é bom parar pra pensar. Uma dica é escrever todos os planos no papel, pra não largar eles de mão no próximo ano..

    ResponderExcluir
  4. nossa sou pessima em escrever texto e esse esta otimo

    ResponderExcluir
  5. Creio que as dúvidas fazem parte de nosso crescimento.
    Concordo plenamente quando você diz que somos muito imediatistas. Parece que não temos aprendido com nossa experiência, e o ditado: "A pressa é inimiga da perfeição" é totalmente correto.
    Texto lindo.

    ResponderExcluir
  6. O texto está maravilhoso! Concordo com muita coisa que você falou.

    Adorei.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Não sei se entendi por inteiro o que o texto quis passar :/ De qualquer forma, é muito difícil se livrar das coisas velhas, por mais que nos façam mal. Vide aí casamentos ruins que perduram por anos e anos. A gente tem medo de ficar sozinho ou que o Novo seja pior que o passado. É muito complicado mesmo. Enfim, o texto é uma boa reflexão, ainda mais pro fim de ano. 1º de Janeiro é ótima data pra recomeçar =)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito do texto e concordo com tudo, pois de uma certa forma o recomeço é o que nos motiva a colocar em ordem nossos pensamentos e principalmente nossas atitudes!
    Todos deveríamos recomeçar...

    ResponderExcluir
  9. Adoro seu blog pelo tanto quanto é organizado! E suas palavras são inteiramente encantadoras, a maneira como você escreve é como se estivesse lendo o que queremos "escutar". Parabéns

    ResponderExcluir
  10. A incerteza e a escolha são facetas de todos os seres humanos. Para tomarmos decisões certas, sempre temos que perguntar se é isso ou aquilo, se está certo ou errado, se posso ou se não posso. É o que chamamos de livre-arbítrio, que está inerente em todos nós.
    A cada início de ano, tomamos resoluções, abrimos a porta da esperança, para um ano que se inicia e que queremos fazer tudo corretamente. Só que no correr do tempo, as coisas mudam e temos que recomeçar, tantas vezes quantas necessárias forem.
    Parabéns pelo texto. Gostei muito.

    ResponderExcluir
  11. Nossa adorei o post muito verdadeiro,realmente às vezes exageramos e fazemos a linha ou tudo ou nada,é pegar ou largar mesmo.
    Atualmente ,o feedback é importante para economizar o tempo.Sim a vida é feita de experiências e no caminho com certeza vão existir momentos para cometer erros,mas o importante é que aprendemos com eles.Sim ,oh dúvida cruel,qual escolha será a certa ou errada?

    ResponderExcluir
  12. Bem bonito esse texto, falou de um tema que é triste de encarar, os recomeços....é, tem de ser forte pra conseguir refazer algumas coisas e seguir em frente com outras. Esquecer...enfim...

    ResponderExcluir
  13. Parabéns, realmente estas coisas acontecem, mas o que eu posso dizer é que temos sempre que acreditar em Deus, pois só Ele pode nos ajudar.

    ResponderExcluir
  14. Melhor forma de lidarmos com as ns questões da vida é conhecermos a si próprios, você disse tudo.

    ResponderExcluir
  15. Eu vou postando as palavras que me vem no blog, e dificilmente volta atrás para saber da repercussão que causaram - poderia culpar a correria do dia-a-dia, os problemas, mas talvez seja simples desleixo mesmo. Obrigada pelos comentários, e espero que a leitura possa ter suscitado momentos de reflexão.

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós! Pode parecer clichê, mas não é. Queremos muito saber o que achou do post, por isso deixe um comentário!

Além de nos dar um feedback sobre o conteúdo, contribui para melhorarmos sempre! ;D

Quer entrar em contato conosco? Nosso email é dear.book@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout de Giovana Joris